Arquivo da categoria: Conhecendo Michigan

DETROIT

 

Reinassence Center – Detroit (foto: @morarnoseua)

Depois de quase 4 anos morando aqui em Michigan e escrevendo o blog, me dei conta que escrevi muito pouco sobre a cidade de Detroit. Como neste verão recebemos bastante visitas do Brasil, acabamos indo mais vezes do que de costume para Detroit o que foi muito bom para rever a cidade e notar as boas mudanças que estão ocorrendo por lá.

Muitas pessoas torcem o nariz quando falamos de Detroit. Ainda se tem muito forte aquela imagem dos filmes da década de 80 de uma cidade caindo aos pedaços, feia e violenta. É claro que as sucessivas crises econômicas, que vem desde a década de 50 e que afetaram fortemente a indústria automobilística, castigaram muito a cidade. Detroit passou de uma cidade de quase 2 milhões de habitantes para pouco mais de 700 mil habitantes. Imaginem qualquer grande cidade como Chicago ou New York sem mais da metade da sua população. Ainda tem muitos bairros completamente abandonados, com moradores de rua (homeless) e áreas mal cuidadas, mas esse cenário aos poucos esta mudando.  A cidade tem recebido muitos investimentos privados e desde de que me mudei para Michigan, há quatro anos, eu vejo  downtown Detroit, que é o centro da cidade,  melhorar a cada ano.

dsc00224.jpg

Jefferson Avenue – Detroit (foto: @morarnoseua)

O centro de Detroit, apesar de ser bem compacto, nos dá as vezes a sensação de uma cidade meio vazia, principalmente durante os meses de inverno. Porém durante os passeios que fiz pela cidade neste verão, tive a sensação de uma cidade mais viva com jovens e famílias caminhando pela recém remodelada Woodwoard  Avenue e pelo calçadão ao lado do Detroit river. Lojas e restaurantes novos abriram suas portas, os streets cars (Q-line) voltaram novinhos e até bicicletas disponíveis para locação (como vi em cidades como Montreal no Canadá e em Chicago) tem agora em Detroit.

IMG_3937

Downtown Detroit (foto: @morarnoseua)

Os novos streetcars de Detroit (Q-Line) (foto: @moraranoseua)

A região do Riverfront ou river walk está sendo toda revitalizada. O trecho que fica em frente a famosa torre da GM (Renaissance Center) já está todo pronto. Lá, além de poder almoçar ou jantar em um dos restaurantes que ficam dentro do complexo, você pode fazer caminhada, alugar bicicleta para rodar por downtown,  ter um jantar diferente no Detroit Princess Riverboat ou simplesmente apreciar a vista do Detroit river. Para quem tem crianças, as novas “fontes” com jatos de água que saem do chão, o carrossel e o novo playground fazem a alegria da criançada. (Dica: levem roupinhas extras pois não vi nenhuma criança resistir aos jatos de água, os meu saíram de lá ensopados)

IMG_3328

A nova River walk com os seus jatos de água que fazem a alegria da criançada nos meses de verão! (foto: @morarnoseua)

Recomendo deixarem o carro estacionado no public parking coberto (que é pago) que fica em frente a entrada do hotel do complexo da GM (414 Renaissance Dr W). Paguei 15 dólares por 4 horas de estacionamento. Você retira o ticket na máquina na hora em que entra com o carro, estaciona você mesmo em alguma vaga disponível e na hora de sair coloca novamente o ticket na máquina que vai calcular o valor que pode ser pago com dinheiro ou cartão de crédito na própria máquina. Da região do complexo da GM você pode circular por downtown a pé mesmo, de bicicleta, usar os novos streetscars ou ainda o trenzinho suspenso chamado People Mover que faz um “circulo” passando pelos principais pontos de interesse do centro de Detroit.

 

map

Estações do trem suspenso do People Mover por downtown Detroit

Saindo do complexo da GM, se você caminhar pelo River Walk para o lado esquerdo você vai encontrar a fonte que a criançada adora que eu falei acima, o terminal de locar bike e um pouquinho mais para frente, o carrossel com o novo playground ao lado e o Outdoor Adventure Center, espaco inaugurado em 2015 e mantido pelo DNR com atividades educativas para as crianças e que explicam os recursos naturais de Michigan como seus lagos, rios, florestas e dunas (entrada de $5 para adultos e $3 para crianças). Este trecho da Atwater St onde está localizado o Outdoor Adventure Center acabou de ser revitalizado e tem vários apartamentos novinhos de frente para o Detroit river porém, como era uma região repleta de galpões que estavam abandonados (o próprio Outdoor Adventure Center foi construído em um destes galpões), você ainda verá ao fundo alguns desses galpões caindo aos pedaços por lá.

Outdoor Adventure Center

Caminhando para o lado direito (sentido Sul) você vai ver ao longe a Ambassador Bridge, ponte que liga Detroit a cidade de Windsor no Canadá.  Continuando você vai ver o Princess Riverboat e se seguir até o final a river walk termina bem em frente ao COBO Hall, centro de convenção e exposição onde é realizado o famoso salão do automóvel de Detroit. Ali também ainda está o Joe Louis Arena que até o meio deste ano era a casa do time de Hockey de Michigan, os Red Wings. O estádio será demolido e no lugar será construído um novo centro comercial e residencial além de prédios de estacionamento para dar suporte ao COBO.

IMG_9961

Região do river walk em frente ao Joe Luis Arena (foto: @morarnoseua)

Bem em frente ao Princess Riverboat, subindo a escada em direção a downtown vai  ter  uma praça chamada Hart Plaza. Não tem nada de interessante nela, a  não ser um escultura de aço enorme que era para ser uma fonte, mas que parece que não deu muito certo. Durante os meses de verão  costuma ter “feirinha” ou eventos especiais aos finais de semana. É comum você cruzar com algum homeless nesta praça. Não precisa ficar com medo ou apreensivo, eles não vão te assaltar, é o mesmo tipo de homeless com quem você cruza pelas ruas de New York ou qualquer outra grande cidade.

IMG_3932

Hart Plaza – Downtown Detroit (foto: @morarnoseua)

Passe pela a praça, cruze a Jefferson Avenue e você vai sair direto no começo da Woodward Ave. Agora sim você vai encontrar uma nova Detroit! Este trecho da Woodward avenue que vai até a região do Fox Theater e do Commerica Park (estádio dos Tigers) foi toda revitalizada e é  ali que você vai encontrar os principais ícones de Detroit e os novos streetcars. Poucas pessoas sabem mas esta avenida foi a primeira rua pavimentada dos Estados Unidos e o nome oficial dela é M-1(Michigan Highway 1) e ela divide a cidade de Detroit em leste e oeste indo até a  cidade de Pontiac.

A “prainha” do Campus Matius Park no coração de downtown (foto: @morarnoseua)

Caminhando pela Woodward  a gente chega no Campus Matius Park. É nesta praça que na época de Natal eles montam uma árvore de natal enorme com um ring de patinação no gelo bem em frente. Estivemos lá no nosso primeiro inverno aqui em Michigan em 2013.  Este ano no verão foi montada uma “prainha” com várias cadeiras sobre um chão de areia para as crianças brincarem (tinha baldinhos e pazinhas de praia a disposição da criançada) e também para o pessoal que trabalha nos escritórios ao redor relaxarem durante a hora de almoço (se bem que americano quase nunca faz hora de almoço). Neste trecho da avenida você vai encontrar várias opções de restaurantes como o Hard Rock Café Detroit, Shake-Shack, a churrascaria Texas de Brazil, Starbucks, restaurante mexicano, tailandês, bakerys, pubs entre outros.

IMG_4137

Apresentando Detroit para a familia (foto: @morarnoseua)

Ainda neste trecho da Woodward você vai encontrar a estatua “The Spirit of Detroit” e o monumento ao Joe Louis que sempre aparecem em fotos de Detroit. Para quem gosta de arquitetura tem vários edifícios históricos entre eles o Guardian Building que foi todo restaurado e hoje é sede do Bank of América. O saguão principal dele é aberto ao público e a entrada fica pela Congress Street. Assim que você cruzar o Campus Martius a Woodward Ave continua para a esquerda em direção ao Fox Theater, a Detroit Opera House, ao estádio do Tigers (Commerica), o Ford Field (estádio dos Lions – futebol americao) e ao futuro Little Cesar Arena que será o novo estádio dos Pistons (time de basquete) e dos Red Wings com inauguração prevista para o final do ano e com show da Lady Gaga.

Do campus Martius para a direita você vai cair na região da Greektown, lugar repleto de restaurantes e onde fica o Greektown cassino. Todos esses lugares tem estação do People Mover, que você pode utilizar caso não queira caminhar muito.

IMG_3972

Interior do Guardian Building – downtown Detroit (foto: @morarnoseua)

Wayne County Building – prédio histórico lindo, porém encontra-se completamente vazio (foto: @morarnsoeua)

Na região mais oeste na Woodward, região conhecida como Midtown, você irá encontrar o famoso Detroit Institute of Arts , um prédio muito bonito com um acervo riquíssimo de obras de arte. Ali do ladinho temos o Michigan Science Center para passar o dia com as crianças. Tem muitas atividades educativas e um cinema IMAX. Para quem gosta de visitar prédios públicos bem frente fica a Biblioteca Publica de Detroit. Nesta região recomendo deixar o carro estacionado no parking de um dos museus. Por ali também fica o Motor City Cassino Hotel que a noite chama atenção por suas luzes coloridas. É um cassino com hotel de luxo junto. O cassino em si é bacana mas a região ao redor ainda é feia e está com várias obras ao redor.

img_4003.jpg

Para quem gosta de restaurantes diferentes e com história, temos o The Whitney  também neste trecho da Woodward (4421 Woodward Avenue Detroit) . É uma mansão de 1894 que pertenceu ao homem mais rico de Detroit, o barão David Whitney Jr. Em 1986 ela virou um restaurante com uma arquitetura linda, uma escadaria principal que parece coisa de filme, muito mobiliário antigo e belos vitrais e é claro, muitas histórias de que a mansão é mal assombrada, o que dá todo um charme e mistério para o The Whitney. É um restaurante com um preço diferenciado (entende-se mais caro que o padrão) mas de segunda a sexta das 4-6pm e aos domingos eles tem o chamado Early Evening menu no valor de $40 dólares por pessoa onde esta incluso uma entrada, o prato principal e uma sobremesa (normalmente este é o valor de apenas um prato após as 6pm).

Para quem curte música, o museu da Motown  fica a pouco minutos de carro dessa região. O museu é bem pequeno e os tours (que são guiados) devem ser agendados com antecedência. A região onde fica a Motown é meio feia mas já tem um projeto de um novo museu  da Motown na região “nova” de Detroit.

Outra área de Detroit legal para passear em um sábado de manhã durante os meses mais quentes é no Eastern Market Detroit. É um mercadão com várias bancas de frutas, legumes, pães, flores. Nos galpões ao redor tem peixaria, mercearias, lojas especificas de café, queijos, geleias, mobiliário antigo, artesanatos e artistas de rua. Nesta última visita descobrimos um lugar que vende vários tipos de sucos naturais o que é difícil achar por aqui. Na região também tem vários grafites e a arquitetura do lugar rendem fotos muito bacanas. Na área ao redor do Eastern Market tem vários estacionamentos.

Eastern Market (foto: @morarnoseua)

IMG_3305

Região do Eastern Market Detroit (foto: @morarnoseua)

Outro lugar gostoso para passear nos meses quentes é na Belle Isle Park. É uma ilha que fica bem no meio do Detroit River. Quando estive lá pela primeira vez no final do inverno de 2014 eu a achei bem sem graça e mal cuidada. Na época, a estação do ano não ajudou muito nessa primeira impressão da ilha e ela ainda estava sob a administração da cidade que não tinha dinheiro para cuidar dela. Quatro anos se passaram e hoje a ilha esta sob administração do DNR, isto é, ela virou um parque do Estado. Muitas melhorias já foram feitas desde então,  como manutenção dos jardins e instalação de um novo playground ao lado do Nature Center (aprovado pelas crianças daqui de casa). Na ilha também tem um aquário, um conservatório e um museu mas ainda não entrei nesses lugares para dar a minha opinião.

Para entrar na ilha os carros tem que tem que ter o passe anual no valor de $11 (Recreation Passaport) que permite a entrada em qualquer um dos States Parks de Michigan.  A vista do skyline de Detroit de lá é bem bacana e vale a pena levar a bicicleta para pedalar pela ilha. Durante os meses de  verão é comum encontrar famílias que moram na região de Detroit fazendo churrascos e pic-nics nas áreas verdes. Também é possível locar caiaque e navegar pelo rio que corta a pequena ilha. Nesta ilha é onde ocorre anualmente o Detroit Grand Prix (Indycars series) e uma série de outros eventos ao ar livre.

Belle Isle (foto: google)

 

Agora a pergunta que não quer calar: É seguro passear em Detroit?

Na minha opinião, o perímetro de 2 quarteirões ao redor do Campus Martius Park é uma área super tranquila e segura para se passear por Detroit, assim como a região do Eastern Market e dos museus. Temos que ter em mente que a cidade está se reerguendo então, ainda tem muitas obras na região, como edifícios sendo restaurados, outros sendo demolidos, ruas fechadas em decorrência de novas construções e tapumes de obras em alguns lugares e ainda tem sim, prédios completamente vazios no centro. Quando viajamos, queremos ver lugares bonitos e charmosos e passar longe de lugares feios, porém Detroit tem estes dois lados.

A região de downtown é bem policiada e foram instaladas várias câmeras de segurança. Durante o nosso passeio pelo Riverfront cruzei com vários policiais fazendo a ronda de bicicleta e sempre tem viaturas passando pelas principais avenidas.  Eu passeio em Detroit com as nossas visitas e  com meus filhos pequenos sem neuras. Vou com a minha bolsa a tiracolo e quase sempre estou com o celular na mão tirando fotos. Não sinto medo e nem fico apreensiva em andar a pé pela cidade (diferente de quando estou em São Paulo, sorry São Paulo), mas é claro que como qualquer cidade grande você tem que estar atenta ao que acontece a sua volta.

Ninguém vai chegar em você e te assaltar enquanto você caminha pela cidade ou se estiver parado com o carro no farol (isso não existe aqui), o que a gente escuta as vezes, são casos de furto o que também ocorre em Paris, New York ou em Roma. O problema é que Detroit tem uma má fama que vem de décadas então, qualquer coisa que acontece aqui vira motivo para taxa-la como uma cidade violenta. Detroit requer mais de uma visita para que você consiga enchegar as suas peculiaridades, os seus detalhes e a sua história.

Mas daí você me pergunta: “Juliana, mas eu vejo no noticiário casos de assassinatos e de gangues em Detroit”. Sim, as vezes acontecem crimes feios em determinados bairros da cidade. Normalmente eles estão relacionados ao tráfico de drogas, richas entre gangues e por incrível que pareça, brigas de família. Por isso é sempre bom saber quais lugares são seguros de se visitar. Eu não seria louca de entrar em uma bairro conhecido por ser perigoso, nem em Detroit, nem em Los Angeles, nem em São Paulo e nem em nenhum outro lugar do mundo, é necessário ter bom senso.

Visitar Detroit requer mente aberta. Visitar Detroit é estar preparado para ver o novo de um lado da rua e o decadente do outro. É apreciar arranha-céus espelhados mas ter que passar por bairros mal cuidados para se chegar até eles. É dirigir por highways do primeiro mundo e ver casas abandonadas e queimadas as suas margens. Visitar Detroit é ver com os seus olhos a história de uma cidade que teve um passado rico e glorioso, seguido pela sua total decadência  e saber contemplar hoje, o seu renascimento.

Se você mora aqui perto de Detroit ou já visitou a cidade deixe aqui nos comentários a sua experiência na cidade e dicas de passeios por lá se você tiver!

Se você quiser ter mais opiniões sobre Detroit, tem um post bem bacana no Blog Colagem da Luciana Misura  (post escrito em 2013, um pouco antes de eu me mudar para Michigan) e no blog da  Gaby no Canada  que esteve recentemente na cidade.

No site VisitDetroit.com também tem muita informação sobre a cidade, sempre atualizado.

Está vindo com crianças? Clique no link abaixo para ver as opções de passeios com a criançada na região:

Detroit e arredores com crianças

Quer saber mais sobre a historia de Detroit? Entre no site do Detroit Historical Society

Grande Abraço!

Juliana Fontes

“Todos os textos e fotos desta página são de direitos autorais da autora Juliana Fontes.
A cópia de tais textos e fotos é proibida por lei. Fique à vontade para compartilhar e divulgar o blog mas não copie e cole”

 

 

Anúncios

Mackinac Island -MI

IMG_1755Para muitas pessoas o estado de Michigan se resume a cidade de Detroit e a indústria automobilística, porém como já mencionei aqui no blog, Michigan é um estado repleto de belezas naturais e cidadezinhas encantadoras!

Neste verão, depois de quase quatro anos morando aqui, fomos conhecer a famosa Mackinac Island, uma pequena ilha que fica bem na divisa entre a Lower (LP) e a Uppper península (UP) de Michigan. Historicamente a ilha teve uma grande importância estratégica no passado por ficar localizada bem no estreito de Mackinac que liga o Lake Michigan com o Lake Huron, dois dos cinco grandes lagos americanos. Hoje a ilha é reconhecida como patrimônio histórico (muitas de suas casas foram construídas entre os anos de 1700 e 1800) e é sem dúvida um dos destinos de férias de verão mais conhecidos daqui. A população da ilha gira entorno de 500 habitantes, mas no verão chega a ter em média 15 mil visitantes por dia!

IMG_1834

Os casarões centenários da ilha! Lindos! A maioria deles hoje são hospedagens do tipo  Bed&Breakfast

Saímos no sábado pela manhã de casa e depois de quatro horas de estrada estávamos em Mackinaw City. A idéia era já fazer o check-in no hotel antes de pegar o ferry para a ilha mas como só poderíamos entrar depois da 3pm,  deixamos o carro no estacionamento do hotel, pegamos as nossas bikes, abastecemos as mochilas com comidinhas e trocas de roupa para as crianças e pedalamos até o píer de onde saem os ferrys, que era bem pertinho do hotel, bem no centrinho da cidade.

Optamos em ficar hospedados em Mackinaw City pois os preços são mais em conta do que na ilha, porém o hotel é aquele “padrão Michigan”, o que quer dizer que pagamos $170 a diária (Fairview Beachfront Inn) para ficar em um hotel antigo,  com café da manhã (bem fraquinho) compartilhado com o hotel do lado e cuja única infraestrutura que o hotel oferecia, que era a piscina (que eles chamavam de waterpark, mas que de waterpark não tem nada), não conseguimos usar pois só abria depois do meio-dia (no sábado quando chegamos estávamos na ilha nessa hora e no dia seguinte o nosso check-out era as 11 da manhã. Existem várias opções de hospedagem na cidade, acho que não tivemos sorte desta vez…pelo menos ele era pé na areia no Lake Huron.

Se o valor da diária não é problema para você, recomendo ficar hospedados na própria ilha que tem opções boas de hotel e de bed-and-breakfast, mas é bom fazer as reservas com antecedência durante os meses de verão em Michigan. E se for para gastar mesmo fiquem hospedados no Grand Hotel, um hotel de luxo histórico com diárias na casa dos $900 dólares na alta temporada (totalmente fora do nosso budget rsrsrs). Cabe lembrar que, infelizmente, não é permitido acampar na ilha, mesmo 80% dela ser um State Park.

Para se chegar na ilha é preciso pegar um ferry que sai da cidade de Macknaw City (LP)ou de Saint Ignace (UP), o trajeto dura em torno de 20 minutos e é feito por duas companhias, a Star Line Mackinac Island Ferry  e a Shepler’s Mackinac Island  Ferry. O serviço das duas companhias é praticamente o mesmo e no site você terá acesso a informações sobre preços e horários. Optamos pela Shepler’s pois estava com promoção de criança free na compra de adulto e compramos os tickets  on-line para aproveitar o desconto. Um fato curioso é que na ilha não entram carros, então você terá que deixar o seu carro nos estacionamentos que essas empresas oferecem. Para se locomover na ilha você terá a opção de andar a pé, alugar bicicleta ou de andar de charrete.  Optamos por levar as nossas bikes pois já temos a cadeirinha do bebe acoplada. Cabe lembrar que tivemos que pagar $10 dólares a mais por bike no ferry.

IMG_1704

Em Mackinaw City aguardando o Ferry

Um fato interessante é que durante o inverno de Michigan este trecho do lago fica completamente congelado, então os ferrys não funcionam. O único meio de acesso para ilha é através de snowmobiles que percorrem um trecho seguro do lago congelado chamado de “ice-bridge” que liga Mackinaw City a ilha. Os snowmobiles são os únicos veículos motorizados autorizados a chegar na ilha.

O passeio de ferry até a ilha  foi gostoso, ficamos na parte de cima que é aberta então tivemos uma vista privilegiada da Mackinac Bridge. Conforme o ferry se aproxima da ilha ele passa do lado de um farol e já dá para contemplar a fachada dos casarões históricos da ilha, muitos deles em estilo vitoriano, além do forte Holmes e do Grande hotel.

IMG_1712

No ferry a caminho de Mackinac Island com a famosa Mackinac Bridge ao fundo

Desembarcar em Mackinac Island é como voltar no tempo, a rua principal, que na verdade é uma estrada, a M-185 (única estrada dos Estados Unidos que não permite veículos motorizados) é margeada por casarões antigos que hoje são sede de diversos restaurantes, lojinhas, locadoras de bicicletas e hotéis. Ao invés de carros nas ruas temos charretes puxadas a cavalo e muitas, muitas bicicletas! Para manter a ordem, tem lugares demarcados para estacionar as bikes ao longo da rua, locais exclusivos para as charretes e guarda de transito para garantir a ordem. Por ser um sábado a ilha estava bem cheia e as calçadas estreitas  dominadas por pedestres que cruzavam a rua de um lado para o outro o que requeria muita atenção quando estavámos pilotando as bicicletas.

IMG_1723

Ao chegar em Mackinac Island voce já se da conta que a bicicleta é o principal meio de transporte local

IMG_1728

Depois das bikes, os cavalos são a outra opção de transporte na ilha.

Optamos em seguir a avenida sentido sul da ilha e conforme nos afastávamos do centro o tumulto foi diminuindo. Esta rua/ciclovia contorna toda a ilha e tem a extensão de aproximadamente 8 milhas (13 km de circunferência) e pode ser percorrida de bike ou a pé. Os passeios a cavalo ficam mais concentrados no centrinho. Também tem diversas trilhas pelo interior da ilha para quem gosta de hiking.

IMG_1730

A rua/estrada (M-185) que contorna Mackinac Island

Claro que tem pontos turísticos tradicionais na ilha como o Arch Rock, o Fort Holmes, boboletário, museu, igreja e o Grand hotel mas preferimos nos concentrar no passeio de bike contornando a ilha e apreciar a vista do alto da Arch Rock pois só tínhamos praticamente uma tarde na ilha. Para quem for passar o final de semana na ilha vai ter tempo suficiente para os programas turísticos.

Como estava um dia lindo de sol (mas com um ventinho típico do norte de Michigan claro) a água do lake Huron estava transparente  e com um tom azul lindo! As praias que se formam na ilha não tem areia e sim muitas pedras, então as pessoas constroem castelos de pedras ao longo da margem o que da um efeito visual super bonito e diferente! E é claro que os meninos adoraram brincar nas pedras. Ao longo do nosso trajeto paramos para um lanchinho e apreciar a vista que era linda! Depois estacionamos as bikes no acesso para o Arch Rock que é que uma formação rochosa em forma de arco no alto do morro com vista para o lago. A escadaria que leva até lá tem por volta de 200 degraus mas não é difícil de subir e lá fomos nos com as crianças. Lá em cima tinha bastante gente, muitas tinham chegado de charrete por uma trilha interna. Tem alguns bancos para descansar e um mirante com uma bela vista para o Lake Huron. Todo mundo (claro!) queria tirar uma foto com a Arch roch ao fundo então, tivemos que esperar um pouco para conseguir tirar as fotos e usar estratégias para não sair nenhum desconhecido de “papagaio de pirata” na mesma…fato típico de lugares turísticos.

IMG_1763

Escadaria que leva ate a Arch Rock

IMG_1772

A famosa Arch Rock. Lá embaixo a estrada na qual viemos pedalando!

IMG_1774

Vista do Lake Huron do mirante da Arch Rock

IMG_1806

Praia de Pedras de Mackinac Island

IMG_1788

Castelos/faróis de pedras!

Não demos a volta toda na ilha pois o Theo já estava cansado de pedalar (estávamos com a nossa bike dupla onde eu pedalava na frente e ele ia atrás ajudando a pedalar e o Leo em outra bike com o Thomas na cadeirinha), então demos meia volta e retornamos pelo mesmo trajeto. Já era por volta de 5 horas da tarde quando chegamos novamente no centrinho da ilha, estacionamos as bikes e fomos almoçar/jantar no restaurante Pink Pony, o qual eu tinha lido bons reviews na internet. Este restaurante fica dentro de um hotel e o ambiente é antigo e meio vintage. Com relação a comida esta estava boa  mas nada diferente do padrão americano de ser. O kids-menu tinha as opções de sempre dos restaurantes (tender fingers, hamburguinho, grilled-cheese ou macarrão com queijo).

1200px-MackinacIslandDowntown

Centrinho de Mackinac Island

Ao saírmos do restaurante a ilha já estava mais vazia e o tempo estava começando a esfriar. Pedalamos um pouco no outro sentindo mas logo voltamos para pegar o ferry de volta para Macknaw City. Na volta viemos na parte de dentro do ferry pois o vento estava desagradável na parte externa. O interior do ferry é bem grande com bastante assentos e as janelas grande permitem um boa vista lá de fora, e a esta hora, as luzes da Mackinac Bridge já estavam acesas!

Quando voltamos para Mackinaw City pedalamos de volta para o hotel para ai sim, fazer o nosso check-in. No começo da noite demos uma volta pela cidade, tomamos um sorvete e fomos até  beira do lago ver o sol se por na Mackinac Bridge. Agora no verão o dia começa a escurecer  por volta das 9 e meia da noite apenas, o que faz o dia render bastante!

IMG_1853

Por-do-sol na Mackinac Bridge! Lindo!

Na manhã seguinte passeamos pela cidade, fizemos algumas fotos e antes de virmos embora almoçamos no Nonna Lisa’s Restaurant que tem uma decoração bem bacana em estilo cabana com animais empalhados e lareira (o Thomas ficou um pouco assustado com os bichos) e a comida estava muito boa, fugindo um pouco do cardápio típico americano.

Mackinaw city também é uma gracinha de cidade com varias opções de hotéis, restaurantes e lojinhas e passagem obrigatória para quem vai sentido upper península. Vale a penas dedicar um dia para passear e conhecer a cidade.

IMG_1866

Uma das paradas obrigatórias em Mackinaw City. Este é um dos melhores pontos para se ver a Mackinac Bridge!

Espero que tenham gostado de conhecer mais um pedacinho de Michigan aqui no blog! Visitem o perfil do blog no Instagram (@morarmoseua), tem sempre fotos novas por lá!

Abraços

Juliana

Todos os textos e fotos desta página são de direitos autorais da autora Juliana Fontes.
A cópia de tais textos e fotos é proibida por lei. Fique à vontade para compartilhar e divulgar o blog mas não copie e cole.

Mais lugarzinhos de Michigan nos posts abaixo!

Fim de semana em Petoskey-MI

Upper Peninsula de Michigan

Praias de Michigan

Traverse City -MI

Detroit e arredores com criancas

É isso mesmo! Tire da sua cabeça aquela imagem da cidade de Detroit que você vê nos filmes e aproveitem para desbravar lugares bem bacanas que tem por aqui com a criançada!

Para os dias frios:

Michigan Science Center Science 

Este é um passeio que agrada crianças de todas as idades e aos pais também já que dá para se divertir junto com elas! Tem o cinema IMAX e atrações especiais, é só ficar de olho na programação!

Detroit Institute of Arts

É um museu de arte, nem todo mundo gosta, mas tem obras de pintores mundialmente conhecidos como Van Gogh e Picasso o que pode agradar crianças maiores.

The Henry Ford Museum

img_6602

É um museu que conta a história da indústria  automobilística e da indústria aqui nos EUA. Não é um museu de “colocar a mão” como o Science e sim mais de olhar as máquinas e os automóveis expostos, mas vale a pena conhecer! A parte do trens é bem bacana e aqui fica uma dica: escondido atrás da área dos trens tem um espaço com poltronas e vários legos e trenzinhos para as crianças brincarem enquanto os pais dão uma descansada.

img_6577

O lugar escondido para os pais descansarem um pouco enquanto as crianças brincam.

Sea Life Michigan Aquarium

É um aquário pequeno que fica dentro de um shopping de Outlets mas é novinho,  muito bem dividido e agradou muito o meu filho de 8 anos! Os destaques são os tubarões, a moreia gigante , o polvo e as tartarugas marinhas.

Ann Arbor Hands On Museum

Um lugar para a criança colocar a mão na massa e se divertir com experiências e brincadeiras! Recomendo para crianças a partir  de 2 anos até 10 anos.

Mt Brighton Ski Resort

img_2288

Quem disse que não da para esquiar em Michigan!? Ta certo que não temos montanhas altas mas para quem não é um expert em Ski alpino da para se divertir bastante! Voce pode comprar o passe e locar os equipamentos para esquiar por conta própria ou se inscrever  online nas aulas de Ski para aprender o básico.

AirTimeTrampoline 

Um galpão repleto de camas elásticas para a criançada pular e gastar todas as energias! E os papais podem pular junto também.

Legoland Discovery Center

Fica dentro do mesmo outlet do Sealife Auarium e é um lugar bacana para crianças de 2 até uns 8 anos.

Para os dias quentes:

Greenfield Village

img_1096

Vila histórica linda que pertence ao complexo do Henry Ford Museum. Voce vai passar um dia inteiro la dentro! Fique de olho na programação do site para os dias que tem eventos especiais! Fomos no feriado de memorial Day e foi muito bacana ver toda a reprodução da Guerra Civil Americana!

Detroit Zoo

img_3836

Tem gente que gosta e tem gente que não de zoológicos. Eu morro de dó dos bichinhos ali presos e sendo exibidos mas…criança gosta de ver bichos e o zoológico de Detroit é bem legal! A aérea do urso polar é a mais concorrida com  certeza! A  área  nova dos pinguins acabou de ser inaugurada  também!

– Passear no Detroit River Front

DSC00187.JPGA região que beira o Detroit River em frente ao prédio da GM foi toda revitalizada e vale a pena o passeio! E o Canadá esta ali do outro lado do rio.

Kensington Metro Park

Adoramos este parque! Se você é residente vale a pena comprar o passe anual. Tem atrações para todas as estações do ano. No verão tem as “praias”, splash playground com toboagua, tem uma fazendinha, inúmeras áreas de picnic com playground, área de churrasqueira, trilhas para andar de bike, aluguel de caiaque, pedalinho e canoa. No inverno a área para fazer sled é bem bacana! Fique de olho na programação pois o parque tem vários eventos!

The Adventure Park

img_7477

Para que curte arvorismo este é o lugar! Um lugar super bem estruturado repleto de circuitos de arvorismo demarcados por grau de dificuldade e ziplines!

Heritage Park em Farmington Hills

dsc01122

Um parque bem legal para levar a criançada  para brincar no verão e fazer um pic-nic.

Para crianças maiores que curtem esportes vale a pena levá-las assistir aos jogos dos times de Michigan:

Baseball (Tigers) –Commerica Park

Futebol Americano (Lions)

Basquete (Pistons)

Hockey (Red Wings) 

img_7388

Para levar a criançada para almoçar ou jantar:

Rain Forest Cafe

Hard Rock Cafe

Buddys Pizza

Mora aqui na região de Detroit? Tem alguma dica para dar? Deixe nos comentários!!

Bom divertimento!

Abracos

Juliana

Como vestir as crianças no inverno

 

Fim de semana em Petoskey-MI

img_6896

M119 – Harbor Springs

No final do mês de outubro fomos conhecer a região de Petoskey aqui  de Michigan que fica na  área conhecida como Little Traverse Bay. Petoskey é um destino de praia (praia formada pelo gigantesco lago Michigan) muito frequentado nas férias de verão aqui de Michigan entre os meses de Maio e Setembro. Porém no outono a região também faz sucesso devido a mudança nas cores das folhas das árvores que vão do tom vermelho, passando pelo laranja até chegar no amarelo ouro o que dá para a região um efeito visual lindo!

Saímos na sexta-feira a tarde e ao invés de ir direto para Petoskey desviamos para oeste sentido Traverse City. A viagem em si em direção ao norte de Michigan já é por si só um deleite para os olhos, ver todas aquelas árvores coloridas beirando as estradas é lindo demais! Já estivemos em Traverse duas vezes mas como desta vez estávamos com os meus pais queríamos que eles também conhecessem esta cidade que é um dos destinos turísticos mais famosos aqui de Michigan.

Chegamos quando já estava anoitecendo em Traverse e ficamos hospedados no Grand Beach Resort Hotel. O Hotel fica bem localizado, bem de frente para a praia. O tempo não ajudou muito, estava frio e com uma garôa fininha. O hotel tinha uma piscina indoor o que foi o ponto alto para o Theo nesse primeiro dia de viagem. Depois da piscina e de um banho saímos para jantar. Os restaurantes da rua principal do centro de Traverse City estavam bem cheios, acabamos jantando em um restaurante mais próximo do hotel, já que com um bebe não da para arriscar ficar em fila de espera em restaurante.

img_6747

Praia em frente ao Grand Beach Resort Hotel. No verão deve ser ótimo!

Recomendo fortemente reservar os hotéis antes de ir para esta região. Mesmo não sendo alta temporada, a maioria dos hotéis estavam lotados! Se você também tem a intensão de jantar em algum restaurante em especial também recomendo ligar para o local durante o dia e fazer reserva se não quiser esperar mais de uma hora na fila por uma mesa.

O quarto do hotel era muito bom,  com duas camas queen-size, uma mini copa com microondas, frigobar e pia o que facilita a vida de quem esta com um bebe e precisa fazer papinhas e preparar mamadeiras. O ponto negativo do hotel foi a não disponibilidade de berço para bebe (esqueci de solicitar quando fiz a reserva), um cheiro (fraco) de cigarro no quarto, mesmo o hotel sendo smoky-free e a sala de café da manhã era muito pequena com relação ao tamanho do hotel, o que tornou a hora do café da manhã tumultuada.

No dia seguinte , o tempo estava um pouco melhor e passeamos um pouco pela cidade.  Fomos conhecer o The Village Grand Traverse Community. Para mim o mais legal do local é a área externa, o que rendeu bonitas fotos. Lá também tem restaurante e lojinhas.

img_6754

The Village Grand Traverse Community

Na saída paramos na Grand Traverse Pie Company, um lugar famoso pelos diversos tipos de tortas doces. O lugar é super gostosinho, paramos lá para tomar um chocolate quente e recomendo visitar o local. Além das tortas vi saindo vários sanduiches bem apetitosos!

img_9655

Pie Company em Traverse City

O centrinho de Traverse é cheio de restaurantes e lojinhas, super charmoso o que  pede uma caminhada a pé, mas desta vez o nosso destino era mais ao norte então só passamos de carro. Recomendo se tiver tempo de viagem, reservar um dia inteiro  para curtir a região central de Traverse City. Traverse também fica perto de Glen Arbor e de Sleeping Bear Sand Dunes, dois lugares que vale a pena a visita se você ainda não esteve lá.

Nossa viagem para Traverse City esta aqui.

E para quem gosta de cerveja existem várias cervejarias pela região além das vinícolas.

De Traverse City pegamos a estrada US-31 sentido Petoskey. O viagem durou em torno de uma hora e o trajeto beirando o lago Michigan é lindo! No caminho existem várias farms que vendem  maçãs na beira da estrada. Um pouco antes de chegar em Petoskey passamos por uma cidade chamada Charlevoix que fica situada entre o lago Michigan e o lago Charlovoix, só de passar por ela já me deu vontade de para e almoçar em algum restaurante de lá de frente para o lago, uma cidadezinha super charmosa.

img_6764

US-31 a caminho de Petoskey

img_6766

Charlevoix-MI

Chegamos em Petoskey no começo da tarde. Ficamos hospedados no Comfort Inn, um hotel padrão aqui nos EUA. A recepção era um pouco datada mas  o quarto e banheiros eram bons. Ficamos hospedados no segundo andar e como o hotel não tinha elevador tivemos que subir pelas escadas com as malas. O café da manhã, padrão americano, estava melhor que o do hotel de Traverse City.

img_6903

Petoskey-MI

IMG_6789.JPG

Bayfront Park em  Petoskey

DSCN2237.JPG

Lake Michigan – Bayfront Park Petoskey

Saímos do hotel e fomos conhecer a loja de chocolates Kilwins Chocolate Kitchen que fica bem na avenida principal que beira o lago. A loja é bem bacana e além dos chocolates e sorvetes, vende aqueles fudges típicos da região norte de Michigan e a pipoca caramelizada que o Theo adora. Se você se programar com antecedência dá para fazer um tour pela fábrica de chocolates. De lá paramos no Bayfront park que fica bem na beira do lago (na estrada um pouco mais ao norte desse park tem o Sunset Park, que fica na parte alta da estrada e é um ótimo local para tirar fotos). As árvores estavam lindas com as cores do outono! Tinha um playground bem bacana também mas como já era fim de tarde o vento frio encurtou o nosso tempo no parque.

img_6819

Petoskey-MI

IMG_6775.JPG

Kilwins chocolate kitchen em Petoskey

Quase em frente ao Bayfront park tem o Bear River Valley Recreation Area, um lugar bem tranquilo e gostoso para fazer caminhada. A ponte de arcos que tem logo na entrada é bem bonita, vale a pena o passeio se você gosta de caminhadas ao ar livre. A cidade em si é bem bonita e possui muitas casas em estilo vitoriano que dá todo um charme para o local. Por ficar em uma colina, Petoskey tem uma vista privilegiada do Lake Michigan.

img_6798

Petoskey- Bear River Valley

img_6807

Bear River Valley – este parque fica bem no centro de Petoskey

A noite, deixamos os meninos com os avós no hotel e saímos para um jantar a dois. Por coincidência estava tendo a Restaurant Week em Petoskey bem neste fim de semana. Escolhemos o restaurante Pallete Bistro para ir e acertamos na escolha, A comida estava muito boa, o lugar super aconchegante! Nossa passagem por Petoskey foi rápida, com certeza iremos voltar para desbravar mais a cidade.

img_9678

Centrinho de Petoskey-Mi

Mais sobre a cidade de Petoskey e o que fazer por lá clique aqui.

img_9713

M-119 Tunnel of Trees

No dia seguinte  deixamos o hotel para conhecer o famoso Tunnel of Trees. Tunnel of Trees Scenic Heritage Rte é como é conhecido o trecho da estrada M119 entre  as cidades de Harbor Springs e Cross Village ao norte de Petoskey. Esse trecho tem 20 milhas (aproximadamente 32 quilometros) e está entre uma das estradas mais bonitas de Michigan e é muito procurada nesta época do ano por causa das cores das folhas das árvores durante o outono.

O dia estava um pouco nublado mas a paisagem continuava  linda para o passeio! O nosso hotel estava localizado bem na saída para a M119. Logo no início da estrada tem a Cervejaria  Petoskey Brewing, que é parada obrigatória para os amantes de cerveja. A caminho de Harbor Springs do lado esquerdo da estrada vai estar o Petoskey State park. Se você estiver com tempo, vale parar e desbravar a região. O parque fica  em frente ao lago Michigan e deve ser lindo.

Continuando na M119, a próxima parada foi em Harbor Springs. Fiquei encantada com Harbor Springs! É uma cidadezinha bem pequena mas super charmosa. Na rua que beira a praia tem uns casarões lindos! No verão aquele lugar deve ser o máximo. É em Harbor Springs que o famoso Tunnel of Trees começa de verdade.

img_6901

Pond Hill Farm- Harbor Springs

Outra parada bacana, logo depois de Harbor Springs é a  Pond Hill Farm. É uma fazenda que nessa época do ano fica cheia de abóboras. Um lugar bacana para fotografar e para quem tem crianças tem uma fazendinha e algumas brincadeiras como boliche de abóboras. Eles vendem vários tipos de cervejas e vinhos da região e para quem quer entrar no clima do outono de Michigan tem para vender os famosos dunuts com açúcar e canela e suco de maçã tradicional e o quente que parece um chá de maçã, muito bom!

dscn2256

Pond Hill Farm

 

dscn2261

Pond Hill Farm

Continuamos na estrada sentido norte. A M-119 neste trecho é estreita então as árvores ficam bem próximas uma das outras formando um verdadeiro túnel de árvores. É uma estradinha cheia de curvas, subidas e descidas, uma delícia de ir passeando observando a paisagem, sem pressa, mas prestem atenção no trafego pois mesmo ela sendo estreita ela é de mãos dupla e não tem faixa separando as pistas (o asfalto era novo, pode ser por isso) então um olho nas árvores e outro na estrada. Em alguns trechos da estrada é possível ver o Lago Michigan a sua esquerda (para quem esta indo sentido Norte). Praticamente não existem pontos de parada, pois a área de acostamento é bem estreita mas em alguns lugares é possível dar uma parada rápida com o carro para fotografar.

img_9701

M-119

img_6898

M-119 Tunnel of Trees

Este ano, a mudança das cores das folhas das árvores atrasou. Dizem que foi porque o frio demorou para chegar por essas bandas este ano. Normalmente a mudança das folhas nesta região mais ao norte de Michigan começa no final de setembro tendo o seu ápice no meio do mês de Outubro. Estivemos na região no fim de semana do dia 22 de outubro e ainda tinha vários trechos onde as folhas ainda estavam verdes. Este ano, só conseguiu ver tudo amarelo cor de ouro quem esteve na região entre a última semana de outubro e a primeira de novembro, o que foi totalmente atípico.

DSCN2268.JPG

Este trecho da M119 ainda estava bem verde, mas mesmo assim lindo!

apice-fall

No final da mudança das cores a M-119 fica assim! (photo M-119 facebook page)

Um pouco antes de chegar em Cross Village tem uma vilinha na beira da estrada chamada de Good Heart, onde tem opções charmosas para tomar um chocolate quente. Mas cuidado, se você piscar voce passa por ela sem perceber.

img_6869

Uma paradinha no meio da M-119

 

A estrada termina em Cross Village que é praticamente uma rua onde fica  o Legs Inn, famoso restaurante e ponto de parada obrigatória  da pequena comunidade mas para a nossa surpresa ele já estava fechado para a estação. Tentamos comer alguma coisa no Old World Cafe que fica do outro lado da rua mas estava impossível de entrar, lotado. Fomos então conhecer a praia de Cross Village. Muito bonita, pena que o tempo fechou e estava aquele vento frio vindo do lago Michigan.

IMG_6876.JPG

Praia em Cross Village-MI

img_6871

Praia de Cross Village-MI

De lá pegamos estrada de volta para casa. Esta região da M-119 dá para ser explorada com mais calma, principalmente no verão para curtir as praias e os parques. Infelizmente só tínhamos tempo para passar por ela. Voltamos pela I-75, se tivéssemos um dia a mais iríamos até Mackinaw City para os meus pais conhecerem pois estávamos bem pertinho, a menos de meia hora de carro. A volta foi bem puxada, paramos para almoçar na cidade de Gaylord em um restaurante tipo buffet chamado Ponderosa Steakhouse, o que é raro por aqui. Então seguimos direto para casa com duas crianças no carro. No final o Thomas já estava cansado e chorou bastante. O ideal seria ter dormido em algum hotel no caminho e voltado no dia seguinte pela manhã, fica então a dica para quem esta com criança pequena.

 

map

Este mapa mostra um roteiro bem bacana de viagem para se fazer por Michigan

Mais informações:

Pagina da M-119 no facebook

Pure Michigan

MyNorth

Petoskey Area

Traverse City

Abraços

Juliana

Todos os textos desta página são de direitos autorais da autora Juliana Fontes.
A cópia de tais textos é proibida por lei. Fique à vontade para compartilhar e divulgar o blog mas não copie e cole.

3 anos morando nos EUA

dsc01881

Aeroporto de Guarulhos – 10 de novembro de 2013

E hoje dia 11 de novembro de 2016 faz exatamente 3 anos que desembarcamos em terras americanas! Nossa como o tempo passa rápido!

Obrigada a todos vocês que acompanham o blog! Sempre leio TODOS os comentários que vocês deixam aqui e se eu não te respondi peço mil desculpas. Continuem participando ativamente do blog, deixem comentários, curtam a nossa página no Facebook e no Instagram. Compartilhem com os amigos!! Isso ajuda o blog a crescer!

Este post de hoje é para agradecer a essa oportunidade que tivemos há 3 anos atrás e fazer uma retrospectiva de algumas coisas que vivenciamos por aqui. Vou deixar abaixo o link para alguns posts que escrevi no blog ao longo desses 3 anos e  que tem tudo a ver com o dia de hoje!

Um grande abraço!!

Juliana

O dia em que chegamos aqui nos EUA 

O post que escrevi de dentro do avião

O primeiro post do blog

Aos recém-chegados nos EUA

O que levar para os EUA

Primeiras providencias ao chegar nos EUA

1 ano morando nos EUA

O que perdemos quando deixamos o Brasil

Bom, estes três anos foram bem vividos, muitas experiências novas e viagens!! O que amamos!!

img_0314

Inverno de 2014 – descobrimos como é morar em um lugar que neva! No nosso primeiro inverno fomos presenteados com  recordes de temperaturas baixas e quantidade de neve acumulada!

img_0846

Fevereiro de 2014 -Andamos sobre um lago congelado pela primeira vez!

img_0618

Aprendemos a fazer um boneco de neve (não é fácil como parece)

,

img_0127

Theo descobriu que brincar em um playground cheio de neve é bem divertido!

dscn9484

Passamos a relacionar o mês de outubro com abóboras!!

dsc00224

Descobrimos que Detroit é muito mais do que edifícios abandonados

img_5956

Descobrimos uma estação chamada Outono de Michigan e passamos a ama-la!!

img_3400

Assistimos a Nascar

img_1663

Aprendemos a curtir os fins de tarde de verão nos parques e aproveitar o calor ao máximo pois aqui ele dura pouco.

dscn2351

Nos divertimos nas noites de Halloween!

img_5024

Segurei em uma arma pela primeira vez na vida! Nao gostei mas foi uma experiência nova dar uns tiros.

img_4165

Aprendemos a ter paciência para cultivar tulipas!, Plantar os bulbos em novembro antes da neve para ve-las florecer apenas em maio na primavera.

img_2287

Tentamos Esquiar

img_0348

Tentamos patinar

img_6597

Descobrimos uma nova gordice: Elephant ears

img_2289

Fomos para a Disney!

img_5803

Conhecemos New York

dscn0939

Redescobrimos Chicago!

img_6400

O Canadá esta logo ali!

dscn0011

Conhecemos Montreal no Canada e reencontramos amigos queridos por lá!

DCIM102GOPRO

Foi muito bom visitar Toronto de novo!

img_1414

Fomos para Indianapoles

img_9467

Descobrimos que acampar em Michigan é muito legal!

img_0486

Fui no show da Shania Twain

E podemos dizer que conhecemos o 5 grandes lagos (The Great Lakes)!

DCIM101GOPRO

Lake Superior em Munising na Upper Península de Michigan

dsc00371

Lake Erie em Cleavelend-Ohio

dscn0583

Lake Michigan em Sleeping Bear sand Dunes em Michigan

dscn9814

Lake Ontário no Canadá

dsc01002

Lake Huron

dscn1339

Fiquei grávida!

img_4218

A familiar aumentou!!

Muita coisa aconteceu, aprendemos muitas coisas novas nessa vida fora do Brasil, muita saudade, muitas conquistas, fizemos amigos, algumas perdas, mas no final posso dizer que esses 3 anos foram muito bem vividos!!!

Mais abraços!

Juliana

Todos os textos desta página são de direitos autorais da autora Juliana Fontes.
A cópia de tais textos é proibida por lei. Fique à vontade para compartilhar e divulgar o blog mas não copie e cole.

Como é Morar em Michigan

E hoje tem um pouquinho de como é morar aqui em Michigan na entrevista que dei para a Carol Mendes do blog www.descobriaamerica.com

“Michigan! Um estado com bastante história para a minha própria família (a parte americana dela, claro), e inclusive ainda temos diversos parentes por lá. Mas se tem uma brasileira que pode nos passar  informações super bacanas sobre o estado, e sobre Wixom (na região de Detroit), onde mora agora, ela é a Juliana Fontes, responsável pelo blog Morar nos EUA. Vamos à leitura? 🙂

IMG_1783

“Meu nome é Juliana, sou esposa do Léo e mãe do Theo e do Thomas! Era dentista no Brasil e aqui sou dona de casa e mãe 24 horas. Adoro mexer com fotos e fazer “scrapbook”. Também tenho um blog chamado Morar nos EUA. Estamos nos Estados Unidos desde novembro de 2013. No primeiro ano, moramos na cidade de Canton, no estado do Michigan, e depois nos mudamos para a cidade de Wixom, também em Michigan, onde já estamos há 2 anos. É uma cidade pequena, como a maioria das cidades de subúrbio, mas todas muito próximas umas das outras e com inúmeras opções de comércio e lazer. No Brasil morávamos no estado de de São Paulo.

Nos mudamos para os Estados Unidos porque apareceu uma oportunidade de trabalho aqui para o meu marido na área dele e, como sempre tivemos vontade de passar pela experiência de morar em outro país, resolvemos encarar esta aventura!

No Brasil eu era dentista especialista em Periodontia, formada há quase 15 anos e com meu próprio consultório. Não foi fácil abrir mão da minha carreira, pois sabia que aqui eu não poderia clinicar. Porém, não me arrependo; a experiência de vida é engrandecedora! Sou uma “stay-at-home mom” (mãe em tempo integral) feliz, mas tem horas que dá saudade de clinicar novamente.

Não tivemos muitos problemas com relação a adaptação à cultura daqui. Posso dizer que me adaptei mais rápido do que eu esperava. Claro que a língua é sempre uma barreira no início, mas isso nunca me impediu de me relacionar com as pessoas e explorar a nossa nova cidade. A presença de amigos brasileiros que já moravam aqui na região nos ajudou muito nessa adaptação. Além disso, o fato do meu filho frequentar a escola pública abriu uma oportunidade para eu ajudar como voluntária na escola dele, o que me ajudou a conhecer as mães americanas. Assim que chegamos aqui, tivemos que começar a vida novamente do zero e entender como o sistema funciona, mas depois dos três primeiros meses tudo entrou nos eixos e vida retomou sua rotina.

A maioria das pessoas que moram na nossa região são pessoas que trabalham na indústria automobilística. Por causa disso também tem muitos estrangeiros por aqui. Eu percebo que as pessoas são muito tranquilas e as famílias são bem grandes, com uma média de 3 a 4 filhos por casal. Os americanos são muito patriotas e adoram demonstrar o orgulho que tem pelo seu país, o que se pode ver pela quantidade de casas ostentando a bandeira dos Estados Unidos do lado de fora e pela participação ativa da população em datas comemorativas, como no feriado de 4 de julho. Me dou bem com os americanos; depois que te conhecem eles são pessoas bem receptivas. Mas cada um cuida da sua vida. Percebi que, desde a infância, os americanos aprendem a ser bem independentes. Ninguém te julga pela roupa que você veste ou pelo carro que você tem. Como qualquer país, aqui há alguns hábitos e costumes diferentes dos nossos brasileiros, mas essa é grande experiência de se morar em outro país: o contato com outras culturas e formas de pensar e olhar o Brasil e nós, brasileiros, por uma outra perspectiva.

Então os americanos são “na deles”; não são como a maioria dos brasileiros que já chega abraçando e beijando uma pessoa que acabou de conhecer e que em menos de meia hora de conversa já virou o seu melhor amigo de infância. Mas eles são muito, MUITO educados e adoram conversar com quem vem de outro país, principalmente do Brasil, que para eles é um destino exótico! E assim, aos pouquinhos eles vão se abrindo. Tenho amizade com duas americanas mães de amigos do meu filho, de frequentar a casa delas e elas a minha. Nossos maridos se tornaram amigos e sempre rola um churrasco aqui em casa ou um hambúrguer na casa deles! Tem que ter a mente aberta, sem preconceitos !

Agora sobre os pontos positivos e os pontos negativos de morar em Wixom, minha cidade atual:

  • Pontos positivos – Em primeiro lugar, a segurança. Mesmo estando a apenas meia hora de Detroit, que é considerada uma das cidades mais violentas dos Estados Unidos, nós nos sentimos muito seguros em Wixom. Poder entrar e sair de casa sem ter que procurar por algum “suspeito”, deixar o seu carro estacionado em qualquer lugar, sem medo de que ele possa ser roubado e ficar parada no semáforo com o vidro do carro totalmente aberto (no verão de Michigan claro!) para mim não tem preço. Em segundo lugar, é a presença de boas escolas. Meu filho adora a escola e já está fluente em inglês. Isso vai ser um diferencial no futuro dele. Além disso, a presença de muitas áreas verdes e inúmeros parques para recreação aos finais de semana. Uma outra coisa linda aqui de Michigan e que eu adoro é poder presenciar a mudança das estações do ano. Cada estação aqui é muito bem definida e tem a sua beleza particular. Mas a minha preferida é o outono! É lindo ver as folhas das árvores se tingindo de vermelho, laranja e amarelo! É uma paisagem que não temos no Brasil e acho que por isso me encanta tanto!
  • Pontos negativos – Os meses de inverno são os mais difíceis. No começo é legal, a neve é linda, brincamos na neve, fazemos “sledding” (tobogã na neve)… mas depois de dois meses de muito frio e neve, começa a baixar uma certa depressão. Um outro ponto negativo é falta de transporte público. Não existe linhas de ônibus, nem de trem, nem metro e táxi só o do aeroporto. Aqui você é obrigado a ter um carro.

Apenas complementando as informações sobre o clima em Wixom, em geral as estações são bem definidas no estado de Michigan. Temos um inverno bem gelado com muita neve, uma primavera chuvosa, um verão bem quente e úmido (aqui tem muitos lagos e muito verde!) e um outono lindo com temperaturas amenas.

Nos meses de primavera, verão e outono, as opções para relaxar nos finais de semana são ir aos parques, fazer pic-nic, andar de bicicleta, passear pela região norte do Estado. Durante o inverno acabamos ficando mais dentro de casa, mas gostamos de ir ao cinema, casa de amigos, praticar ice-skating. Quando a temperatura permite, gostamos de fazer “sledding” nos parques. Para quem gosta e sabe esquiar, tem algumas opções de estações de Ski no norte de Michigan.

A região em que moramos não é uma área turística. Dificilmente alguém do Brasil vai escolher Michigan como destino de férias nos Estados Unidos, ainda mais Wixom! A grande maioria das pessoas que vem para a região de Detroit é para negócios ou para participar de congressos, principalmente relacionados com a indústria automobilística. Mas Michigan tem várias boas surpresas! Existem diversos museus na região de Detroit, ainda não tive a oportunidade de ir, mas dizem que o Detroit Institute of Arts Museum é muito bom. Tem o Detroit Zooque fica em Royal Oak que é bem legal para passear com crianças. The Henry Ford é um museu que conta um pouco da história americana e da indústria automobilística. Passear no Riverfront em downtown Detroit e observar a cidade de Windsor, no Canadá ali do outro lado do Detroit River também é um ótimo passeio para os dias quentes de verão e, se você tiver visto canadense, é só cruzar a ponte que você já estará no Canadá. Tem também um museu a céu aberto chamado Greenfield Village que fica na cidade de Dearborn, bem próximo a Detroit, é um lugar muito legal, que reproduz uma vila americana do início do século dezenove, sempre tem atividades especiais em datas comemorativas e vale muito a pena a visita, um passeio para a família inteira! Durante os meses de verão, uma visita às praias da região norte de Michigan é passeio obrigatório. A região é muito verde, muito linda e a cor turquesa e a imensidão do lago Michigan no verão é uma surpresa indescritível! Se tiverem a oportunidade de ir para o norte de Michigan, não deixem de visitar as cidades de Traverse City,Sleeping Bear Dunes, Mackinac Island, Petroskey, Silver Lake Dunes. É muito comum, durante o verão, as famílias alugarem trailers e acamparem nos diversos parques da região norte. A Upper Peninsula de Michigan é linda também e tem lugares lindos e prais de lago inacreditáveis!

Quanto a ter contato com brasileiros, temos um grupo de amigos brasileiros, sim. Sempre que possível procuramos nos encontrar, mas não temos o hábito de frequentar encontros de brasileiros. Na nossa região há muitos brasileiros, portanto, diversos eventos da comunidade, mas não nos prendemos a isso. Temos a mente bem aberta e temos amizades com americanos também. Não nos fechamos em uma comunidade.

Já sobre mercados que vendam produtos brasileiros em Wixom, não temos. Tem um na cidade de Ann Arborchamado Tienda La Libertad, que na verdade é mexicano mas tem algumas coisas brasileiras. Brasileiro mesmo não tem!

A mesma coisa em relação  restaurantes: nenhum em Wixom! Tem a churrascaria Gaucho, em Northville, cujo dono e até alguns garçons são brasileiros. Também tem uma outra churrascaria em Detroit, a Texas de Brazil. O que tem aqui são brasileiras que cozinham comida caseira para fora como feijoada, moqueca, feijao e salgadinhos.

Quanto à saudade do Brasil, sentimos falta da nossa família! E das praias brasileiras.

Às vezes pensamos em voltar a residir no Brasil no futuro, por causa da saudade da família e para que os meninos possam conviver mais com os avós. Mas quando vemos a situação de violência e corrupção que se encontra o Brasil, a vontade passa.

Muitas pessoas sonham em vir morar aqui nos Estados Unidos. O meu conselho é que se você quer mesmo vir pra cá, corra atrás, estude inglês e se especialize. Tem que ser uma decisão muito bem pensada. Aqui é um país seguro, com ótimas escolas, ótimas opções de lazer, mas também tem que se trabalhar muito e o custo de vida não é barato. Algumas pessoas se iludem achando que nos Estados Unidos tudo é mais barato que no Brasil, mas não é bem assim. Comprar um carro ou fazer compras nos outlets pode até ser mais barato que no Brasil, mas pagar aluguel de casa, arcar com um plano de saúde, contas de água, luz e gás pesam bastante no orçamento no final do mês, então tudo tem que ser levado em consideração. É uma mudança de vida muito grande, as culturas são diferentes e você sempre será um estrangeiro aqui.”

Juliana Fontes

A entrevista acima foi dada com exclusividade para o blog descobriaamerica, é proibido qualquer tipo de reprodução da mesma.

Abraços!

Juliana

Como é acampar nos EUA

download

Quando morávamos no Brasil gostávamos de acampar, não íamos com muita frequência mas sempre que acampávamos era divertido, na maioria das vezes íamos para Ilha Bela/SP.

Quando nos mudamos para cá, ficamos impressionados com a quantidade de trailers e motorhomes com que cruzávamos pelas estradas durante o verão (entre os meses de maio a setembro) e de lojas especializadas na venda e aluguel de RVs (Recreational Vehicle – termo utilizado para descrever os trailers e motorhomes). Descobrimos que aqui em Michigan os americanos tem o hábito de acampar com a família durante os meses de verão e por causa disso a quantidade de áreas para campings e a infraestrutura toda envolvida é enorme!

directoryCover

Os campings daqui são super estruturados, com sites na internet e associações. Aqui em Michigan os melhores locais para se acampar é no norte do estado e na costa oeste voltada para o lago Michigan. Muitos campings ficam lotados durante o período das férias escolares de verão americanas, então é necessário reservar com antecedência o seu “site” (espaço para colocar a sua barraca, trailer ou motorhome).

map1

Exemplo de distribuição das áreas em um campground.(Silver Lake resort and campground)

Existem praticamente dois tipos de campings aqui em Michigan: os que ficam dentro dos parques estaduais (State Parks) e os campings particulares. Ambos os campings tem ótima infraestrutura com banheiros/vestiários, sites (área para colocar a barraca ou RVs) demarcados com água e energia elétrica (com ponto de esgoto para o caso dos trailers/RVs), mesa de pic-nic e fire-pit (local próprio para fazer fogueira).

Tipos de Campground clique aqui!

Slide1

Exemplo de um RV campground (credit:http://copakekoa.com/)

Os campings aqui são ambientes bem familiar e seguros. As pessoas vem para curtir a natureza e os momentos em família e costuma ter muita criança. Tem lei do silencio (aparelho de som nem pensar), depois que escurece crianças não podem circular pelo camping desacompanhadas e na grande maioria dos campings é proibida a entrada de bebida alcoólica, principalmente se o camping pertencer a um parque estadual.

IMG_9469

Campground em Silver Lake, MI

IMG_9465

Nosso “site” (espaço) no camping (Silver Lake resort and campground).

Alguns campings particulares podem oferecer algumas opções a mais de lazer como piscina e playground. Como os Michiganders (moradores de Michigan) gostam de aproveitar o verão para curtir os inúmeros lagos que tem aqui na região, os campings que tem acesso aos lagos possuem rampa, píer e área de estacionamento para carretas para quem quiser levar o seu barco ou jet-ski.

Com relação ao preço, este varia entre $30,00 a $50,00 dólares a diária do site, o valor vai depender da época do ano ou se é feriado. Normalmente no site pode ficar um casal com a quantidade de filhos que tiver e amigos podem dividir o espaço também, pagando uma taxa extra por barraca. Aqui em Michigan, pelo menos, acampar além de ser divertido tem uma relação custo/benefício bem interessante já que os hotéis daqui são caros pelo que eles oferecem. Dificilmente você irá pagar menos de $100 dólares na diária de um hotel simples durante o verão. Cabe lembrar que os hotéis daqui perdem de longe para as pousadinhas charmosas que temos espalhadas pelo Brasil, e café da manhã incluso na diária igual tem no Brasil nem em sonho aqui em Michigan!

Normalmente os campings ficam em cidadezinhas turísticas pequenas, e vamos ser sinceros, as opções de restaurantes para almoço ou jantar são fracas, então o pessoal aqui quando vai acampar leva tudo, pois campista de verdade prepara comida no camping!

IMG_0713

Os campings possuem as fire-pits para fazer fogueira (você tem que comprar a lenha). A criançada adora fazer marshmallow!!

IMG_0722

Hideaway Campground em Silver Lake,MI

Existem também áreas dentro dos parques para quem curte um acampamento bem rústico, no meio do mato mesmo no melhor estilo sem energia elétrica e banho de rio. Estes campings são chamados de forest campings e é só chegar e montar a barraca, mas é proibido abrir clareiras por exemplo. Site dos Forest campgrounds aqui.

Existem diversos termos específicos de camping que você tem que saber na hora de reservar o seu site em um camping aqui. O básico do básico é que saber que se você for acampar com barraca (tent) você precisa de um “eletrical/water site” (espaço com água e energia elétrica. Se você estiver com um trailer ou motorhome (RV) você vai precisar de um “full hookup site” (espaço com água, energia e esgoto). Neste site você encontra explicação para vários termos de campistas.

Se interessou em acampar por estas bandas? É só nos sites abaixo onde você vai encontrar todas as informações necessárias sobre os campings aqui de Michigan!

Site dos campings dentro de parques estaduais de Michigan aqui.

Site de campings particulares de Michigan aqui.

Post sobre nossa primeira vez em Silver Lake

Nossa vontade para este verão que passou era ter alugado um trailer, mas o verão passou rápido demais e acabamos não tendo esta experiência… ficou para o próximo verão!

Abraços!

 Todos os textos desta página são de direitos autorais da autora Juliana Fontes.
A cópia de tais textos é proibida por lei. Fique à vontade para compartilhar e divulgar o blog mas não copie e cole