Ponto negativo dos EUA : Planos de Saúde

reajustes-plano-de-saude-300x276

Depois de ter escrito  53 posts aqui no blog,  este vai ser o primeiro em que vou falar de uma coisa que eu não tenho gostado aqui nos EUA: Os planos de saúde.

Com relação aos médicos, aos hospitais e a tecnologia dos exames daqui eu não tenho do que reclamar, são excelentes, mas os planos de saúde…

O nosso plano de saúde é o Blue Cross/Blue Shield, considerado um plano muito bom pois é aceito por vários médicos e por bons hospitais e clínicas mas, mesmo depois de quase um ano morando nos EUA, ainda não consegui entender a lógica de funcionamento dos planos de saúde daqui, se é que existe alguma lógica.

Bom, resumindo: Os funcionários das empresas (no caso o meu marido) tem descontado do seu salário a quantia  de $200.00 a $500.00 por mês referente a sua participação no plano de saúde empresarial (valor para uma família de 3 pessoas no nosso caso), o que é similar aos planos empresariais do Brasil. Além disso, na maioria das vezes em que você for a uma consulta médica de rotina aqui (exceto pediatra) você vai ter que pagar uma co-participação na clínica que varia de $40.00 a $70.00 dólares dependendo da especialidade médica. Sempre que você for fazer algum exame solicitado pelo médico (mesmo que seja um simples exame de sangue ou uma radiografia), você terá que pagar também uma participação sobre o valor do exame (o plano de saúde cobre uma parte e você paga outra parte). Mesmo tendo plano de saúde a gente paga, paga e paga.

Os planos daqui tem como se fosse uma “carência”, isto é, apenas depois que você gastar uma determinada quantia entre consultas médicas e exames (que varia de 3 mil a 7 mil dólares no ano) é que o plano de saúde começa a cobrir integralmente todas as despesas médicas e hospitalares. Sessões de fisioterapia e tratamento odontológico também são cobradas a parte.

Na primeira vez em que fui ao médico aqui foi para levar o Theo no pediatra. A consulta foi ótima (o post sobre a consulta está aqui) e foi tudo coberto pelo plano, inclusive as vacinas. Depois fiquei sabendo que pelo plano, o Theo só poderia passar no pediatra uma vez ao ano para consulta de rotina, se ele ficar doente ou se machucar tem que passar como consulta de emergência e pagar co-participação. Quem tem filho pequeno sabe que de uma hora para outra pode ocorrer uma emergência, dito e feito. O Theo brincando no parque caiu de um brinquedo do playground e bateu a cabeça e o peito, nada sério mas achamos melhor  levá-lo na clinica de emergência mais próxima. O atendimento foi super rápido e profissional. A médica que o atendeu fez uma exame completo e solicitou radiografia do peito pois ele reclamava que estava doendo. No final foi apenas um susto, nada grave e ele foi liberado para voltar para casa. Passada uma semana chega a conta: tivemos que pagar $40.00 dólares pela radiografia. No Brasil com certeza essa radiografia seria coberta pelo plano de saúde.

Quando chegou a minha vez de passar em consulta também foi tranquilo, tudo dentro do normal até que chegou uma carta que eu teria que refazer um exame de mamografia pois a imagem não tinha ficado boa. Refiz o exame e para minha surpresa, depois de alguns dias chegou um boleto cobrando por esse segundo exame. Tentei de todos os jeitos argumentar que esse segundo exame era por que o primeiro não tinha dado certo, apresentei uma carta da médica que solicitou os exames explicando a situação, mas no final tive que pagar $300,00 dólares pelo segundo exame pois o plano cobre apenas uma mamografia por ano.

Um fato curioso aqui é que você nunca paga a consulta ou o exame na hora em que você passou em atendimento. Normalmente depois de algumas semanas chega na sua casa, via correio, uma carta do plano de saúde ou da clínica com um boleto com valor a ser pago. Eu não gosto esse método de pagamento, principalmente pois na maioria das vezes não vem o descritivo  dos exames que você fez (apenas a data e o nome da clínica) ou ele vem em códigos ou em termos médicos abreviados em inglês o que para mim, particularmente, dificulta identificar por qual exame eu estou pagando. Já aconteceu também de eu ir até a clínica pagar a co-participação diretamente com o cartão de crédito (não gosto de enviar cheque via correio, por mais que esse método seja muito comum para os americanos) e depois de um tempo chegar novamente o boleto de cobrança e neste caso, se você não presta atenção, acaba pagando duas vezes a mesma fatura.

Uma dica que eu dou e que vou começar a colocar em prática é anotar em um caderno a data da consulta ou do exame que fizemos, o nome da clínica e o tipo de exame realizado, assim, quando começar a chegar as faturas de pagamento fica mais fácil para identificar o que está sendo cobrado. Preste muita atenção nos tipos de exames solicitados e confirme com o seu médico os nomes destes (pois não estamos acostumados com esses nomes em inglês) para que você possa identifica-los na hora em que a cobrança chegar na sua casa.

Se você esta vindo morar nos EUA e tem algum problema crônico de saúde que precise de acompanhamento médico periódico e exames constantes, se prepare para desembolsar uma boa quantidade de dólares com as  co-participações dos planos de saúde daqui.

Não tenho muito conhecimento nessa área de planos de saúde daqui , estou reproduzindo o que eu tenho vivido com o nosso plano desde que chegamos nos EUA. Se alguém que mora aqui a mais tempo tiver mais informações,  explicações e dicas para dar, fique a vontade para deixar nos comentários do blog pois assim além de me ajudar a entender um pouco mais o funcionamento dos planos de saúde, também ajuda os outros seguidores do blog que estão para se mudar para os EUA e tem dúvidas sobre esse assunto.

Abraços

Juliana

Todos os textos desta página são de direitos autorais da autora Juliana Fontes.
A cópia de tais textos é proibida por lei. Fique à vontade para compartilhar e divulgar o blog mas não copie e cole

 

Anúncios

7 ideias sobre “Ponto negativo dos EUA : Planos de Saúde

  1. Claudia

    Juliana. Bom saber que é assim, infelizmente! Mudei pra cá a poucos dias e tenho bastante dúvida em relação às vacinas. Minha filha completa 15 meses agora dia 05/10 e no final do mês tenho que aplicar as mesmas que o calendário pede. Pode me orientar? São feitas em clínicas particulares?

    Atenciosamente

    Claudia

    Curtir

    Resposta
  2. rafaelaluna

    Olá Juliana
    Cheguei há 10 dias atras e já no segundo dia tive que levar meu filho de 1 ano na Urgency Care. Ainda sem plano de saúde daqui, só com o plano de saúde viagem. Pagamos 116 dólares pela consulta e agora solicitaremos reembolso da Porto Seguro e já me preparando pra desembolsar alguns $$$ aqui pois todos reclamam a mesma coisa do plano de saúde. Uma coisa que não estou gostando por aqui é a dificuldade que estamos tento para ter um histórico de credito. O banco o qual abrimos nossa conta não fornece cartão de credito para não imigrantes, apenas para quem tem o green Card. Assim fica complicado. Não sei se é a política desse banco em específico ou se outros são assim tb. Se puder, me conte como conseguiram cartões de créditos. A realidade é bem mais difícil viu. Estou um pouco decepcionada. Apesar de muitas coisas legais e são muitas, essa do plano de saúde e do histórico de credito são coisas que estão me desagradando. Um grande beijo

    Curtido por 1 pessoa

    Resposta
    1. Juliana Fontes Autor do post

      Oi Rafaela tudo bem?
      Os planos de saude sao complicados…
      Sobre o historico de credito é assim mesmo. Com o passar do tempo o seu historico de credito vai aumentanto e as coisas melhorando. Vai fazer uma ano que estamos aqui e agora ja temos cartao de credito. Não temos Green Card e sim o visto H1B e conseguimos um cartao de credito com um bom limite. Temos conta no Bank of America onde o nosso gerente nos explicou direitinho como funciona o historico de credito. O Segredo é pagar sempre as contas em dia e não fazer dividas. Ja recebemos o reembolso do “calcão” que tivemos que deixar na compra do celular e na companhia de energia. Aos poucos voces vão se adaptando com o funcionamneto do sistema por aqui. Quando chegamos para morar em um novo país temos que “nascer”de novo, entào os primeiros meses sào mais dificies mesmo,
      Estou super adaptada aos EUA e amando esssa experiencia de morar aqui!
      Boa sorte
      Abracos
      Juliana

      Curtir

      Resposta
      1. Juliana Fontes Autor do post

        Oi Claudia, tudo bem?
        O Theo chegou aqui com 5 anos e por causa da escola ele tinha que tomar algumas vacinas que ele não tinha tomado ainda no BRASIL. Quando levei ele na primeira consulta com o pediatra aqui nos EUA, eu levei a carteira de vacinacao dele do BRASIL e ele tomou as vacinas complementares na clinica mesmo e elas foram todas cobertas pelo Plano, não tive que pagar co-pay pelas vacinas.
        Voce esta aqui em Michigan?
        Abracos
        Juliana

        Curtir

  3. Juliana Fontes Autor do post

    Segue comentario sobre os planos de saude que uma amiga minha que mora aqui ha muitos anos postou no meu face. Obrigada pela dica Telma!
    ” Concordo com voce que healthcare e muito caro nos USA. Tem empregadores que oferecem varios tipos de planos de saude. Nos optamos a pagar um pouco a mais por mes, mas com co-pays mais baixos ($15 por visita exceto de rotina), todos os exames de diagnosticos sao cobertos. Mas as visitas ao emergency room e $150 de co-pay e estadia no hospital e $1500 co-pay. Esses gastos mais caros so tive 2 vezes quando fiquei na maternidade. Eu sempre gostei do Blue Cross, e eles tem varios niveis de cobertura. Eu sempre optei por coberturas mas amplas para eu poder escolher um pouco e nao ter que ficar esperando aprovacao do seguro. Ha pouco tempo meu medico pediu um CT scan do meu pescoco, mas eu contestei devido a quantia de radiacao (eles sempre pedem os exames de custo mais barato para nao precisar ficar justificando para as companhias de seguro), mas como meu seguro e amplo ele acabou pedindo por um ultrasound. Isso deixa ambos o paciente e o medico frustados. Ha muito tempo se fala em healthcare reform, mas nao acho que vai mudar. E nos vamos continuar a pagar o alto preco…”

    Curtir

    Resposta
  4. Pingback: 1 ano morando nos EUA | Morar nos EUA

  5. Pingback: 10 dicas que irão facilitar o seu dia-a-dia nos EUA | Morar nos EUA

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s