5 dicas para curtir o verão em Michigan

O nosso primeiro tema do projeto #michiganporelas, que acontece toda última sexta-feira do mês lá no Instagram foi dicas de lugares para curtir o verão aqui em Michigan.

Abaixo as minhas 5 sugestões

🏕Acampar no Wilderness State Part: um dos meus states preferidos, tem localização previlegiada e fica bem próximo de Mackinac Island. Tem o céu mais estrelado que eu já vi por aqui, tanto que o local também é conhecido como “dark sky preserve” onde com noites de céu limpo e sem lua da para ver até a Via Láctea! O lugar perfeito para passar o dia na praia e encerrar com s’mores na frente da fogueira.

🏖 Passar um final de semana na charmosa Charlevoix: localizada entre as populares cidades de Traverse City e Petoskey, Charlevoix é uma cidadezinha de praia famosa pelos passeios de veleiros e o ponto de partida para o passeio de ferry até a Beaver Island. E depois de um dia de sol e praia a dica é passear pelas suas ruas floridas do centrinho no final da tarde.

🚣🏻‍♂️Passeio de caique no Crystal River em Glen Arbor: um ótimo passeio para se fazer com os amigos e a família, inclusive com crianças pequenas já que o rio é raso, tem fundo de areia e águas cristalinas e calmas. O percurso dura de 2 a 3 horas.

☀️Descer as Dunas de Silver Lake de 4X4 : aqui tem duas opções de passeio, se você tem um veículo 4X4 e habilidades em dirigir na areia pode entrar por conta própria em uma área específica das dunas e se aventurar por lá (tem que adquirir o selo ORV e a bandeira laranja). Outra opção é fazer o passeio pelas dunas com o guia da Mac Wood Dunes Ride, que também é muito legal!

🇺🇸Passar o dia no Greenfield Village: é voltar no tempo em um museu a céu aberto onde a história americana e da indústria automobilística se misturam da casa do Thomas Edson, passando pelo passeio de maria fumaça e os primeiros modelos Ford T. Neste final de semana do Memorial Day tem várias atividades no local e é uma ótima opção de passeio com a família.

Mais dicas super bacanas para curtir o verão no Instagram nos perfis das participantes do projeto #michiganporelas

@hello.from.mi @civiramae.cintialuna
@michigantravelist @cintiaborba @vidaemmichigan
@gone.journaling @mariinmichigan
@poraibatendoperna @letsgonessablog

5 curiosidades sobre Michigan

No projeto #michiganporelas deste mês o tema foi 5 fatos curiosos sobre Michigan. Os meus escolhidos foram:

🔷Michigan é formado por 2 penínsulas, a Upper e a Lower que são unidas pela ponte suspensa Macknac Bridge. É banhado por 4 dos 5 Grandes Lagos americanos sendo o segundo estado com a maior costa banhada por água, ficando atrás apenas do Alasca.

🔷Até 1837 a Upper península pertencia ao território de Illinois, porém depois da guerra de Toledo (Michigan x Ohio) a península foi incorporada ao território de Michigan que se tornou o 26th estado americano e que saiu no lucro ganhando uma área muito maior e mais valiosa repleta de minério e madeira do que o estreito de Toledo pelo qual estava brigando.

🔷Michigan é conectado com a província de Ontário no Canadá por 3 pontes e 1 túnel. A fronteira entre Detroit e a cidade de Windsor no Canadá é a mais movimentada da norte América e a Ambassador Bridge ainda é considerada a maior ponte suspensa internacional do mundo com 2.286km.

🔷Foi aqui que nasceu a Motown, gravadora fundada no ano de 1959 em Detroit e onde surgiram grandes nomes do Blues e da black music como os The Temptations, Diana Ross, The Jackson 5, Stevie Wonder entre e outros. Para quem gosta de história da música tem o Motown museum em Detroit.

🔷Existe uma imensa mina de sal com 1500 acres de extensão e mais 160 quilômetros de ruas subterrâneas a 360 metros abaixo da cidade de Detroit operada pela Detroit Salt Company há mais de 100 anos. No passado, as indústrias de alimentos e couro foram as grandes consumidora do sal de Detroit, atualmente o sal proveniente da mina é utilizado apenas para o desgelo das ruas durante o inverno.

Mais curiosidades sobre o estado de Michigan lá no Instagram nos perfis das participantes do projeto #michiganporelas deste mês @hello.from.mi @gone.journaling @civiramae.cintialuna @vidaemmichigan

Great Smoky Mountains

O Great Smoky Mountains National Park faz parte do complexo das Appalachian mountains e é o parque mais visitado aqui dos Estados Unidos. Fica localizado na divisa entre os estados do Tennessee e da Carolina do Norte e é um lugar perfeito para quem quem gosta de passeios em meio à natureza.

Fomos para a região na semana do feriado de 4 de Julho com uma família de amigos. O tempo de viagem de carro saindo de Michigan é de aproximadamente 9 horas e meia no gps, mas para nós, com as paradas no meio do caminho, levamos quase 12 horas para chegar no nosso primeiro destino, a cidade de Cherokee, localizada na borda da Carolina do Norte da montanha.

No nosso passeio pela “Smokies” optamos por quatro noites em cabana em Cherokee e duas noites em hotel em Gatlinburg do Lado do Tennessee.

O trajeto entre estas duas cidades tem aproximadamente 60km é feito pela linda estrada 441, que cruza as Smoky Mountains e é repleta de paradas com mirantes e muitas trilhas.

Tem visitor center tanto do lado do Tennessee como no da Carolina do Norte, onde eu recomendo muito a parada para pegar o mapa da região e ver as opções de passeios no local, além de aprender um pouco mais sobre a história e a sua rica biodiversidade do local. Programe-se para cruzar a montanha durante o dia.

Um dos mirantes mais populares é o Clingsman Dome, onde você sobe uma rampa até chegar em uma torre que tem uma vista 360 das montanhas.

É um passeio bem de natureza, principalmente a região de Cherokee com trilhas, rios, cachoeiras e vida selvagem. Para quem gosta mais de agito, indico ficar mais dias em Getlinburg que é uma cidade bem turística e com muitas opções de restaurantes, destilarias e entretenimento.

Cherokee

Em Cherokee nos hospedamos em uma cabana (cabin) para quatro pessoas no Jellystone Yogi Campground. A cabana estava bem limpa quando chegamos e tinha uma cama de casal, um beliche, frigobar, ar condicionado e tv. Tem

Tem que levar roupas de cama, travesseiro e toalhas. As cabanas pequenas não tem banheiro e nem cozinha, então utilizamos o banheiro do camping e montamos a nossa “estação” de cozinha ao lado da cabana da mesma maneira que montamos quando acampamos de barraca.

Comparado com o Jellystone de Michigan, este era mais apertado, com sites menores e o banheiro mais antigo.

A localização do camping era excelente, a uns quinze minutos de Cherokee e praticamente no pé da Smoky Mountains e com um rio lindo passando ao lado do campground, além de ficar pertinho da Mingo Falls, uma das cachoeiras de fácil e que dá para ir tranquilo com as crianças.

Cherokee é uma cidade bem pequena mas tem um centrinho bem turístico com lojinhas de souvenir local, sorveterias e lanchonetes de rede americana. Aqui também tem muitas opções de hotel para quem não é da turma do camping.

Uma da principais atividades que as pessoas fazem aqui além das trilhas, é fazer o chamado tubing nos rios, que nada mais é do que descer o rio de bóia. No centro da cidade tem as empresas que oferecem esse passeio que é bem divertido.

Em Cherokee tem também um museu que conta um pouco sobre a história indígena local.

Estando em Cherokee você pode conhecer a cidade de Bryson City, onde também tem uma entrada para o Great Smoky Mountain National park. Nesta área do parque também tinha muitas pessoas fazendo tubing no rio.

Aqui fizemos a trilha das 3 cachoeiras, no Deep Creek Trail, onde é possível fazer o trajeto mais longo ou o curto. A primeira cachoeira é bem pequena e está no começo da trilha bem onde o pessoal que está fazendo tubing passa com as bóias. A segunda queda já é maior e dá para descer e nadar, se bem que água estava bem gelada. A terceira queda…bem nós não chegamos a ver pois tivemos um encontro com um urso no meio do caminho.

O encontro com o urso

Vir para a Great Smoky Mountains é ter a esperança de ver um Black Bear durante o passeio, mesmo que de longe.

Durante todo o trajeto estávamos atentos à algum sinal de urso, porém encontrar um urso nas trilhas é difícil pois eles se afastam devido ao barulho das pessoas que passam por ela, mas tínhamos a esperança de ver um urso de longe, no meio da floresta, mas depois de quase 3 horas de trilha nada de urso.

Já no final da trilha, quando não estávamos mais preocupados em
encontrar um urso e sim em chegar logo pois as crianças já estavam cansadas, um urso adulto cruzou a trilha poucos metros à nossa frente. Quando ele nos viu, deu uma paradinha no meio da trilha, olhou para nós (o coração disparou mais ainda) e seguiu para o meio da floresta.

A minha reação na hora foi pegar o Thomas no colo e pedir para o Theo andar para trás sem dar as costas para o urso. Ficamos juntos e imóveis e começamos a falar uns com os outros bem alto para espantá-lo.

Foi uma emoção muito grande ver um urso em seu habitat natural, livre! Alegria misturada com medo. Fomos sortudos duplamente: em termos conseguido ver um urso e do urso não ter dado bola para gente.

Com certeza este momento foi a cereja do bolo da nossa viagem! Um momento inesquecível!

Getlinburg

Localizada no lado do Tennessee, Getlinburg já é uma cidade bem turística. Passamos 2 noites na cidade, que estava lotada!

A rua principal é repleta de restaurantes, lojas, arcades, cinemas, aquário e tudo mais o que você possa imaginar para atrair turistas. O diferencial da cidade são as destilarias, as casas de panquecas de café da manhã e os parques de “aventura” como o Anakeesta e o Ober Getlinburg.

Para que gosta de um agito na cidade vizinha de Pigeon Forge tem mais atrações como os restaurantes temáticos com shows ao vivo, parque aquático e o parque temático Dollywood.

Ficamos hospedados bem perto do centro de Getlinburg e de todas as atrações disponíveis optamos em tomar café da manhã no Log Cabin Pacake House e no Pancake Pantry. Visitamos a destilaria Sugarlands, fomos no Hollywood Star car museum e passamos o dia no Anakeesta.

O Anakeesta é um parque temático que fica no topo de uma montanha no centro de Getlinburg. O melhor maneira de chegar lá é subindo de teleférico, mas tem a opção de ônibus para quem não se sente confortável de subir de bondinho.

As principais atrações são as pontes suspensas no meio da floresta, a torre de observação que lembra uma flor, a tirolesa e o rail runner mountain coaster (que lembra uma mini montanha russa com carrinhos individuais)

O complexo da Smoky Mountains é bem extenso e se você tiver mais tempo disponível tem opção de passeios de trem , passar um dia na região de Cades Cove, além das inúmeras opções de trilhas.

Para quem viaja com crianças como nós, tem várias trilhas chamadas “kids friendly” que são de fácil acesso e que contam a história da região. A trilha localizado atrás do visitor Center de Getlinburg é bem bacana para ir com as crianças. No Oconaluftee visitor Center em Cherokee além de visitar uma típica fazenda da região, no final da noite os Elks aparecem para pastar, as crianças adoram!

Clicando neste link você irá encontrar mais informações sobre a região.

Visitar as Smoky Mountains nunca esteve nos nossos planos de viagem, tínhamos outros lugares em mente para conhecer aqui nos EUA, mas a oportunidade apareceu e sem dúvida foi uma viagem muito legal e repleta de surpresas!

Juliana Fontes

Projeto Michigan por Elas

Michigan por Elas

Quando comecei a escrever este blog no ano de 2013, havia poucas informações sobre o estado de Michigan na internet.

Quase oito anos se passaram e neste tempo muitas famílias brasileiras se mudaram para cá e assim como eu, muitas mulheres começaram a compartilhar a sua experiência de vida por aqui compartilhando muito conteúdo de qualidade, principalmente no Instagram.

Pensei então, que legal seria juntar todas, cada uma com a sua experiência e o seu olhar e compartilhar o conteúdo que temos em comum, já que somos brasileiras e por coincidência do destino viemos morar no mesmo estado nos Estados Unidos!

Assim surgiu o projeto “Michigan por Elas” onde toda última sexta-feira do mês compartilhamos um post com um tema em comum sobre Michigan lá no Instagram.

Já abordamos dois temas no projeto. O primeiro foi “5 dicas para curtir o verão em Michigan” e o segundo “5 curiosidades sobre Michigan”.

Então, se você quer saber mais sobre o Great Lake State, corre lá no perfil das participantes do projeto no Instagram, e aproveita para deixar um like e um comentário nos posts do projeto, além de seguir a hashtag #michiganporelas

Abaixo segue o perfil do Instagram das participantes:

Juliana @morarnoseua

Karina e Alê @hello.from.mi

Cíntia @civiramae

Emanuela @gone.journaling

Cíntia @cintiaborba

Cris @vidaemmichigan

Mari @mariinmichigan

Ramone @poraibatendoperna

Van @letsgonessablog

Ana @michigantravelist

Isadora @avidalongedecasa

@morarnoseua

@morarnoseua

5 Top Destinos de Michigan

Pouco falado no Brasil, o estado de Michigan é repleto em beleza natural e pode te surpreender.

Praias de Michigan

Sim estamos longe do oceano mas temos praias de água doce que parecem o mar! Michigan é banhado por 4 dos 5 grandes lagos americanos então por aqui você irá encontrar cidades de praia charmosas como Traverse City, Mackinac Island, Charlevoix, Grand Haven, Saint Joseph entre outras.

Grand Haven -MI

Sleeping Bear Dunnes National Lakeshore

Aqui você encontrará dunas enormes com uma vista espetacular do lago Michigan além de rios com águas cristalinas, trilhas em meio a natureza e charmosas cidades praianas como Glenn Arbor, Empire e Leland.

Sleeping Bear Dunes

Região da Upper Península

Famosa pelos passeios de barco ou caiaques que beiram os paredões do Pictured Rocks National Lakeshore, é a região mais rústica de Michigan com muitas cachoeiras, praias e trilhas durante os meses de calor. Durante o inverno atividades inusitadas como escalar as cachoeiras congeladas (ice climbing) e snowmobiling são opções para os mais aventureiros.

Pictured Rocks na Upper Península de Michigan

Detroit

Aqui nasceu a indústria automobilística americana e é onde você encontrará os principais eventos culturais e gastronômicos do estado. Excelentes museus como o Henry Ford, o Greenfield Village e o Detroit Institute of Arts são ótimas sugestões de passeios assim como a região de downtown que está todo renovada.

Detroit -MI

O outono de Michigan

Não é um destino específico mas entre a segunda semana de Setembro e a terceira semana do mês do Outubro as cidades e os parques se transformam com as cores do outono. As árvores com suas folhas laranjas, amarelas e vermelhas dão um toque mais que especial a paisagem. Visitar cidades como Petoskey na região da Little Traverse vai ao norte da Lower península é uma ótima opção para esta época do ano.

Outono em Michigan

Vale lembrar que temos as 4 estações do ano bem definidas aqui em Michigan com um inverno rigoroso com temperaturas abaixo de zero e neve entre os meses de novembro a início de março.

Portanto a melhor época para vir visitar é entre os meses de maio à outubro, pegando assim o final da primavera quando as temperaturas já estão mais agradáveis, passando pelos meses quentes de verão e finalizando com as cores e o clima mais ameno do outono.

Abraços

Juliana

De Las Vegas ao Grand Canyon de Motorhome

Aproveitamos a semana do Spring Break aqui nos EUA para fazer uma viajem que sempre tivemos vontade: uma road trip de motorhome.

Sei que estamos no meio de uma pandemia e dos riscos em se fazer uma viagem aérea no momento, mas tomamos todos os cuidados possíveis durante a viagem como o uso de máscara, evitamos os restaurantes e mantivemos o distanciamento social, ficando apenas entre a nossa família.

Quem nos acompanha por aqui sabe que já acampamos há bastante tempo de barraca em Michigan e algumas vezes de trailer mas esta viajem teve um gostinho especial pois fizemos o trecho de Las Vegas ao Grand Canyon National Park em um motorhome pela rota 66.

Fechamos a viagem com aproximadamente 2 meses de antecedência. Primeiro reservamos os voos para Las Vegas e os hotéis através do site Expedia onde encontramos preços bem convidativos. Em seguida fizemos a reserva do site no campground que fica dentro do Grand Canyon National Park, o Mather Campground que fica no South rim.

Nossa casa sobre rodas!

Vale lembrar que conseguir vaga neste campground é super concorrido e normalmente as reservas tem que ser feitas com no mínimo de 6 meses de antecedência, porém demos sorte e conseguimos vaga em cima da hora (provavelmente por ter menos pessoas viajando por causa da pandemia)

Site no camping reservado, fomos à procura de um motorhome no site do Rvshare.com, onde depois de muita busca encontramos um motorhome classe C para 5 pessoas ano 2021, novinho e com kilometragem ilimitada! Tudo conspirando a nosso favor para a viajem!!

Voamos de Michigan para Las Vegas no estado de Nevada onde passamos a nossa primeira noite. No dia seguinte pegamos um táxi do hotel até o local combinado com o proprietário para pegar o motorhome com quem conseguimos negociar early pickup e late check out para poder aproveitar bem o dia com o motohome.

O valor da diária de um RV (Recreational Vehicles) varia de acordo com o tipo, o tamanho, ano de fabricação, se é baixa ou alta temporada e quantidade de dias de locação. Pagamos $157 dólares por noite pelo motorhome.

Neste valor tem que adicionar a taxa de limpeza e dumping ($150), taxa de quilometragem onde pagamos $60 por milhagem ilimitada o que foi um achado pois na grande maioria dos RVs está incluso no valor do aluguel apenas 100 milhas rodadas e a partir daí tem uma cobrança adicional por milha Extra que você anda (de $0.5 a $1.00/milha em média ). No valor do aluguel está incluso 1 hora do uso do gerador para recarregar as baterias do RV, se passar deste tempo tem uma cobrança média de $5 por hora extra de uso.

Paga-se também taxa de serviço ($47), seguro ($95) e imposto ($47). Foi necessário deixar um depósito de segurança de $1000, que foi devolvido quando retornamos o veículo.

No final, duas noites no Motorhome saiu por mais de $700 dólares. A brincadeira não é barata, mas a experiência vale a pena!

Depois de uma aula com o proprietário sobre o funcionamento do veículo, saímos com a nossa casinha com destino a nossa primeira parada: O Walmart. Paramos no supermercado para comprar alimentos para os próximos 3 dias em que ficaríamos na estrada.

O RV era bem equipado com itens de cozinha, limpeza, roupas de cama, travesseiros, cobertores e toalhas (todos novos e higienizados). Dentro do National Park, próximo da área do camping também tem uma General Store (mercadinho) caso houver necessidade.

Retiramos o motohome já com o reservatório de água cheio, o que deixou o veículo um pouco mais pesado para dirigir (imaginem litros de água indo de um lado para o outro na estrada) e pegamos muito vento lateral na estrada, então é bom estar atento ao volante.

Hoover Dam, parada obrigatória à caminho do Grand Canyon

A nossa primeira parada foi na Hoover Dam, que fica há aproximadamente 1 hora de Las Vegas. Fizemos o passeio pela área externa da barragem. Depois seguimos até a cidade de Kingman onde ao invés de seguir pela Intersate 40, pegamos os desvio para a famosa rota 66.

Entrando no trecho da Rota 66 entre Kingman e Williams no Arizona

Fizemos o trecho da rota 66 que passa por Kingman, Peach Springs, Seligman e Williams. São cidades bem pequenas de beira da estrada (tipo piscou passou) onde tudo remete a famosa estrada inaugurada em 1929, que hoje é considerada uma estrada história aqui nos Estados Unidos, que ligava a cidade de Chicago no estado de Illinois à Santa Monica na California. Lanchonetes que remetem à década de 50, postos de gasolina, motéis antigos e gift stores fazem parte deste trajeto.

Route 66

Este trecho da rota 66 entre Kingman e o Grand Canyon South Rim leva aproximadamente 3 horas e meia sem contar as paradas para ser feita, então pode dobrar este tempo se for considerar as paradas para comer, tirar fotos e entrar nas lojas. A estrada estava em excelentes condições e com pouquíssimo movimento de carros (diferente da interstate que é sempre bem movimentada e tem muitos caminhões)

Passamos por este trecho da estrada já no início da tarde, então algumas lojinhas já estavam fechando. Quando passamos por Williams no início da noite, a cidade estava toda iluminada e tinha bastante movimento nas ruas mas não paramos, passamos direto pois de lá até a entrada do Grand Canyon dá uma hora de estrada, agora pela estrada 64.

Se pudesse refazer o roteiro, ao invés de pegar o RV e já partir em direção do Grand Canyon, teria adicionado um dia a mais na viagem e passado a primeira noite com o RV em Kingman, iniciando o trecho da rota 66 no dia seguinte pela manhã e assim feito mais paradas sem pressa pelo caminho chegando no Grand Canyon antes de anoitecer.

Rota 66 em Seligman, Arizona

Chegamos no Grand Canyon South Rim por volta da 8:30 da noite. Como já havia comprado o passe para entrada no parque online, passamos direto pela portaria ($35 por carro válido por 7 dias). Durante o dia a fila para entrar no parque é enorme (vimos quando deixamos o parque), pois muitas pessoas e grupos de passeios vão para lá passar apenas o dia.

A vantagem de estar de RV é que e só estacionar no site e está tudo pronto, diferente de acampar de trailer onde tem que fazer todo o setup (nivelamento) ou de barraca onde temos que montar tudo do zero e encher os colchões por exemplo.

Quando o RV esta estacionado se abre este slide lateral para aumentar a area de dentro do motorhome.

Porém, qual seria a graça de uma viagem sem alguns imprevistos ou perrengue?

Quando reservei o camping no Grand Canyon, eu sabia que os sites no Mather campground eram considerados rústicos, isto é, não tinham ponto de energia elétrica, de água e esgoto no site. Mas como o RV tinha gerador, estávamos tranquilos com relação ao uso do chuveiro, aquecedor e fogão os quais poderiam ser usados no modo elétrico ou á gás. Porém não me atentei as restrições com relação ao horário para poder usar o gerador do RV no camping.

Os geradores só podiam ser ligados entre às 7 e 9 horas da manhã (pessoal de camping acorda cedo para aproveitar o dia e ir para as trilhas) e entre as 6 e 8 horas da noite (horário de banho e jantar).

Chegamos no camping por volta das nove da noite e já fomos ligando o gerador para poder usar água quente para tomar banho, aquecer o RV (pois estava frio) e preparar o jantar. Pouco tempo depois, o guarda do parque bateu na nossa porta pedindo para desligarmos o gerador (imaginem o nosso susto com alguém batendo na nossa porta a noite no meio do mato!)

Bom, tínhamos a opção de usar o sistema de gás para tomar banho, dar uma aquecida no motorhome e fazer o jantar, o problema é que a quantidade de gás do motorhome é limitada.

Ficar com o gerador desligado não seria um problema se estivéssemos acampando em um lugar quente ou durante o verão. O problema foi que nesta época do ano (início de Abril) ainda faz muito frio no Grand Canyon durante a noite. Na semana anterior a nossa chegada chegou a nevar por lá e nas duas noites em que ficamos no camping chegou a fazer menos 2 graus de madrugada! Resumindo, com o aquecimento desligado durante a noite passamos frio mesmo com os cobetores que tínhamos no RV.

Qual teria sido a solução? Pijamas compridos de inverno para todos e sacos de dormir próprios para o inverno, que não tínhamos conosco claro.

S’mores depois do jantar

Na segunda noite, juntamos todos os cobertores e dormimos todos juntinhos na cama de casal para assim passar menos frio, e olha que somos acostumados com o frio pois moramos em Michigan, onde o inverno é para os fortes!

E só por curiosidade, tinha bastante gente acampando de barraca, mesmo com o frio, é tudo uma questão de estar bem preparado com sacos de dormir para baixas temperaturas, lanternas e gás extra para fogareiro, que é possível acampar até de barraca.

Nosso site site no Mather campground (número 92, enorme, próximo do banheiro e com ponto de água potável do lado do site)

Falando um pouquinho sobre o Mather Campground, mesmo ele sendo considerado rústico tem pontos de água potável disponíveis, banheiro com chuveiro quente e pia de uso comum para lavar louça para quem está de barraca. Os sites são bem grandes o que dá bastante privacidade e tem mesa de piquenique e área para fogueira em cada site.

O que deixou um pouco a desejar foi a área da Dump estation, que é onde se abastece os RVs com água e onde se limpa o esgoto antes de ir embora, que era bem pequena para um camping grande como este. Com certeza a fila de RVS para usar a dump station durante a temporada deve ficar bem grande.

O horário de check-in no campground é às 12PM e check-out as 11AM. Os sites são para motorhomes de até 30 feet e trailers até 27 feet de comprimento. O valor por noite foi de $18 dólares e a reserva foi feita pelo site oficial dos Parques nacionais, o Recreation.com.

Sobre o passeio no Grand Canyon, qualquer foto ou video que você ver aqui ou na internet não fará juz a grandiozidade e a beleza deste lugar!

Já havíamos visitado o Grand Canyon West na nossa última viagem para Las Vegas em fevereiro de 2020 (um pouco antes da pandemia ), que também é super bonito e uma ótima oportunidade para quem está em Las Vegas e quer conhecer o Grand Canyon mas não tem tempo de ir até o South Rim. Mas tenho que admitir que o trecho do Grand Canyon que fica dentro do parque Nacional é simplesmente espetacular!!

Fizemos o “The Rim Trail”, que é a trilha mais fácil e que dá para fazer com crianças tranquilamente, inclusive com o carrinho. Deixamos o nosso RV no estacionamento do visitor center e fizemos o trecho da trilha que vai do Mather point até a Vila margeando toda a borda do canyon. Fizemos este trecho sem pressa, parando praticamente em todos os mirantes e com pausas para lanchinho que tínhamos na mochila. No caminho tinham placas explicativas sobre a formação e a história do Grand Canyon e um museu geológico. Levamos aproximadamente 3 horas para fazer este trajeto.

Em pontilhado está o trecho do Rim trail que fizemos, com as paradas nos mirantes e sem pressa. Levamos por volta de 3 horas para fazer com as crianças

A idéia inicial era voltar de ônibus da Vila para o vistor center, onde estava estacionado o nosso motorhome, porém devido às restrições do COVID os ônibus que circulam pelo parque não estavam funcionando neste trecho (apenas a linha vermelha que vai para o Hopi Point e Hermit Rest estava em funcionamento no dia em que estávamos lá), então tivemos que refazer todo o caminho de volta a pé mesmo. Dessa vez, sem as paradas nos mirantes, levamos aproximadamente 1 hora para fazer o percurso de volta. As crianças cansaram e nós também e este foi o segundo perrengue da viagem.

The RIM Trail – tranquilo para fazer com crianças

Por causa disso não fizemos o trecho que vai da Vila para o Hermit Rest Point no período da tarde como havíamos planejado e decidimos passar o final da tarde no nosso campsite mesmo, descansando e preparando a fogueira e o jantar.

Quando viajamos com crianças nem sempre o roteiro que temos na cabeça sai como programado e temos que ajustar as nossas expectativas para que todos possam curtir a viagem.

Por causa disso eu acrescentaria também uma noite a mais no Grand Canyon para poder fazer o resto da trilha que faltou. E para quem quer fazer tudo o que tem lá com calma e ainda curtir os momentos de descanso no campground eu recomendo pelo menos 3 dias inteiros no parque.

Outra trilha bem famosa é a Bright Angel Trail, que sai da Vila e que tem vários níveis de dificuldade, mas o início dela é considerado fácil e dá para fazer com crianças maiores que gostam de andar. Não programamos em fazer esta trilha mas vi várias crianças (de 8 anos para cima aproximadamente) descendo com os pais. Cabe lembrar que não é possível descer até a base do Canyon lá no rio Colorado, esta é uma trilha de alto grau de dificuldade, onde é necessário passar a noite na base do Canyon e tem que ter uma autorização especial para fazê-la.

A Vila do Grand Canyon é ponto de chegada principal do parque e onde estão localizados os hotéis, restaurantes e lojas de souvenirs do Grand Canyon. Estava bem movimentada quando chegamos lá, porém com limitação de pessoas dentro das lojas e o uso de máscara era obrigatório. É também onde fica a estação de trem que vem de Williams.

Para quem não conseguir camping ou hospedagem dentro do parque tem muitas opções de hotéis, inclusive campgrounds em Tusayan, cidade que fica pertinho da entrada do National park e onde inclusive tem outro visitor center do parque e o cinema Imax.

Outro lugar de hospedagem é em Williams onde inclusive é o local de saída do passeio de trem que vai direto para o Grand Canyon. Deve ser um passeio muito legal para se fazer, principalmente com as crianças, mas um bate e volta deve ser muito corrido, pois o trem tem hora para deixar o parque. O ideal seria ir de Williams até o Grand Canyon de trem, passar a noite em alguns dos hotéis que tem dentro do parque (na Vila) e voltar para Williams no trem do dia seguinte.

Route 66 em Williams, Arizona

Depois de passarmos 2 noites dentro do parque, chegou a hora de voltar. Tínhamos que devolver o RV no final da tarde, então saímos logo depois do café da manhã. Desta vez fizemos uma parada em Williams para conhecer a cidade que é um clássico da rota 66 e uma das que inspiraram o filme Carros da Disney (assim como Seligman).

De lá voltamos para Las Vegas direto pela Interstate 40 (se bem que a vontade era passar novamente pela rota 66). Já havíamos reservado um carro pelo site Turo com pick up próximo ao local de retorno do RV. Assim dissemos tchau para a nossa casinha sobre rodas. Com certeza foi um passeio inesquecível e que valeu muito a pena, mesmo com toda a correria.

Sobre a melhor maneira de se chegar ao Grand Canyon, optamos por Las Vegas pois as passagens aéreas estavam com preços melhores, mas uma outra opção de roteiro é voar para Phoenix no Arizona, locar um RV lá e fazer a rota por Sedona, o que deve ser também um passeio incrível.

Espero que tenham gostado deste post! Fiquem a vontade para deixar comentários e compartilhar com os amigos!

Para quem quer saber mais um pouco sobre acampar aqui nos Estados Unidos, aqui no blog você irá encontrar mais posts sobre o assunto, é só clicar nos links abaixo.

COMO E ACAMPAR NOS EUA

ACAMPANDO DE TRAILER EM MICHIGAN

ACAMPAMENTOS DE VERAO EM MICHIGAN

Abraços

Juliana Fontes

Todos os textos desta página são de direitos autorais da autora Juliana Fontes.
A cópia de tais textos é proibida por lei. Fique à vontade para compartilhar e divulgar o blog mas não copie e cole.

Live: Adaptação nos EUA – Serie Consulado na sua casa

Ontem foi um dia muito especial para mim. Depois de mais de 7 anos compartilhando com vocês aqui no blog a minha experiência de vida aqui nos Estados Unidos, fui convidada pelo cônsul geral Benoni Beli e pela Cintia Luna, autora do blog civirmae.com para uma conversa no canal do YouTube do Consulado-Geral do Brasil em Chicago sobre o nosso processo de mudança e adaptação aqui nos EUA. A conversa ficou bem bacana e convido à todos vocês para irem lá assistir, é só clicar no link abaixo.

Live Consulado na sua casa: adaptação nos EUA

Live Consulado na sua casa

Abraços a todos

Juliana Fontes

Hoje completamos 7 anos nos EUA

Hoje, 11 de Novembro, fazem exatos 7 anos que chegamos em Michigan com 6 malas na mão, sem casa, 1 filho, um inglês bem ruinzinho, muitas expectativas, aquele friozinho na barriga pelo desconhecido e um gostinho de “conseguimos”!

Neste sete anos de relacionamento com o nosso novo país tivemos fases de empolgação, deslumbramento, algumas decepções e muito, muito aprendizado.

Resiliência foi uma palavra que entrou definitivamente no meu dicionário desde que deixamos o Brasil.

Teve momentos de “eu pertenço à este lugar” intercalado com momentos de “o que eu estou fazendo aqui?”

Pontos positivos, pontos negativos……Poderia fazer uma lista gigante dos dois aqui mas sinceramente, isso não importa.

Todo o processo pelo qual passamos nestes últimos 7 anos é muito mais complexo e intenso do que uma simples comparação entre Brasil X EUA.

(Pausa no texto para escutar a famosa frase: “você fala isso porque mora aí, volta para cá pra ver como é” 🤭)

O grande problema é essa nossa procura incessante pelo lugar perfeito, o clima perfeito, a casa perfeita, a escola perfeita, o povo perfeito, o país perfeito …. a vida perfeita.

Bobagem…

Olhe ao seu redor, olhe para aqueles pequenos momentos que fazem os seus olhos brilharem, o sorriso aparecer e o seu coração bater mais forte.

É isso o que importa, independente do lugar do mapa mundi em que você está.

Se é o SEU desejo, mude de casa, de cidade, de país. Siga os seus sonhos, experimente, mas lembre-se que também está tudo ok se você estiver bem e realizado onde está agora.

Não compare a sua vida com a do vizinho.

Seja gentil com você e com as pessoas à sua volta.

Seja grato.

Você pode estar nos EUA, no Brasil ou no Japão, o que faz o lugar não é o lugar em si … é você!

Acampando de Trailer

O verão já está se despedindo de Michigan, mas eu não poderia deixar de registrar aqui no blog como foi a nossa experiência acampando pela primeira vez de trailer.

Nós e a nossa “casinha”

Durante os meses de verão é super comum as pessoas acamparem de barraca (tent camp) ou com os chamados RVs aqui em Michigan (abreviacao para Recreational Vehicle, o que seria “veículo recreacional em português). Existem diferentes tipos de RVs como os motorhomes, trailers, campervans, popup camper, truckcampers, etc.

Acampar de RV durante o verão é praticamente um estilo de vida por aqui e as famílias que possuem RV e que acampam com bastante frequência são até chamadas de “camper family”.

Aqui em Michigan temos mais de 130 parques estaduais com áreas próprias para camping, além das dezenas de campings privados. O valor de uma diária em um camping varia entre $30 e $50 dólares e o ambiente é sempre bem familiar e seguro, o que favorece muito este estilo de viagem por aqui.

Tipos de RVs

Optamos por um trailer pois não queríamos nada muito grande (como um motorhome) e por termos uma caminhonete com engate, puxa-lo não seria problema. Na verdade queríamos um até menor, mas não achamos nenhum disponível para a data da nossa reserva no camping.

Tem a opção de locar o RV de empresas de locação ou diretamente com os proprietários particulares que locam seus veículos através de sites como o RVShare e o Outdoorsy. O valor médio de uma diária de um trailer pode variar entre $100 a $200 e vai depender do tipo de trailer, ano de fabricação, estado de conservação e se é alta ou baixa temporada.

Para quem não tem como puxar o trailer e não quer locar um motorhome (devido ao tamanho ou preço por exemplo), tem proprietários que oferecem o serviço de levar e montar o trailer no campground que você fez a reserva.

Nosso trailer montado no site

Acabamos locando o nosso pelo RV share e a experiência foi ótima. O trailer tinha 25 pés de comprimento e estava em ótimas condições, limpo, com todos os acessórios incluídos como utensílios de cozinha, cadeiras de camping, tapete externo e tudo mais. O trailer que locamos tinha beliche para os meninos e uma cama tamanho king (que ficava na parte de traz do trailer que expandia), cozinha, banheiro e um sofá (que virava uma outra cama). A cozinha era equipada com fogão a gás com 3 bocas, forno, microondas e geladeira com freezer. O trailer tem sistema de aquecimento a gás e elétrico.

Retiramos o trailer na casa no proprietário que ficava no caminho para o nosso destino de viagem. Uma boa estratégia é locar o trailer próximo do local do campground pois menos tempo com o seu carro puxando o trailer significa economia de combustível. Além disso, algums proprietários colocam um limite de kilometragem que você pode rodar com o trailer por dia.

No dia da retirada, o proprietário deu uma aula sobre o funcionamento do trailer e como fazer a “montagem” dele no camping. Não é só estacionar e está pronto, tem que abastecê-lo com água assim que chegar no camping, deixar o trailer nivelado no site, desconectar do engate do carro. Olhando parece simples mas na hora de fazer é outra história e convenhamos que manobrar uma caminhonete com um trailer atrás requer uma certa habilidade ao volante. Na hora de ir embora tem que fazer todo o procedimento novamente, só que no sentido contrário e estavaziar o reservatório de água (se sobrou) e de esgoto.

As placas laranjas são usadas para nivelar e estabilizar o trailer no lugar

Nos campings dos States Parks de Michigan a maioria dos sites tem ponto de energia elétrica (30amp) no próprio site (com exceção dos rustics), porém não tem ponto de água (existem pontos de água espalhados pelo campground para uso comum). Existem alguns sites chamados de Full Hookup, que são sites exclusivos para RVs no qual você conecta o seu RV diretamente na rede de água e esgoto do campground, assim ele funciona como uma casa e você não precisa se preocupar com o consumo de água e com o esgoto. Também neste tipo de site, o ponto de energia elétrica tem uma aperagem maior (30 e 50-amp) para suportar, principalmente, o sistema de ar condicionado dos RVs grandes.

Resumindo:

Site Full Hookup : tem energia, água e esgoto no próprio site.

Site Parcial Hookup: tem energia e água no próprio site mas não tem acesso para esgoto

Black Water: é água proveniente do vaso sanitário do banheiro do RV

Gray water: água proveniente da pia e do chuveiro do RV

Mas como nos states parks é difícil conseguir estes sites, ficamos no mesmo tipo de site de quando acampamos de barraca. Assim que chegamos no camping abastecemos os tanques com água potável e controlamos o consumo para ela durar os três dias de acampamento. Se água acabar antes, tem que reconectar o trailer na caminhonete e leva-lo novamente até a Dump station para reabastece-lo com água novamente. Na hora de ir embora, esvaziamos o tanque de esgoto (sewer tank) antes de pegar a estrada.

Para quem quiser saber como é uma dump station, este trechinho do filme RV mostra de uma maneira bem engraçada.

Nem preciso dizer que as crianças adoraram o trailer, é como estar dentro de uma mini casa. O conforto de dormir em uma cama e ter um banheiro privado é, para mim, principal vantagem de se acamapar de RV, mas com certeza vamos continuar acampando de barraca durante os meses de verão e locaremos um RV novamente para algum camping “mais especial” e esta também é uma ótima opção para os meses de Setembro e Outubro quando começa a ficar mais frio por aqui.

Estava com saudades de escrever por aqui!

Abraços

Juliana Fontes

Uma vez
Mensal
Anualmente

Gostou do post? Ficarei muito feliz com o seu incentivo a minha escrita!

Fazer uma doação mensal

Fazer uma doação anual

Escolha um valor

$5.00
$15.00
$20.00
$5.00
$15.00
$100.00
$5.00
$15.00
$100.00

Ou insira uma quantia personalizada

$

Agradecemos sua contribuição.

Agradecemos sua contribuição.

Agradecemos sua contribuição.

DoarDoar mensalmenteDoar anualmente

Siga-nos no Instagram @morarnoseua

Para quem tem interesse pelo assunto, este link mostra os diferentes tipos de campings

Michigan best rustic Campgrounds

https://www.rvtripwizard.com/

Lugares imperdíveis de Michigan

E é verão em Michigan!!! Temos que comemorar pois depois de 6 meses de frio e quarentena devido ao Coronavírus e que mais queremos no momento é aproveitar o clima quente do lado de fora!

Porém este ano, teremos que nos reinventar e aprender a curtir o verão que está por vir de uma maneira diferente, já que devemos evitar aglomerações. Por sorte Michigan é um estado com muitos parques e natureza o que nos dá muitas possibilidades de atividades outdoor durante os meses de verão.

E já que por enquanto viajar “in person” está limitado, vamos viajar virtualmente por alguns lugares bem bacanas de Michigan juntos?

HOLAND

Está foto foi tirada em 2017 na cidade de Holland aqui em Michigan, onde nesta época do ano estaria acontecendo o tradicional Tulip Festival.

A cidade fica linda com as cores das tulipas espalhadas por ela, além das barraquinhas de comidas e artesanatos. Para quem nunca foi, fica aqui esta dica de passeio para a primavera de 2021.

TAHQUAMENON FALLS

E nesta segunda foto da nossa viagem virtual por Michigan está uns dos “must-see places” de Michigan: o Tahquamenon Falls State Park que fica localizado na Upper Península. Estivemos lá em 2015 e a atração principalmente deste parque é o Tahquamenon River com as suas duas cachoeiras.

Não crie expectativas de que você vai encontrar quedas d’água enormes, elas são pequenas (principalmente se o seu padrão de cachoeira for Niágara Falls ou Foz do Iguaçu) mas o lugar é muito bonito, vale muito a pena visitar e encaixar junto com uma viagem à Pictured Rocks.

Fomos no mês de Junho e ainda estava friozinho por lá. Os meses de Julho e agosto são os melhores no quesito temperatura mas se eu pudesse escolher uma época para ir, eu escolheria o final do mês de Setembro, pois este lugar com as cores do outono deve ser espetacular!!

SILVER LAKE

Dunas em Michigan? Sim, nós temos, várias por sinal e um dos lugares mais legais com dunas por aqui é em Silver Lake.

Todos os anos incluímos Silver Lake Sandy Dunes nas nossas férias de verão aqui em Michigan pois, além de ter várias opções bacanas de campgrounds, tem atividades para todos os gostos e idades. Tem prainha calminha com playground praticamente na areia para as crianças, tem praia com onda e farol de frente para o lago Michigan (sim é lago, sim parece mar, sim a água é gelada).

Tem trilhas, pista de kart, possibilidade de locar barco, jet ski, caiaque e para os aventureiros, a cereja do bolo de Silver Lake é que você mesmo pode dirigir um veículo 4X4 nas dunas que pode ser o seu veículo ou um locado no local.

Uma dica que vale para todos os destinos de verão aqui em Michigan: façam a reserva da sua hospedagem com antecedência! Tudo aqui lota no verão, para terem uma idéia, fizemos a reserva no campground do Silver Lake state park para o mês de Julho em fevereiro deste ano. Os hotéis aqui também lotam, principalmente nestes destinos mais procurados nos meses de verão.

MACKINAC ISLAND

O destino de hoje é Mackinac Island, uma pequena ilha que fica bem na divisa entre a Lower e a Upper península daqui Michigan.

É um lugar bem bonito e diferente para se conhecer, começando que por lá não circulam carros. Para se chegar na ilha é necessário deixar o carro em Mackinaw City e pegar um ferry boat. Por lá os únicos meios de transporte são as charretes puxadas à cavalo ou bicicletas, muitas bicicletas!

O passeio mas bacana para se fazer por lá é dar a volta inteira na ilha de bike e ir parando pelo caminho para apreciar a vista e até fazer um picnic improvisado (com o que couber na mochila, pois você estará de bicicleta). A cidadezinha é repleta de casarões antigos, muitos deles transformados hoje em pousadas estilo bed&breakfast ou em restaurantes.

Uma curiosidade: o filme “Somewhere in time” (“Em algum lugar do passado” em português) de 1980 com o Christopher Reeve, foi filmado lá no Grand Hotel Mackinac Island.

PICTURE ROCKS

Picture Rocks National Lakeshore Park fica localizado na cidade de Munising na upper peninsula de Michigan. A maior atração do lugar é fazer o passeio de barco para apreciar as formações rochosas que se formam as margens do Lake Superior (o maior dos 5 grandes lagos)

Estivemos lá no final do mês de Junho de 2015 e pegamos dias de chuva e frio em

Pleno verão de Michigan mas tivemos a sorte de fazer o passeio de barco um pouco antes do tempo fechar por lá. Se você puder escolher o ideal é fazer este passeio no final da tarde para pegar o sol batendo nos paredões rochosos e conseguir ver os diferentes tons de minerais nas rochas.

A estrada (H58) que vai de Munising até Grand Marais é repleta de pontos de parada para acessar praias, cachoeiras e mirantes com vista para as Pictures Rocks.

Não se esqueçam de pegar o mapa no visitor center e de levar muito repelente (brinco que os mosquitos de lá não picam, mordem). E da para aproveitar esta viagem e dar um pulinho na cidade de Marquete que fica bem pertinho de Munising.

PETOSKEY

Petoskey é uma daquelas cidadezinhas de Michigan que todo mundo deveria conhecer. Ela está localizada na região conhecida como little traverse, um lugar lindo no quesito natureza principalmente durante o verão e o outono. Tanto em Petoskey como em toda a região a sua volta tem muita coisa para fazer em todas as estações do ano.

No verão a dica é curtir a praia do Petoskey state park, passear no final de tarde no Bayfront Park, tomar sorvete no centrinho e jantar em um dos restaurantes charmosos da cidade.

No outono um passeio imperdível é percorrer o trecho da estrada M119 entre Harbor Springs e Cross Village conhecido com “Tunnel of Trees”. É lindo, principalmente se você conseguir pegar a época do pico das cores do outono (primeira quinzena de outubro). Não deixe de dar uma parada na Pond Hill Farm, que durante o outono fica repleta de abóboras e dá para comer donuts de canela com suco de maçã em volta da fogueira ou tomar uma taça de vinho produzido no local.

Durante o inverno, para quem gosta de esportes na neve como ski e snowboarding o Boyne Mountain Resort fica bem pertinho de Petoskey e é lá que fica o Avalanche Waterpark, considerado o maior parque aquático indoor de Michigan.

Como sempre, programem a viagem com antecedência para garantir hospedagem na região. Não deixe de passear em Charlevoix que também é uma gracinha e de “caçar” a sua Petoskey stone.

TRAVERSE CITY

Traverse City e a Leelanau Peninsula é um dos destinos de “praia” mais concorridos durante o verão aqui em Michigan.

Além das praias e do centrinho repleto de lojas, restaurantes (não deixem de experimentar a torta do Grand Traverse Pie Company), tem muita coisa para se fazer por lá como trilhas de bike, passeios de barco, cervejarias e o histórico The Village Grand Traverse Commons. No mês de Julho tem o Festival da Cereja e em Novembro a Beer Week.

Pelos arredores de Traverse, uma sugestão de passeio é ir de carro no sentido Leland (M22) beirando o Leelanau lake. Depois de passear por Leland, que é uma gracinha, seguir viagem até a ponta da península no Leelanau State Park e na volta vir por Northport. Outra dica de passeio é fazer um tour pelas vinícolas na chamada Old mission peninsula (M37)

E vale lembrar que Traverse está a apenas 40 minutos do Sleeping Bear Dunes National Lakeshore.

SLEEPING BEAR DUNES NATIONAL LAKESHORE

Sleeping Bear Dunes National Lakeshore é para mim o destino mais imperdível de Michigan! É um lugar que todos que moram aqui em Michigan tem que visitar pelo menos uma vez na vida e uma ótima opção de viagem para surpreender as visitas durante o verão!

O parque cobre uma área de aproximadamente 56 km margeando a costa do lago Michigan, com diversas trilhas para bike e hiking, canoagem em rios cristalinos, praias, florestas e dunas. Você encontra também vilinhas históricas como Glen Haven (tem um Museu marítimo por lá) e o Port Oneida Historic Farm. O visitor center fica localizado em Empire e eu indico fortemente dar uma passada por lá antes de começar a explorar a região e ainda tem um pequeno museu no local contando um pouco da história e geografia do lugar.

Glen Arbor é outra cidadezinha charmosa que fica dentro da área de Sleeping Bear e onde você encontra um dos lagos mais azuis de Michigan, o Glen Lake.
Mas com certeza, a atração principal de Sleeping Bear é escalar o “dune Climb” e subir de carro pelo Piercing Stocking Scenic Drive. Terá vários mirantes durante o trajeto de subida mas o último, Dune Overlook (antes de começar a descer) é o lugar de onde você terá uma vista de tirar o fôlego do lago Michigan (até a data de hoje, 24 de Junho, o acesso ao Scenic Drive e às ilhas Manitou continuavam fechados devido ao Covid-19). Também indico fazer a trilha do Empire Bluff no final do dia. O pôr do sol de lá é lindo, dá para ir tranquilo com as crianças e você consegue ter uma outra vista das dunas de Sleeping Bear.
Como opções de hospedagem tem hotéis e bed&breakfast na cidades de Empire e Glen Arbor, algumas opções de campgrounds (concorridíssimos) e casas de veraneio para locar, o que compensa para grupos de amigos. Também vale a pena locar um barco ou jet Ski no Glen Lake para curtir um dia na água e para quem gosta, pescar.

Espero que tenham gostado do post!

Abracos

Juliana Fontes

Uma vez
Mensal
Anualmente

Gostou do post? Ficarei muito feliz com o seu incentivo a minha escrita!

Fazer uma doação mensal

Fazer uma doação anual

Escolha um valor

$5.00
$15.00
$20.00
$5.00
$15.00
$100.00
$5.00
$15.00
$100.00

Ou insira uma quantia personalizada

$

Agradecemos sua contribuição.

Agradecemos sua contribuição.

Agradecemos sua contribuição.

DoarDoar mensalmenteDoar anualmente

COVID-19- Michigan em Isolamento Social -Atualizado em 3 de Junho de 2020

23 de Março de 2020: Há poucas semanas atrás estávamos dentro da nossa bolha. Da nossa rotina diária cronometrada. Marido ia para o trabalho, filhos para a escola. Eu com os compromissos com a casa e do meu negócio online recem criado. Atividades extra curriculares como natação, aulas de ninja, viola e os ensaios para o musical da escola do mais velho preenchiam as horas livres. Tivemos visitas do Brasil, festa de aniversário com amigos em casa e teve até viagem para Las Vegas, tudo perfeito (e mesmo assim sempre achávamos alguma coisinha para reclamar).

Paralelamente acompanhávamos, desde o mês de Janeiro pelos noticiários da TV, o alastramento assustador do Coronavirus na China. Vimos o país fechar as suas fronteiras, as pessoas sendo obrigadas a se isolarem em suas casas, as ruas vazias, os hospitais super lotados e várias pessoas morrendo.

Mas era lá na China, muito longe de nós…

No final do mês de fevereiro foi anunciado o primeiro caso de coronavirus aqui nos EUA. Nos noticiários, o governo americano se dizia preparado para combater o vírus e tentava “tranquilizar” a população dizendo que este tinha baixa taxa de mortalidade e que apenas idosos e pessoas com doenças pré-existentes poderiam desenvolver a forma mais agressiva da doença. Enquanto isso no Brasil, o Ministério da saúde anunciava também o primeiro caso de coronavirus em São Paulo de um paciente vindo de viagem da Itália.

Voltando para o nosso mundinho privilegiado “cor-de-rosa”, o mês de Março em Michigan significa que o inverno está chegando ao fim. Para quem mora nestas bandas do norte sabe a ansiedade com que esperamos a chegada da primavera. Queremos sair do modo de hibernação e bater pernas por aí. Queremos sair pelas ruas, andar de bicicleta nos parques e fazer picnics com as crianças.

Nós aqui dentro do nosso “mundo perfeito” já estávamos com vários planos para os meses de primavera e verão. Alguns campings já reservados, passeios e viagens sendo programadas, com a Europa no roteiro. Pois é, vivemos na ilusão que temos absoluto controle sobre as nossas vidas…

Por falar em Europa, os casos de CODVI-19 estavam aumentando consideravelmente por lá, principalmente no norte da Itália. Vôos começaram ser cancelados e os países começaram a fechar as suas fronteiras.

Na primeira semana de Março, mesmo com vários casos pipocando em outros estados americanos, o vírus parecia estar ainda muito longe de Michigan, que até o momento não havia tido nenhum caso confirmado. Por aqui seguíamos com as nossas vidas normalmente, porém um fato começou a chamar a atenção: o álcool em gel desapareceu das prateleiras das farmácias e dos supermercados e itens como lenços desinfetantes, papel higiênico e rolos de papel toalha lotavam os carrinhos de compras das pessoas.

As filas nos postos de gasolina começaram a ficar maior que o normal. Para mim, parecia um pouco de exagero dos americanos, como acontece quando está prevista muito neve (snow day) e eles saem comprando alimentos feito loucos por causa da possibilidade de terem que ficar alguns dias sem poder sair de casa. Pois é, desta vez não era exagero…

No dia 9 de Março estivemos em uma reunião coletiva de pais e professores na Middle School sobre o novo ano letivo que se iniciaria em Setembro. Ainda estivemos em uma apresentação de trabalho escolar onde alunos, pais e professores lotaram os corredores da escola para ver as apresentações dos alunos. Não sabíamos, mas esta foi a última vez em que estivemos em um ambiente coletivo.

No dia 10 de Março o número de casos de coronavirus nos EUA estava em torno de 1000 casos confirmados. Michigan confirma o primeiro caso de coronavirus no estado.

As prateleiras dos mercados começaram a esvaziar de um dia para o outro. Alimentos não perecíveis, produtos de limpeza e medicamentos começaram a desaparecer. O papel higiênico sumiu. No início da noite recebi um email do distrito escolar notificando o cancelamento de todas as atividades extra curriculares como os treinos, jogos, concertos, conferências. Ficamos chateados, pois os ensaios do musical de enceramneto da elementary school foram suspensos. O nosso “mundinho perfeito” começou a ser afetado.

Pois é, a China não parecia mais tão longe assim…

No dia 12 de março a Governadora de Michigan declarou o fechamento de todas as escolas até o final da spring break (12 de Abril) e aconselhou o isolamento social. Sair de casa só se for extremamnte necessário. No dia seguinte, as prateleiras dos mercados começaram a ficar vazias. Alimentos enlatados, congelados, massa para macarrão, pães e medicamentos, começaram a sumir de vez. A empresa onde o meu marido trabalha determinou o homeoffice. Minha caixa de email lotou com mensagens do distrito escolar com informações sobre o homeschool e cancelamentos das demais atividades das crianças.

No dia 13 de Março Michigan confirmou 16 casos de Coronavirus no estado.

Iniciamos a Segunda-feira dia 16 de Março com o homeschool do filho e o homeoffice do marido na nossa nova rotina. Fui até a escola apenas para retirar o material didático e livros que seriam usados no homeschool. A escola usa o google classroom e programas como o I-Ready para mater todos os alunos conectados com os professores e tentar manter, na medida do possível, o ritmo das aulas. Foram emprestados pelo nosso distrito escolar mais de 1.100 chromebooks para os alunos que não possuem computadores na residência, acompanharem as aulas. E para aqueles que contam com a refeição da escola para se alimentar, o distrito escolar montou um esquema de pick-up das refeições para as familias mais necessitadas durante este período em que as escolas estarão fechadas.

No dia 15 de Março foram confirmadas 53 casos aqui em Michigan. No dia 16 de Março a Governadora declarou o fechamentos de todos os bares e restaurantes do Estado. No mundo, os países começam a fechar as suas fronteiras.

A partir de então, os restaurantes começaram a oferecer a apenas a opção de take-out e drive thru. Durante esta primeira semana de isolamento vimos as lojas e os shoppings que antes estavam cheios de pessoas fecharem as suas portas. Algumas continuaram oferecendo a opção de comprar online e retirar no curbside (estilo drive thru), Aberto apenas estabelecimentos de primeira necessidade como supermercados, farmácias, correios… Grandes redes de atacado como o Costco começaram a limitar a quantidade de pessoas dentro das lojas e a quantidade de itens que poderiam ser comprados por pessoas

Pelos noticiários acompanhamos aumento dos casos de maneira exponencial em todos os estados americanos. Acompanhamos a tragédia sem precedentes, causada pelo coronavirus na Itália e o seu alastramento pela Europa e demais países. Durante toda a semana seguimos as recomendações oficiais e ficamos dentro de casa em 90 porcento do tempo. Saimos um pouco no quintal e demos uma volta a pé pela rua da nossa casa sem contato algum com os vizinhos. Demos duas voltas de carro pela cidade, sem sair do mesmo. Durante esta semana, meu marido foi a única pessoa da residência a ir ao supermercado.

Esta semana foi desafiadora para TODAS as famílias. Todos nós estamos sendo afetados não apenas com a preocupação de ficarmos doentes ou de passarmos o vírus para as outras pessoas, mas emocionalmente também. Tivemos que voltar para dentro de nós, sem distrações externas, não tem para onde fugir. Temos que usar a criatividade e nos esforçar para não deixar o stress tomar conta. Esta foi apenas a primeira semana de isolamento social, muita informação para ser absorvida, muitas mudanças em pouco tempo e não sabemos como será o dia de amanhã.

Playground fechado no Kensington Metro Park

Hoje, Segunda-feira dia 23 de Março Michigan tem 1.035 casos confirmados e 8 mortes. A governadora de Michigan decretou hoje a ordem executiva “Stay Home Stay Safe”, isto é, oficialmente (não é mais uma recomendação) todos os negócios e comércios não críticos devem ser fechados e todos os moradores de Michigan devem ficar em casa ou a pelo menos a 6 feet (aproximadamente 2 metros) de distância de outra pessoa. Só pode sair de casa se for extremamente necessário como ir ao mercado ou a farmácia. O lockdown aqui em Michigan começará amanhã dia 24 de Março e deverá durar por pelo menos 3 semanas (até o dia 13 de Abril, mas poderá ser prorrogado se necessário)

No momento, o estado de New York explodiu com mais de 20.000 casos. Os Estados Unidos tem mais de 40.000 casos de coronavirus e mais de 488 pessoas morreram. No Brasil. segundo o Ministerio da Saúde temos hoje 1546 casos e 25 mortes. No mundo até o momento são mais de 370.000 casos de COVID-19 e aproximadamente mais de 16.000 pessoas já perderam a vida.

Estamos vendo hora após hora o COVID-19, um vírus tido a princípio como “leve” derrubar o sistema de saúde e a economia mundial. A “bolha” em que vivíamos estourou. A liberdade que tínhamos foi embora. Estamos isolados das pessoas. O contato se tornou perigoso. Mudar de lado de calçada ao cruzar com um vizinho passou a significar proteção para ambos. Sobrou apenas aquela troca de olhares que refletem a angustia do não saber quando isso tudo vai passar.

No momento apenas nos cabe fazer a nossa parte e ficar em casa. Enviar boas energias para os médicos, enfermeiros, pesquisadores e todos os profissionais que continuam trabalhando para manter o básico das cidades funcionando.

Update 3 de Abril 2020 – ontem foi de declarado oficialmente pela governadora aqui do estado de Michigan o encerramento do ano letivo (o ano letivo aqui inicia no de final de Agosto e termina no meio do mês de Junho), devido à crise pela pandemia COVID-19. Os alunos de K-12 (do kindergarten até o último ano da High School) não voltaram para as escolas, e o ensino continuará através do homeschool.

Número de casos aqui em Michigan divulgados ontem (2/abril/2020) 10.791 casos confirmados e 417 mortes devido ao Covid-19

Update 9 de Abril 2020: prorrogado o decreto “stay home stay safe” até o dia 30 de Abril. O número de casos aqui em Michigan no dia de hoje foi de 21.504 casos confirmados e 1.076 mortes devido ao Covid-19 (Fonte: michigan.gov).

Alerta que recebemos pelo celular sobre a extensão da quarentena

Update 16 de Abril: hoje completamos 33 dias de isolamento social e oficialmente 1 mês que as aulas foram suspensas devido a pandemia do Covid-19. Os números continuam aumentando em Michigan mas parece que a curva começou a abaixar. Hoje os dados oficias são de 29.263 casos de coronavírus confirmados no estado e 2.093 de mortes. O uso de máscaras passou a ser recomendado para todas as pessoas que precisem sair de casa. Mercados estão sendo reabastecidos porém temos notado a dificuldade agora de encontrar uma maior variedade de frutas e vegetais frescos aqui em Michigan. Por outro lado, o combustível nunca esteve tão baixo, é possível achar galão (3.7 litros) de gasolina sendo vendido por $1 dólar.

Update 25 de Abril 2020: o número de casos de Covid-19 confirmados em Michigan é 37.203 e 3.284 mortes. A quarentena, aqui em Michigan, foi estendida até o dia 15 de maio, porém houve algumas flexibilizações nos estabelecimentos que podem voltar a funcionar. Nos EUA já são 956 mil casos confirmados, mais de 53 mil mortes e 102 mil curados.

Update 03 de Junho 2020: 80 dias desde que comecei a escrever este post. Aqui no estado de Michigan entramos na fase 4 da reabertura, agora as lojas de serviços não essenciais e restaurantes podem abrir as suas portas ao público (antes só tínhamos a opção de pick-up) desde que sigam as regras de distanciamento social e limitação da capacidade. O número de pessoas que podem se reunir passou de 10 para 100 pessoas, sendo recomendado manter o distanciamento social e uso de máscara. Os chamados Day Camps e piscinas também estão liberados. Continuam fechados até 4 de Julho salões de beleza, academias indoor e teatros.

As ruas por aqui andam bem movimentadas novamente, principalmente por estarmos entrando no verão depois de meses de inverno. Os parques e praias também estão bem cheios.

Hoje aqui em Michigan temos um total de 57.731 casos confirmados, 5.553 mortes por Covid-19 e 39.099 de pacientes recuperados. Nos EUA temos um total de 1, 802.470 casos confirmados e mais de 105 mil mortes.

Abraços virtuais,

Juliana Fontes

Fontes:

https://www.saude.gov.br/

https://www.michigan.gov/coronavirus/

https://www.nytimes.com/interactive/2020/us/coronavirus-us-cases.html

https://www.cnn.com/2020/03/03/health/us-coronavirus-cases-state-by-state/index.html

https://www.who.int

About Coronavírus 14/3/2020

Esta semana governadora daqui de Michigan decretou o fechamento das escolas por 3 semanas, e várias escolas em todos os outros estados americanos estão sendo fechadas visando evitar a propagação do coronavírus.
Segundo os noticiários temos 25 casos confirmados para o coronavírus no nosso estado (Michigan) e mais de 2500 casos confirmados em todos os EUA até o momento, com isso várias medidas de contenção estão sendo tomadas.

Os casos no Brasil estão aumentando também e eu gostaria de falar a realidade do que está acontecendo aqui nos EUA para vocês ficarem preparados.
Não é momento para pânico e sim de se informar, se proteger, tomar as medidas com relação a higiene necessárias, evitar aglomerações, lugares fechados e pensar no coletivo e não apenas em nós. O churrasco do final de semana pode ser adiado e a festa de aniversário pode ser apenas uma celebração com as pessoas da casa.
O grande problema não é você, que não é do grupo de risco, ficar com medo de ficar doente. O grande problema é você ficar doente e passar o vírus para alguém do grupo de risco. Você tem idosos na sua família? Algum familiar com uma doença pre-existente? Se cuide por causa deles.

A superlotação dos hospitais está resultando na falta de leitos (com respiradores) para aqueles que realmente precisam de atendimento.
Aqui nos EUA não conseguimos mais encontrar álcool em gel (até no Amazon está em falta). Ontem fui no mercado e não tem mais papel higiênico, água (sorte que temos filtro em casa), poucos produtos de limpeza como desinfetantes. As prateleiras de macarrão, enlatados, leite e ovos estão bem vazias. Medicamentos simples como antitérmicos e vitaminas estão sumindo das prateleiras. Os americanos estão em pânico!
Estejam preparados, mas não deixem o pânico que se instalou aqui chegar aí em vocês. Nós que NÃO somos grupo de risco vamos nos cuidar sim, para protejer aqueles que SÃO do grupo de risco.

Não adianta você ter um estoque de álcool em gel, água e papel higiênico sendo que o seu vizinho, (que pode ser um senhor de 70 anos) não conseguiu comprar por que acabou.
Se cuidem e se mantenham informados!

Abraços,

Juliana

O dia em que Michigan congelou

Este é o nosso sexto inverno aqui em Michigan e até dois dias atrás, o inverno de 2014 (o nosso primeiro inverno depois que nos mudamos para cá) tinha sido o mais frio de todos.

Na quarta-feira (dia 30 de janeiro de 2019) as temperaturas despencaram para a casa dos 23 graus Celsius NEGATIVOS com sensação térmica de MENOS 32 graus Celsius aqui em Michigan. Toda a região do chamado Midwest dos EUA foi afetada pelo chamado Polar Vórtex, o que fez aqui ficar mais gelado do que algumas cidades do Alasca! Não entendo nada de metereologia mas pelo o que eu consegui entender assistindo aos noticiários, é que isto ocorre quando a massa de ar polar, que normalmente fica confinada na região dos polos, “desce” formando um fluxo de ar forte, congelante e concentrado em uma determinada região.

Mas praticamente, como isso nos afetou?

Na segunda-feira tivemos bastante neve, o que já é o esperado para o inverno de Michigan. Na verdade este inverno esta bem atípico pois ainda não tínhamos tido um nevasca até praticamente o final do mês de Janeiro. Foi declarado “snow day” (as crianças não tiveram aula) mas no final do dia, depois que a nevasca e o vento passaram, foi possivel sair la fora para brincar na neve e usando as roupas adequadas ninguém passou frio.

Na terça-feira também estava frio (temperatura na casa dos -9C) mas foi vida normal por aqui, mas como já estávamos acompanhado as temperaturas, vimos que na quarta e na quinta as temperaturas iriam despencar. Aproveitamos e abastecemos a geladeira e a despensa de casa, o pessoal aqui é meio desesperado e os postos de gasolina ja tinham filas enormes!

Na terça-feira a noite recebemos o alerta do distrito escolar que as aulas de quarta-feira estavam canceladas em virtude do frio intenso pois não seria seguro para as crianças caminharem até as escolas ou ficarem no ponto esperando pelo onibus escolar. A maioria das pessoas foram trabalhar normalmente e quem pode, fez home-office.

Na quarta e na quinta-feira, que foram os dias recorde de frio, ao contrário do que muita gente pode imaginar, o dia amanheceu lindo aqui em Michigan! Dois dias congelantes mas de céu azul e sol e não caiu nenhum floquinho de neve (normalmente neva em temperaturas negativas porém próximas do zero graus).

Qual a sensação de todo este frio?

Dei uma saída rapidinha lá fora para pegar as correspondências. Me agasalhei bem com casaco de neve, bota, luvas e touca. Em um primeiro momento a sensação é de um frio “normal” para o inverno de Michigan, mas depois de uns dois minutos lá fora a sensação é que eu estava sem casaco, o frio passava direto pelas camadas de roupas e o meu rosto ficou super gelado. É um frio absurdo que fisicamente te impede de ficar do lado de fora! Voltei rapidinho para dentro de casa.

COMO VESTIR AS CRIANCAS NO INVERNO

O grande risco destas temperaturas baixas é a ocorrência de “frostbite”, quando as células do seu corpo congelam e necrosam, o que afeta principalmente as extremidades do corpo como a ponta do nariz, as orelhas e os dedos das mãos e dos pés. É humanamente impossível ficar lá fora, mesmo com várias camadas de roupas próprias para o inverno daqui. Nesses momentos temos que agradecer por termos uma casa quentinha para nos acolher. Nos noticiários a informação era que os abrigos para os “homelesses” de Detroit (pessoas que moram nas ruas) já estavam lotados!

A grande maioria das casas tem aquecimeto central a gás e estão preparadas para aguentar um frio extremo como este. O que ninguém contava era que na quarta-feira uma das redes de ditribuição de gás daqui de Michigan, resposável por mais de 65% da distribuição de gás iria pegar fogo! Todos os moradores receberam na noite de quarta-feira uma notificação de alerta pelo celular para diminuirem a temperatura interna de aquecimento das suas casas para em torno de 18C ou menos para assim, ajudar a ecomomizar gás até que o problema fosse solucionado. Em razão disso muitas empresas fecharam as portas na quinta-feira e seus funcionários tiveram que trabalhar de casa. Supermercados, lojas e serviços continuaram funcionando normalmente.

Aqui em casa não passamos frio. Tivemos alguns problemas com algumas janelas onde a vedação não estava muito boa e por causa disso o vento entrava o que fez formar gelo pelo lado de dentro da janela, mas nada alarmante. Durante a noite colocamos o aquecedore elétrico no quarto dos meninos, já que eles costumam se descobrir durante a noite. De resto, o mais difícil mesmo foi manter duas crianças ocupadas durante dois dias inteiros dentro de casa. O uso de TV aqui em casa é controlado e eles não tem acesso a Ipads ou celular, então tivemos que usar a criatividade por aqui mas é claro que também rolou algumas brigas, mas faz parte.

Hoje sexta-feira, todos voltaram a rotina, marido no trabalho e filho mais velho na escola mesmo estando ainda muito frio pela manha (estava -21C as 8 AM). Agora já esquentou um pouco, e os termômetros marcam -9C o que é o normal para o mês de Janeiro aqui em Michigan. Só espero que não tenhamos outro Polar Vortex por aqui e que este inverno não se extenda até o fim de Abril como no ano passado.

Abraços

Juliana

Onde Esquiar em Michigan

Mesmo sendo um estado predominantemente plano e sem montanhas, no máximo algumas colinas, surpreendentemente temos mais de quarenta estações de esqui aqui em Michigan. Fiquei surpresa quando me deparei com este número quando estava fazendo a minha pesquisa para escrever este post!


As crianças aprendem a esquiar sem os bastões/poles (photo by @moraranoseua)

A maioria das estações estão localizadas na região mais ao norte da Lower Península ou na Upper Península do estado. Para quem, assim como nós, que nunca esquiou na vida, ou é iniciante-intermediário no esporte é uma ótima opção de lazer e diversão durante os meses de inverno. A maioria das estações de esqui oferecem programas de aulas para adultos e crianças, as quais podem começar a aprender a esquiar a partir dos três anos de idade!

No site planetware.com tem um post muito legal com oito melhores lugares para esquiar aqui em Michigan.

A temporada de esqui por aqui começa agora no mês de Dezembro e vai normalmente até o  mês de Março, dependendo da quantidade de neve acumulada. Nos sites das estações de esqui é possivel acompanhar quando vai ser a abertura das pistas, os tipos de pistas e o graus de dificuldade, a quantidade de neve acumulada, condição metereológica e outras informações.

Como se vestir para esquiar (photo:bearfoottheory.com)

Para quem quer iniciar no esporte, os equipamentos principais como os esquis, botas e bastões (poles) estão disponíveis para locação nas estações de esqui, lembrando que o uso de capacete é obrigatorio para as crianças, mas por questões de segurança também é recomendado para os adultos.

Para esquiar é necessário ter calça e jaqueta próprias para a neve, touca, luvas e usar boas meias térmicas de cano alto não muito grossas (lembre-se de que você estará usando botas para ski ou snowboard). O uso de óculos não é obrigatório mas ajuda muito a protejer os olhos dos raios UV, da neve e do vento. Importante também o uso de protetor solar no rosto e lábios.

Outra dica importante é lembrar que esquiar é uma atividade física, portanto mesmo em dias bem frios , depois de algum tempo esquiando, o corpo esquenta. O ideal é não por muitas camadas de roupas e sim usar roupas apropriadas para neve e de uma boa marca (Spider, The North Face, Columbia ou Marmot são algumas delas).

O ideal são três camadas de roupas: uma camada de base que fica em contato com a pele a qual tem que ser de um material leve, térmico, transpirável e que mantêm a umidade longe. Uma segunda camada intermediária como uma blusa tipo fleece e por último, como terceira camada, uma  boa jaqueta waterproff, mas não muito grande.  Na parte de baixo, duas camadas são suficientes: uma calça térmica justinha e a calça para neve por cima, em um tamanho confortável para que fique fácil de vestir e tirar. 

Crystal Mountain – Michigan

Esquiar porém não é um esporte barato. Além da locação dos equipamentos básicos (em média $ 30 dolares por dia) é necessário pagar pelo lift ticket  e pelas aulas se for o caso. Tendo como base os preços do Mt Brighton, que é apenas estação de esqui, sem hotel, os preços do lift ticket variam de $50 a $60 por dia  ou meio dia. Tem pacotes de 3 dias pelo preço de 2 dias e ainda  tem os Season Pass  para aqueles que querem esquiar o inverno inteiro (média de 700 dólares para adultos e 350 dólares para crianças).

Os valores das aulas também variam, começando em $200 dólares por 3 dias de aulas intensivo para crianças. Ainda tem opçções de aulas para adultos, teenagers e aulas privadas.

Abaixo segue o link das principais estações daqui de Michigan:

BIG SNOW RESORT

É considerado um dos melhores lugares para se esquiar aqui em Michigan, o problema é que fica super longe, lá no estremo norte da Upper península de Michigan na divisa com o estado de Wisconsin, o que dá quase 10 horas de viagem rumo ao norte de quem parte de Detroit. É possivel esquiar e se divertir com a familia em estações bem mais perto como nas três citadas abaixo.

Para quem reside próximo a Detroit temos estações que dá para fazer um “bate-volta” como o Mt Brighton em Brighton, Mt Holly em Holly, Alpine Valley em White Lake e Pine Knob em Village of Clarkston. 

CRYSTAL MOUNTAIN e BOYNE MOUNTAIN

Boyne Mountain

São estações de Ski do tipo Resort com hotel de luxo localizadas na região próxima a Traverse City. É ideal para quem quer esquiar o final de semana todo e ainda passear com a família. Em Boyne Mountain ainda tem a opção de hotel com parque aquático indoor para a criançada.

MT. BRIGTON

É a estação que temos perto de onde moramos. É bem legal para aprender e foi lá que o nosso filho mais velho fez as suas primeiras aulas de Ski no inverno passado.

Aula de Ski para crianças no Mt. Brighton- Michigan (photo by @moraranoseua)

Para quem quiser mais informações, no link abaixo tem a descrição detalhada de todas as outras estações de Ski de Michigan incluindo os programas de aulas.

Michigan Ski Resorts

Espero que tenham gstado do post e bom divertimento!

Abracos

Juliana Fontes

 

 

 

 

Melhor época para ver as cores do Outono de Michigan

Pico das cores em Michigan (foto @morarnoseua)

Uma das perguntas que eu mais recebi esta semana foi de quando é a melhor época para ver as cores do Outono de Michigan no seu auge.

A mudança da coloração das folhas das árvores durante o mês de Outubro é encantadora, ainda mais para nós brasileiros que não temos este tipo de mudança tão marcante e tão colorida durante o outono no Brasil. Neste ano de 2018, o pico da coloração ocorreu entre os dias 15 e 30 de Outubro. Na região mais ao norte da Lower Península ocorreu uma semana antes e na Upper Península de Michigan na primeira quinzena do mês de Outubro.

Este ano tivemos dias nublados e com muita chuva justamente nos dias em que as cores estavam no seu auge, o que prejudicou um pouco para quem queria fazer fotografias ao ar livre.

Depois de 5 outonos aqui em Michigan posso dizer que as primeiras mudanças na coloração das cores das árvores, aqui na região em que residimos, começou  a aparecer no final do mês de Agosto (quanto mais ao norte do estado mais cedo começa a mudança das cores).

No final de Agosto as folhas que estão nas potinhas mais altas das árvores começam a mudar suavemente de cor. O verde das folhas começa a dar lugar para um tom mais avermelhado o que, em um primeiro momento, me traz um certo desespero pois é o sinal de que o nosso verão está chegando ao fim.

Foto tirada no começo do mes de Outubro, árvore já bem vermelha mas ainda com alguns “verdinhos” 
 (foto @morarnoseua)

Em Setembro ainda temos muito verde, mas algumas árvores mais sensíveis as mudanças de temperaturas durante a noite começam a ficar mais amareladas. Reparei também que espécies diferentes de árvores mudam de cor em tempos diferentes, algumas mais no começo e outras mais para o final do mês de Outubro. 

É lindo demais!
 (foto @morarnoseua)

É em Outubro  que as cores do outono (que aqui chamamos de Fall) começam a dominar a paisagem, justamente pois é neste mês que as temperaturas começam a cair bem durante a noite, ficando próximo do zero graus Celsius e os dias ficam mais curtos, com menor incidência de luz solar  o que faz acelerar, na verdade,  o processo de “descoloração” das folhas.

As folhas vão perdendo a clorofila, elemento que é o responsavel pelo tom verde das cores e com isso os tons de amarelo, laranja e vermelho começam a aparecer.

Mesma árvore da foto acima na última semana de Outubro (foto @morarnoseua)

A mudanca é muito rápida. Depois que a árvore atinge o pico de coloração de outono, aproximadamente uma semana depois as folhas já começam a cair, o que não deixa de ser um outro espetáculo em ver o chão todo coberto de folhas coloridas ! ( É até pecado varrer ou limpar a calçada).

Olha este chão na noite de Halloween, 31 de Outubro 2018- Lindo demais!
 (foto @morarnoseua)

Nos últimos dias de outubro a maioria das árvores já perderam aquela coloração vibrante e as folhas que restaram na árvores estão no tom do amarelo queimado para o marrom. No meio de Novembro praticamente todas as folhas ja caíram e a natureza entra em repouso para receber a neve durante os próximos meses de inverno para em Abril, com a chegada da primavera, recomeçar novamente todo o ciclo.

Abraços

Juliana Fontes

Todos os textos e fotos desta página são de direitos autorais da autora Juliana Fontes.
A cópia de tais textos é proibida por lei. Fique à vontade para compartilhar e divulgar o blog (citar a fonte) mas não copie e cole.

Hotel para criança – Great Wolf Lodge

Morar nos EUA

great-wolf-lodge Great Wolf Lodge (foto:google)

Quando planejamos fazer uma viagem com crianças, na maioria das vezes procuramos por hotéis que tenham alguma atividade para elas, principalmente quando o objetivo é ficar mais dentro do hotel, sem muitos passeios externos e descansar. No Brasil temos muitas opções bacanas que vão desde de pousadinhas charmosas, hotéis resorts na praia a hotéis fazendas no interior. Não somos uma família disposta a pagar diárias caras em hotéis (preferimos investir o dinheiro nos passeios) e em 95% das vezes em que viajamos aqui nos EUA ficamos hospedados  em hotéis de rede (padrão Holiday inn) ou até mesmo em campings (adoramos acampar). Mas eu vou ser sincera, aqui  em Michigan a rede hoteleira é bem fraquinha e não se iluda com o termo resort acoplado ao nome do hotel o que por aqui pode significar apenas que o hotel tem uma micro piscina aquecida.

Mas de vez em quando queremos fazer uma agrado para…

Ver o post original 979 mais palavras

Acampamentos de Verão 2018

Este ano nos programamos com antecedência e conseguimos fazer cinco acampamentos durante o verão. Como já falei em posts anteriores aqui no blog, durante o verão de Michigan os campings e a rede hoteleira da região das praias ficam lotados, então tem fazer as reservas com antecedência, principalmente para quem só tem a opção de viajar durante os finais de semana.

img_4767
Nossos 5 campgrounds deste verão (foto:@moraranoseua)

Listei abaixo um pequeno resumo de cada campground e as vantagens e desvantagens de cada um sob o meu ponto de vista. Espero que vocês gostem do post e que sirva de sugestão e inspiração para quem quiser acampar no próximo verão!

1-Warren Dunes State Park

Foi o nosso primeiro camping do verão e estávamos super empolgados para acampar! O lugar me surpreendeu bastante pois fomos sem ter nenhuma indicação ou recomendação de alguém que já tivesse acampado por lá e foi uma ótima surpresa!

img_2116
Praia e dunas do Warren Dunes State Park (foto:@moraranoseua)

Fiz um post completinho sobre este nosso primeiro acampamento, é só CLICAR AQUI para ler mais.

img_2169
Preparando o almoço (foto:@moraranoseua)
img_2112
Praia com faixa de areia bem grande no Warren State Park (foto:@moraranoseua)

Pontos Positivos: A área do campground é super arborizada, banheiro bom, playground para as crianças, lojinha de conviniencia dentro do campgroud que vendia itens básicos como repelente, protetor solar, lenha e gelo. Praia com faixa de areia grande, com banheiro na praia e barraquinhas de sorvete, bebidas e food trucks.

Pontos Negativos: Para acessar a praia  tínhamos que ir de carro pois era longe  (aproximadamente 1 milha) para ir a pé com as crianças.  Observei que alguns sites  ficaram um pouco “alagados” depois da chuva que caiu durante a noite, então prestar atenção quando for reservar o site (está escrito se o site tem risco de alagar ou não), os sites que ficam  perto da estrada podem ter problema com o barulho dos carros. Não tem pia para lavar louça e nem ponto de água no próprio site (e sim espalhados em alguns pontos do campground)

2- Tawas Point State Park

Outro camping de State Park mas desta vez voltado para o Lake Huron. A cidadezinha onde o camping está localizado  é legalzinha com marina, lojas, sorveteria e mercado de rede. Este camping tem uma praia pequena de águas calminhas e de fundo de areia voltada para o lado de dentro do Lake Huron e outra bem grande, porém com vento forte e ondas voltada para o lado de fora do Huron. Tinha até pessoas fazendo kitesurf  para se ter uma idéia de como ventava por lá. Tem uma trilha  que chega em um farol  bem bonito onde tem uma lojinha de souviniers e sorvete.

Pontos Positivos: Sites de tamanho bom, banheiro excelente, pia para lavar louça e prainha de água calma para as crianças (do lado de dentro).

Pontos Negativos:  alguns sites não são muito arborizados, então se pegar um dia de sol forte a barraca vai virar uma estufa.

img_2805
Prainha do Tawas State Park (foto:@moraranoseua)
img_2824
Michigan e seus faróis! (foto:@moraranoseua)
img_2797
Todos os campgrounds tinham playgrounds (foto:@moraranoseua)
img_2703
Apenas no Tawas State Park e no Silver Lake Jellystone tinha pia para lavar a louça. (foto:@moraranoseua)
img_2688
Camping tem que ter fogueira e S’Mores a noite! (foto:@moraranoseua)

3 – Camping Petosega

É um camping privado (não é dentro de state park) e foi o camping que eu estava com a maior expectativa para ir pois ficava a vinte minutos de Petoskey que é uma cidade que eu adoro aqui em Michigan, porém o tempo não colaborou e pegamos muita chuva durante todo o final de semana tornado esse acampamento o mais perregue da temporada! Foi um tal de colocar lona para proteger a barraca, roupas, toalhas e até travesseiros úmidos!  O lugar do camping em si era bem legal com lago com prainha, playground novinho em frente a praia, píer para pesca e trilhas para bike ou caminhada, mas por causa da chuva não conseguimos aproveitar muito bem.

img_4206
Lago do Camping Petosega (foto:@moraranoseua)
img_4207
É sempre uma ótima opção levar as bikes nos acampamentos!(foto:@moraranoseua)
img_4185
Nem tudo são flores, quando chove tudo vira um caos e uma bagunça!! (foto:@moraranoseua)

Pontos Positivos Sites bem privativos com mata e arbustos separando-os (se bem que para quem vai em grupo de amigos como nós, quando os sites não são separados pela mata a convivência fica mais legal). Banheiro bom, playground legal para as crianças. Fica á 20 minutos de Petoskey, que é uma cidade grande para os padrões de Michigan, então dá para passear na cidade, jantar em restaurante e se precisar de alguma coisa de emergência tem Walmart.

Pontos Negativos: É longe (de onde moramos levamos quase 5 horas para chegar lá), tem uma pequena lojinha de conveniência mas só vende gelo, para comprar lenha tem que sair do camping.

Tem post sobre PETOSKEY AQUI!

4- North Higges Lake State Park

Este camping com certeza foi um dos meus preferidos e já esta na listinha dos campings para voltar no próximo verão! Ele fica dentro de um state park que tem um lago enorme com praia de areia. Perfeito para as crianças brincarem e para quem gosta de passear de barco, fazer ski/wakeboard ou velejar. E teve a noite de céu estrelado mais lindo que eu já vi aqui em Michigan!

img_4523
Praia do North Higges State Park (foto:@moraranoseua)
img_4506
Será que a criancada curtiu? (foto:@moraranoseua)
img_4516
Recomendo fortemente para quem vai acampar essa cobertura para colocar sobre a mesa, protege contra a chuva, o sol e evita de ficar caindo folhas nas comidas. (foto:@moraranoseua)

Pontos Positivos: Tem praia de lago perfeita para crianças com playground, churrasqueira  na beira da praia e várias mesas de picnics espalhadas pelo local. Tem trilhas de bikes, banheiro grande na área da praia, acesso para colocar barco na água e estacionamento para as carretas. O site tinha tamanho bom (prefira os afastados da estrada e evite os de esquina) e fica pertinho do Hartwick State Park onde tem uma das únicas florestas de pinheiros brancos (White Pines) que restaram Michigan, ótima opção de passeio.

Pontos Negativos: banheiro muito pequeno o que dificulta na hora de dar banho nas crianças (mas a ducha era boa) e dependendo do local do seu site o banheiro fica meio longe. Não tinha ponto de água em cada site e sim alguns de uso comum espalhados pelo camping, não tinha pia para lavar louça. Não tem lojinha de conveniência dentro do state park mas tem um posto de gasolina pertinho onde dá para comprar gelo e lenha.

5- Silver Lake Jellystone

Outro campground privado e foi o nosso último camping do verão.  Já estivemos em Silver Lake várias vezes e é um lugar muito lindo, com muitas dunas e perfeito para quem gosta de aventuras  Off-Road. Foi a segunda vez em que ficamos neste camping e a grande vantagem é que ele fica no centro da cidade (que é praticamente uma rua). Como levamos as bicicletas era só sair do camping pedalando e já estávamos no centrinho onde tem arcade (aqueles lugares de games que a criançada adora), Kart, sorveteria, mercadinho, lojinha e pizzaria. Também dá para ir pedalando até a praia do state park da cidade que é uma delícia para as crianças com playground praticamente na areia.

img_4879
Nosso último campground. (foto:@moraranoseua)
img_4941
Esta rede de campground é bem voltada para as crianças e tem até piscina!!! (foto:@moraranoseua)
img_4924
Silver Lake!! Mais um destino lindo aqui de Michigan!! (foto:@moraranoseua)

Para conhecer Silver Lake CLIQUE AQUI.

Pontos Positivos: os sites são bem grandes, fica praticamente perto da cidade, tem piscina externa climatizada, playground, arcade, tem pia para lavar a louca, ponto de água no site, banheiro com ducha forte e que não precisa ficar acionando a cada minuto para sair água, bem arborizado e tem lavanderia caso precise lavar roupa (quem fica muitos dias acampando). Tem lojinha de conveniência e vende lenha e gelo no próprio camping.

Pontos Negativos: É mais caro que  os states parks ($50 dólares por noite contra $30 dólares nos campings de state park), como ficava  próximo do centrinho não era tão silencioso a noite. O fire-pit não era revestido com concreto o que o torna meio perigoso para as crianças (o metal onde é colocada a lenha dentro fica muito quente).

Mais informações clicando no link  abaixo

Michigan Shoreline

Para quem gosta das fotos das nossas viagens tem várias delas no meu instagram @morarnoseua, é só dar uma passada por lá!

Um grande abraço a todos

Juliana Fontes

Todos os textos desta página são de direitos autorais da autora Juliana Fontes.
A cópia de tais textos é proibida por lei. Fique à vontade para compartilhar e divulgar o blog (citar a fonte) mas não copie e cole.

Uma vez
Mensal
Anualmente

Fazer uma doação uma única vez

Fazer uma doação mensal

Fazer uma doação anual

Escolha um valor

$5.00
$15.00
$20.00
$5.00
$15.00
$100.00
$5.00
$15.00
$100.00

Ou insira uma quantia personalizada

$

Agradecemos sua contribuição.

Agradecemos sua contribuição.

Agradecemos sua contribuição.

DoarDoar mensalmenteDoar anualmente

Sleeping Bear Dunes National Lakeshore – Glen Arbor

Sleeping Bear dunes (foto: @moraranoseua)

Diferente dos anos anteriores, desta vez planejamos com antecedência e viemos passar a semana do feriado de 4 de julho aqui em Glen Arbor, o nosso cantinho de verão preferido em Michigan.

A cidade de Glen Arbor fica localizada na Leelanau península, na área conhecida como Northern Michigan  da lower península e dentro do Sleeping Bear Dunes National Lakeshore. É uma cidade pequenininha com estilo praiano com opção de restaurantes e lojas bacanas e um dos pontos de partida para um dos pontos turísticos mais famosos de Michigan o Sleeping Bear Dunes National Lakeshore (parque nacional de 71,000 acres que se extende desde a cidade de Empire até Leland).

Sleeping Bear Dunes Nacional lakeshore (foto: @moraranoseua)

Por do sol em Glen Arbor (foto: @moraranoseua)

Toda a região é repleta de trilhas tanto para caminhadas como para bikes e é o lugar perfeito para quem gosta de estar em contato com a natureza e fugir das cidades maiores. O Visitor Center do parque fica na cidade de Empire mas você vai conseguir informação e mapas em qualquer uma das cidadezinhas que fazem parte do complexo de Sleeping Bear.

Lake Michigan Overlook (foto @morarnoseua)

Para visitar a região das dunas, trilhas e praias que pertencem ao Sleeping Bear Dunes National Lakeshore é necessário pagar uma taxa de $20 dólares por carro que é válida por uma semana. Esta é a quarta vez que visitamos as famosas dunas e a vista do lago Michigan lá de cima  (Dune Overlook) sempre tira o meu fôlego! Lembrem-se de não passar reto pela entrada da estradinha que chega até o topo da duna (tem placas de sinalização com o nome Stocking Scenic Drive) além disso,  quando comprar o ingresso do parque, você irá receber um jornal com informações da região e um mapa do local, não tem como errar!

img_4285
Este mapa está dentro do jornal que você recebe ao pagar a  taxa para poder entrar na área do parque

Dune Overlook (foto: @morarnoseua)

Para quem gosta encarar uma subida de duna, outra opção é o Dune Climb, outro ponto bastante visitado. Você terá uma vista bem bacana do Glen Lake lá de cima (se olhar para trás), mas você não vai conseguir ter uma vista do lago Michigan depois de encarar a primeira subida. Do topo é ainda preciso encarar uma trilha para chegar no mirante. Aconselho a ir de tênis, boné, levar água e muito protetor solar. Não recomendo ir com crianças pequenas já que essa trilha é considerada de nível avançado e tem 3,5 milhas.

Foto – @morarmoseua

Nossa primeira vez em Sleeping Bear (clique aqui)

img_4284-1
Principais atracoes de Sleeping Bear (foto do jornal que recebemos ao pagar a taxa para entrar no parque)

Fizemos a reserva no hotel no começo de Maio, já que a opção hoteleira por aqui é pequena, principalmente se você pretende ter acesso ao Glen Lake. Como das outras vezes que estivemos aqui ficamos hospedados no Maple Lane Resort que tem uma prainha privativa no Little Glen Lake. Além do acesso ao lago, eles oferecem a opção de quarto do tipo kitchenette que tem uma mini cozinha, o que é ideal para preparar comida para as crianças. Na praia eles disponibilizam caiaque e paddle para os hóspedes e píer.

O hotel é simples mas bem agradável com quadra de areia , campfire para fazer s’mores a noite, um pequeno playground (poderia ser melhor), mesas de pic-nic e churrasqueiras espalhadas pelo gramado . O café da manha oferecido na diária é bem fraquinho e é servido na cozinha comunitária do hotel (Gathering room).

Para nós o grande atrativo de ficar hospedado nesse hotel/motel e não em algum outro hotel da cidade  é o acesso ao Glen Lake, lago cristalino, com fundo de areia, raso e água em temperatura agradável para as crianças. Ótimo para passar o dia todo andando de barco, fazendo wakeboard ou simplesmente se refrescando e tomando sol!

img_3377
Motel Maple Lane Resort

img_3360
Área externa do hotel em que ficamos hospedados

img_3554
Prainha que pertence ao hotel que ficamos no Glen Lake (foto: @moraranoseua)

Para quem não vai ficar hospedado na margem do Glen lake (o lago possui 2 lados separados por uma ponte, o lado maior é chamado de Big Glen lake e o menor de Little Glen lake), ele possui três acessos públicos. Um é exclusivo para colocar e retirar os barcos do lago (boat acess). Tem um acesso pela picnic área no little Glen lake quase em frente ao Dune Climb e um outro no big Glen lake em uma área chamada founders picnic area com área para picnic, playground, acesso para caiaque, pier e uma prainha com faixa de areia estreita.

Glen Lake – olha a cor da água desse lago! (Foto:@morarnoseua)

Glen Lake é perfeito para as crianças! (Foto:@morarnoseua)

Em Glen Arbor a única opção de campground é o D.H. Campground que é do tipo “rústico”. Na beira do Glen lake tem algumas opções de “hotel” (entende-se por motel tipo o que a gente vê nos filmes americanos) ou cabanas e há também as opções de casas de veraneio para locação. Na cidade tem opções de bed&breakfast e mais alguns hotéis pequenos. Tudo lota nesta época do ano, então a reserva tem que ser feita com antecedência.

Opções de camping em Sleeping Bear

Para encontrar hotéis em Glen Arbor e região é so fazer uma busca em sites como o Hotels.com ou Expedia.com. Para locação de cabanas/cottages tem opções no Airbnb e no Trivago, o que vale muito a pena quando vai um grupo de amigos.

Desta vez, como tínhamos mais dias para explorar a região, fizemos passeios novos como navegar de caiaque pelo Crystal River. A empresa que faz o passeio fica bem no centrinho de Glen Arbor e se chama Crystal River Outfitters   e eles te levam de van até o ponto de saída dos caiques. Recomendo ligar antes ou ir até o local pessoalmente para fazer a reserva dos caiaques já que a procura é grande. O passeio é super tranquilo para ir com crianças pois o rio é raso, de água cristalina e de correnteza bem suave e o trajeto é feito a favor da correnteza então não precisa remar muito.

Crystal River (foto: @moraranoseua)

Crystal River – olha a agua cristalina deste rio! (foto: @moraranoseua)

O Leo foi em um caiaque duplo ($58 dólares) com o Theo de 9 anos e eu fui no caique simples (R$36 dólares) com o Thomas de 2 anos no meu colo. Por estarmos com as crianças optamos pelo trajeto curto que durou uma hora e meia, mas no final o Thomas já estava meio cansado e foi para o caique no colo do pai para mudar um pouco. Quem estiver sem criança ou com crianças maiores pode fazer o trajeto completo que dura aproximadamente 3 horas dependendo da intensidade das remadas.

Crystal River(foto: @moraranoseua)

Caiaque no Crystal River (foto: @moraranoseua)

Outro lugar novo que conhecemos dessa vez foi Glen Haven, uma vilinha histórica entre Glen Arbor e a Dune Climb. A praia de lá tem faixa de areia estreita mas é ótima para tomar sol e para as crianças brincarem, mas como toda praia voltada para o lago Michigan a água é gelada mesmo no verão.  Tem um museu marítimo (pequeno mas bem legal para as crianças) e uma lojinha antiga onde é possível obter o carimbo do Sleeping Bear National Park no passaporte (você pode estampar os carimbos de todos os parques nacionais no seu passaporte como marco da sua visita nesses lugares). Como não estávamos com os passaportes, o Theo carimbou no Summer Jounal que ele está escrevendo durante as férias.  E para os pais e mães de plantão, do lado dessa loja tem um banheiro público com fraldário, espaçoso e limpíssimo, então podem curtir a praia de lá tranquilos com a criançada.

Praia em Glen Haven(foto: @moraranoseua)

Também vistamos a cidade de Leland, que fica a meia hora ao norte de Glen Arbor. É outra cidade gracinha de Michigan e de onde saem os ferrys para visitar as ilhas de Manitou. A cidade é famosa pela vilinha histórica de Fishtown, onde hoje em dia só restou uma peixaria as outras casinhas se transformaram em lojinhas e restaurantes charmosos na beira do rio que desagua do lago Michigan. Não exploramos muito a cidade, ficamos mais na região da Fishtown e no centrinho onde tem diversas lojinhas típicas de cidade de praia.

Fishtown em Leland (foto: @moraranoseua)

Leland (foto: @moraranoseua)

Pescaria em Fishtown (foto: @moraranoseua)

(Foto:@morarnoseua)

Para quem tiver tempo para explorar mais a região de Leland, recomendo ir até Northport, lá na pontinha mais ao norte de Leelanau (tem um State Park lá) e voltar pela costa leste da península explorando as várias vinícolas e cervejarias que tem na região até chegar em Traverse City.

No trajeto entre Glen Arbor e Leland pela M22 você passa por um outro ponto bem conhecido chamado Pyramid Point Overlook. Tentamos passar lá na volta mas pegamos a trilha errada com o carro que foi pela parte de baixo em direção as praias. Mas nenhum passeio é dado como perdido, resolvemos parar e lá fui eu com o Theo dar uma espiada na praia que era bem bacana, de pedras e mais selvagem (me lembrou as praias de Munisng na Upper Península), mas o melhor foi atravessar a pé um rio para chegar na praia, o que para o Theo foi mais legal que ver a praia em si.

.

travessia de rio para chegar na praia

Praia na região do  Pyramid Point com a ilha de North Manitou ao fundo

Mas Voltando ao Pyramid Point, pelas fotos que eu vi a vista de lá é bem parecida com o Dune Overlook e a trilha para se chegar lá é tranquila. Da próxima vez vou analisar direito o  mapa e pegar o caminho certo e  tentar conhecer esse outro ponto do Sleeping Bear Dunes National Lakeshore.

Outra área que ainda não exploramos é a região de Empire, que é aonde fica o visitor Center (headquarters) do Sleeping Bear Dunes Nacional Lakeshore. Dizem que o por-do-sol nas praias de lá são espectaculares  e tem outra trilha famosa com vista incrível para o lago Michigan chamada Empire Bluff Trail.

Dica de roteiro na Leelanau peninsula

Mais sobre as praias de Michigan clique aqui

Sobre a alimentação durante a viagem, tenho que confessar que não aguento mais comer comida americana, [e sempre a mesma coisa, tem tudo o mesmo gosto com algumas poucas exceções. Como no nosso quarto do hotel tinha cozinha, fazíamos as nossas próprias comidas, coisas simples que criança gosta como macarronada, arroz com franguinho desfiado, noite do hamburger, sanduiches naturais, muitas frutas e por ai vai.

Riverfront Pizza em Glen Arbor

Saímos para comer fora apenas dois dias. Comemos uma pizza muito boa (para os padrões americanos) no Riverfront Pizza. O lugar fica na beira do rio em que fizemos o caiaque, é minúsculo e funciona no esquema delivery, mas tem algumas poucas mesas disponíveis na beira do rio. E no dia de virmos embora almoçamos no tradicional Boone Docks, um restaurante com bar e lojinha que ocupa toda a esquina da rua principal da cidade bem em frente ao único mercado da região, o Andersons Glen Arbor Market. Um outro restaurante bem  típico da região é o Cherry Republic famoso pelas tortas de cereja e o Arts Tavern.   E para fechar, o melhor sorvete da cidade para o nosso paladar é o The Pine Cone, bem ali na rua principal.

Comeco da noite do feriado de 4th July (Foto:@morarnoseua)

Sei que este post saiu meio tarde já que metade do verão de Michigan já passou, mas ainda esta em tempo para quem não conhece, ir para a região do Sleeping Bear e vale lembrar que no outono, mesmo já estando mais frio a paisagem na região é espetacular!

Um grande abraço a todos

Juliana

Todos os textos desta página são de direitos autorais da autora Juliana Fontes.
A cópia de tais textos é proibida por lei. Fique à vontade para compartilhar e divulgar o blog (citar a fonte) mas não copie e cole.

Warren Sand Dunes State Park – Michigan

Nosso cantinho no camping (foto @morarnoseua)

 Na semana passada abrimos a nossa temporada de camping aqui em Michigan! Já escrevi aqui no blog que gostamos bastante de acampar, principalmente porque aqui a infraestrutura dos campings são muitos boas, o ambiente é bem família (bebidas alcoólicas são proibidas dentro dos states parks), as crianças adoram e a gente sai completamente da rotina. Dá um trabalho danado sim, pois com criança a gente tem que levar praticamente a casa no bagageiro do carro, mas mesmo assim vale muito a pena e é a maneira mais econômica para curtir o verão de Michigan.

Warren Sand Dunes State Park (foto @morarnoseua)

Este nosso primeiro camping foi em lugar que ainda não conhecíamos e que nos surpreendeu muito! Ficamos no Warren Sand Dunes State Park, que fica localizado ao sul da costa oeste do estado de Michigan. O lugar é lindo e fica bem as margens do lago Michigan que é praticamente um mar de água doce. Este State park fica a 2 horas e 50 minutos de onde moramos e fomos para passar apenas o final de semana, mas para acampar compensa mesmo ficar pelo menos duas diárias. O ideal é entrar na sexta e sair no domingo. Muitos campgrounds nem aceitam reservas inferiores a duas noites.

Warren Sand Dunes State Park (foto @morarnoseua)

Na área da praia tem um bolsão de estacionamento bem grande  com área de apoio com banheiros limpos (tem trocador para bebes) e ducha externa para tirar a areia. Tem também dois quiosques  de praia (coisa rara aqui em Michigan) que vendem sorvete, hot-dog e guloseimas. Ainda na área do estacionamento, haviam dois food trucks vendendo tacos e hamburger, mas não sei se eles estão sempre lá.

Warren Sand Dunes State Park (foto @morarnoseua)

Chegamos no sábado e o tempo estava muito bom, com sol mas não tão calor. A praia tem faixa de areia grande, a areia é fina com algumas pedras e água cristalina (e gelada claro!). Mesmo com o vento, que acaba formando ondas no lago, as crianças se divertiram muito e passamos a tarde toda na praia! Outro atrativo dessa praia são dunas  que se formam e dá para subir no topo delas para apreciar a vista lá de cima. O por-do-sol visto de lá deve ser lindo, mas como agora est escurecendo tarde por aqui (o por-do-sol é por volta das nove e meia da noite) voltamos para a área do campground antes de começar a escurecer.

A área de camping fica localizada em uma área bem arborizada desse state park. Logo que você chega você tem que estacionar o carro e fazer a sua registration no office logo na entrada (nesta época do ano os campings lotam, então você já tem que ter a sua reserva feita online). A recepcionista irá verificar a sua reserva, solicitar a placa do veículo (tem que ter o recreation passport dos states parks), te passar algumas informações básicas e te entregar um papel que tem que ficar no seu carro, pois só pode entrar na área do campground quem esta hospedado lá dentro (visitantes que vem apenas para passar o dia na praia não podem entrar na área do camping, o que torna acampar por aqui ainda mais seguro).

Warren Sand Dunes State Park (foto @morarnoseua)

A  insfrestrurada era ótima com banheiros femininos e masculinos espaçosos, área de ducha para tomar banho individuais e separada dos banheiros, o que é ótimo para dar banho nas crianças. A água é quente e com bastante pressão. Logo na entrada do campground tem uma lojinha de conveniência que vende além de bugigangas lenha e gelo.  Todos os sites (que é o espaço reservado para você montar a sua barraca) tem mesa de pic-nic, fire-pit e ponto de energia elétrica, porém torneira com água potável apenas em alguns pontos. A parte ruim é que não tinha área de pia comunitária para lavar a louça suja e por motivos óbvios não se pode lavar louça suja de comida nas torneiras disponíveis, então a dica é levar tudo o mais descartável possível e bastante papel toalha para poder dar aquela limpada nas panelinhas e frigideiras.

Sempre quando reservamos o nosso espaço no camping gosto de ficar próxima (mas não do lado) da área dos banheiros por causa das crianças e nesse também tinha um playground pertinho da gente, além de uma área com uma tenda e um motorhome chamada “host-spot”, onde tinha vários livros para crianças e adultos emprestarem para ler durante a sua estadia no camping, além de livros para doação. No sábado de manhã também estavam servindo café por lá.

Para quem gosta de fazer trilhas, tem diversas trilhas pelo state park e deve ser muito legal faze-las, mas com crianças pequenas não arriscamos. Como área do camping não fica perto da praia, fomos de carro até lá (aproximadamente uma milha), mas quem curte uma aventura da para ir pelas trilhas pelas dunas.

No domingo, a idéia era levantar acampamento e passear pela regiáo de St Joseph que ainda não conhecemos, mas optamos em voltar para a praia do parque  e curtir a companhia dos amigos que estavam  no acampamento conosco. Devido a chuva forte que caiu durante a madrugada, a cor da água da praia não estava mais tão azul, porém estava menos gelada e tinha bastante pedrinhas  na areia, mas o sol saiu ficamos por lá até as 4 horas da tarde, antes de voltarmos para casa. As crianças aproveitaram muito!

Como já falei em post anterior, para fazer as reservas nos campings dos parques estaduais é só você entrar no site do DNR, super simples e fácil. Em alguns campings privados dá para reservar pelo site já em outros tem que ligar no local.

Tem muitas pessoas entrando em contato pelo instagram (@morarnoseua) pedindo dicas de viagens durante o verão aqui em Michigan. Como temos mais quatro campings reservados para este verão, pretendo compartilhar aqui com vocês a nossa experiência em cada um deles e deixar várias dicas! A primeira delas é que se você pretende acampar neste verão, corre para fazer a sua reserva pois já está praticamente tudo lotado, principalmente os campings dos States Parks, mas ainda é possível encontrar disponibilidades nos campings privados.

Abaixo segue links para os posts que já escrevi sobre acampar nos EUA.

Como é acampar nos EUA

Praias de Michigan

Silver Lake and Grand Haven

Abraços

Juliana Fontes

Todos os textos desta página são de direitos autorais da autora Juliana Fontes.
A cópia de tais textos é proibida por lei. Fique à vontade para compartilhar e divulgar o blog (citar a fonte) mas não copie e cole.

 

Feriado nos EUA – Memorial Day

Morar nos EUA

Flags on houses_2

Hoje foi feriado de Memorial Day aqui nos EUA. Este feriado é uma homenagem aos militares que perderam a vida defendendo a bandeira americana na guerras e é um dos principais feriados americanos. É comemorado principalmente através das parades (desfiles) pelas cidades e é abertura oficial da temporada dos churrascos no quintal (barbecures) e das atividade de verão como piscinas e splashpads nos parques e clubes (pelo menos aqui em Michigan).

Neste final de semana a vizinhança caprichou na arrumação do quintal, cortaram a grama,  encheram as jardineiras de flores, tiraram as capas dos moveis do pátio (que protegiam contra a neve e chuva)  e  limparam a churrasqueira!  Todo mundo animado por aqui! Muita gente viajando para as “praias” de Michigan também,  já que o tempo colaborou com um sol lindo neste fim de semana prolongado. Ah, e lojas cheias também, já que feriado aqui é sinônimo de megapromoções e compras!

Nos…

Ver o post original 217 mais palavras