ESL- English Second Language: Estudando inglês nos EUA

ESL logo

Sempre frequentei escolas de línguas no Brasil, desde de criança até adulta. Fazia alguns anos de curso,  cansava e parava, depois voltava a estudar e boa parte do que eu tinha aprendido nos cursos anteriores eu já havia esquecido e o meu inglês não saia daquele nível intermediário. Quando viajava para o exterior, voltava decidida a por foco nas minhas aulas de inglês, pois nessas situações eu percebia o quanto o meu inglês estava ruim.

Quando surgiu a oportunidade de morar aqui nos EUA pensei comigo mesma: “AGORA VAI! Ou eu aprendo inglês ou eu aprendo inglês! Não tem como não aprender a FALAR em inglês morando em um lugar onde todas as pessoas falam inglês, a TV é em inglês, jornais, revistas e rádio tudo em inglês!!!”.

Assim que chegamos aqui, meu marido foi trabalhar (obrigado a falar, ler e escrever em inglês no ambiente  de trabalho diariamente), meu filho foi para a escola (inglês na orelha das 9 da manhã às 4 da tarde, aprender a se comunicar em inglês foi uma questão de “sobrevivência” para ele no ambiente escolar) e eu fiquei em casa … resultado: depois de um ano morando aqui, o meu inglês de “ouvir” e “entender” melhorou muito mas o meu “falar” em inglês continuava intermediário, travado. Frustante.

aprender-ingles

Comecei a ficar preocupada pois descobri que tem muitos brasileiros que moram aqui nos EUA há muitos anos e que não falam um inglês fluente. Um dos principais motivos é que eles acabam se fechando em comunidades de brasileiros e acabam não praticando o falar em inglês e também não se relacionam com os americanos (sei que não é facil fazer amizade com americanos, mas não é impossível, principalmente se você tem filhos em idade escolar). Minhas amigas aqui são todas brasileiras, algumas falam inglês super bem, mas quando estamos juntas a gente só conversa em português, porém não queria ver o tempo passar e não ver o meu inglês evoluir pois, um dos meus principais objetivos quando nos mudamos para cá era mudar o status do meu inglês de intermediário para FLUENTE!!!!

Comecei a procurar cursos de inglês, mas a maioria era no período da noite ou ficava longe da minha casa, o que tornava inviável. Procurei professores particulares de inglês mas a hora/aula era muito cara e eu não queria ficar restrita a conversar apenas com o professor. Foi então que em uma das reuniões da escola nova do meu filho, para os pais das crianças estrangeiras, uma professora nos indicou um curso de inglês para adultos (ESL) que era ministrado pelo próprio distrito escolar.

Foi perfeito! O horário batia com o período em que meu filho esta na escola e como ele é vinculado com o distrito escolar ele segue o mesmo calendário, então quando não tem aula na escola das crianças também não tem curso de inglês. O preço também era bem atrativo ($480.00 dólares por 16 semanas de curso, totalizando 120 horas de aula de inglês).

class_5935c[1]

Para se matricular no curso é necessário ter mais de 20 anos, fazer uma prova escrita em uma data pré-determinda, levar documento de identificação, comprovante de endereço e já pagar o valor total do curso. Cabe lembrar que para quem  é cidadão americano, residente permanente ou tem status de asilado o curso é gratuito.

Fiz a prova e para minha surpresa entrei no nível 6, que era o último nível do curso. Minhas aulas começaram em janeiro e vão até quase o final de maio deste ano, e um outro módulo se inicia em setembro. No primeiro dia de aula, eu fiquei um pouco perdida pois percebi que os outros alunos falavam inglês muito melhor do que eu. Como a prova foi só escrita, eu acabei indo bem pois consigo ler e escrever bem em inglês, o meu problema sempre foi falar, acho que se tivesse uma prova oral, tipo uma entrevista em inglês eu teria entrado em um nível anterior. Mas hoje eu vejo que foi ótimo eu ter entrado nessa turma pois isso tem me estimulado a “soltar a língua” na sala de aula.

Durante as duas horas e meia de curso que tenho por dia (tenho aulas as terça, quartas e quintas-feiras), o foco é na conversação, não tem quase nada de gramática,  a gente sempre discute temas do noticiário do dia anterior, fazemos palavras cruzadas em grupos, assistimos à vídeos para depois discutir sobre o tema abordado, aprendemos bastante “phrasal verbs”, “slangs” e “idioms”. Também jogamos jogos de tabuleiro e do tipo “Imagem e Ação” . O curso está respondendo bem as minhas expectativas e além de praticar o “falar” em inglês é muito interessante o mix de culturas que tem dentro da sala de aula. Na minha sala tenho colegas do Japão, China, Coreia do Sul, Vietnã, Alemanha, França, Iraque, Síria, Ucrania, Argentina e Peru. Sempre que surge algum assunto mais polêmicos cada um fala com o determinada situação seria abordada no seu país, também conversamos bastante sobre as diferenças culturais entre os países.

note

A minha sala é composta praticamente por mulheres que estão aqui por que os maridos  vieram para os EUA para trabalhar ou estudar (principalmente os orientais, que vem para os EUA fazer doutorado e obter o PhD).

Outro fato que tem ajudado a praticar  o meu inglês é que vou uma vez por semana como voluntária na escola e tenho amizade com mães americanas de coleguinhas de classe do meu filho, que me ajudam com algumas expressões em inglês que as vezes eu não entendo.

Hoje percebo que não dá para aprender a se comunicar fluentemente em inglês, mesmo morando nos EUA,  se você não estudar inglês. O fato de você morar em um país onde se fala a língua inglesa não vai fazer o seu inglês melhorar se você não se esforçar para falar a língua. Sotaque você sempre vai ter, e alguns erros gramaticais também, não tem jeito, mas o importante é você conseguir se comunicar com as pessoas de uma maneira clara, que ela te entenda, conseguir desenrolar uma conversa naturalmente, sem travar! Eu brinco aqui que o único que vai voltar para o Brasil falando  inglês igual a um americano aqui em casa é o nosso filho de 6 anos, mas eu continuo estudando em busca do meu inglês fluente!!

Contato da escola de inglês:

Walled Lake Consolidated Schools Adult Education

Segue abaixo o link de alguns sites que podem  ajudar a turbinar o seu inglês!

VOA- Voice of America

inglês na ponta da língua

EngVideos

inglês online

Abracos

Juliana

Canais e sites legais para dar um UP no seu Ingles

Todos os textos desta página são de direitos autorais da autora Juliana Fontes.
A cópia de tais textos é proibida por lei. Fique à vontade para compartilhar e divulgar o blog mas não copie e cole

9 comentários

  1. Olá, parabéns pelo seu blog! Sei bem como é viver longe de casa e que escrever sobre nossas experiências ajuda muito a diminuir a distância entre a família e amigos que deixamos.
    Me identifiquei muito com seu relato, também tive muitas dificuldades para me comunicar quando morei em Columbia na Carolina do Sul. No início tentei melhor meu inglês treinando com meu marido no dia a dia e com alguns amigos que fizemos, mas alguns estavam mais interessados em aprender português, rs e eu acabava ensinando mais do que aprendendo. Tive umas aulas de conversação com uma professora particular, me ajudou um pouco. Mas, o que me ajudou e onde aprendi muito tanto gramática e conversação foi quando descobri e comecei como você o meu curso de inglês para adultos. Foi uma experiência única e incrível.
    Te desejo sucesso!
    Felicidades. . .
    Abç,
    DaniColares

    Curtir

  2. Ola Juliana. Vou com alguma frequência aos EUA pois meu filho trabalha e mora ai. Tenho muita dificuldade em encontrar um curso como esse que você descreveu pois os que encontro são muito caros. Você conseguiria me ajudar a encontrar um semelhante e intensivo na região de Phoenixville? Obrigada… Sonia

    Curtir

  3. Oi Juliana, ano passado eu descobri seu blog. Ainda não tínhamos certeza se mudaríamos para os EUA. Mas eu já estava à todo o vapor, pesquisando sobre tudo quanto é coisa, rs.
    Chegamos aqui em Março… estamos morando em New Jersey, em uma cidade chamada Woodbridge. Quando eu pensei em vir morar aqui eu pensei que eu não queria morar em uma cidade com uma comunidade brasileira grande. E meu marido concordou. Queríamos morar em um lugar com muitos nativos, para ter uma experiência mais intensa com a cultura e língua. E assim fizemos.
    Hoje completa 5 meses que estamos aqui. Ficamos quase 2 meses em hotel e em Maio conseguimos alugar um apartamento muito bom , espaçoso e confortável.
    Meu marido vai trabalhar todos os dias e tem muito mais contato com nativos do que eu. Quando estava para completar o nosso 2o mês aqui, ainda estávamos no hotel eu comecei a fazer aulas no italki. Eu me surpreendi por conseguir me comunicar e entender o que a professora nativa falava. Mas é claro que eu tinha um montão de erros de pronúncia e gramática. Mas eu pensei que eu ia travar mais.
    Maaas… é isso o que eu tenho…vídeos de diversos canais no youtube, aulas no italki e tudo quanto é conteúdo que eu encontro nos sites (alguns até que vc recomendou em outro post)… mas eu saio pouco… sempre morro de medo de sair e precisar falar em inglês… claro que eu saio e me comunico…mas travo. E eu não consegui fazer nenhuma amizade por aqui… no complexo que eu moro tem muitos indianos e árabes e eu vejo eles unidos…caminhando por aqui… conversando e me parte o coração não ter ninguém pra bater um papo.
    Eu fiquei sabendo desse curso de ESL há algumas semanas e estou aguardando pela nova turma que abrirá… e é a minha esperança de mudar isso. De me sentir mais confortável para falar com as pessoas , me sentir mais encorajada… ser menos medrosa.
    Essa semana até criei um grupo no Facebook p/ moradores daqui mas só brasileiros curiosos por saber de como é viver aqui que apareceram para entrar no grupo. Eu queria reunir moradores brasileiros daqui de Woodbridge no grupo…pra tentar fazer alguma amizade…trocar experiências. Mas sem sucesso até agora.
    Estou animada sobre o que vc falou do curso de ESL… eu espero que eu também evolua bastante.
    Um abraço e parabéns por este espaço.

    Curtir

    1. Ola Ana! Obrigada pelo comentario no blog!
      Morar em um lugar sem brasileiros tem o lado bom e o ruim. O ruim e que acabamos ficando muito isoladas, pois difeereente dos nossos maridos nao temos colegas de trabalho para praticar o ingles, o lado bom e que somos forcadas a falar ingles com os nativos e pessoas de outros paises. aqui como tem muitos brasileiros acabamo conversando muito em portugues e nao praticamos o ingles como deveeriamos. Mas, tenho que confirmer que e mesmo dificil fazer amizade com os americanos e com outros estrangeios, mas nao e impossivel e tenho certezza que o ESL vai teee ajudar muito! Procure tambem os grupos de Book club na biblioteca da sua cidade, e bem legal para praticar o inlges!

      Grande abraco e qdo quiser conversar me envia mensagem pelo Instagram do blog @morarnoseua que a gente bate um papo!

      Juliana

      Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s