Arquivo da tag: morar-nos-eua

4 anos nos EUA e o futuro do blog

IMG_6176

Outono de Michigan 2017 – foto @morarnoseua

 

Hoje, dia 10 de novembro de 2017 faz exatamente 4 anos que deixamos a nossa vida redondinha, casa legal, cidade bacana, emprego, familiares e amigos para começar tudo do zero em outro país. Olho para traz e parece que foi ontem, como passou rápido! Quanta coisa aconteceu, o quanto que aprendemos, desafios, saudades…e no meio disso tudo este blog que me colocou em contato com tanta gente na mesma situação que nós e que fez o meu caminho se cruzar com de pessoas novas (algumas que tive o prazer de conhecer pessoalmente e que se tornaram minhas amigas),  que chegaram aqui em Michigan alguns anos depois da gente mas que encontram aqui, algumas respostas e caminhos para as dúvidas tão frequentes durante este momento de mudança e adaptação.

Quatro anos se passaram desde que escrevi o primeiro post aqui e uma das perguntas que eu mais recebo hoje é: “Você ainda escreve o blog Juliana?” ” O blog acabou?” e a resposta é NÃO, o blog não acabou! O que acontece é que desde que o meu segundo filho nasceu eu não consegui ainda me organizar para reservar um tempo para sentar e compartilhar as nossas experiências aqui no blog e outra, eu acho que não tenho mais tanta novidades para escrever aqui, depois de 4 anos a vida já entrou em uma rotina. A finalidade principal quando iniciei o blog, era compartilhar a nossas experiência durante a fase desta grande mudança de vida que tivemos há quatro anos atrás. Escrevi muito sobre o nosso período de adaptação, as coisas novas que aprendemos, compartilhei dicas praticas  como tirar a carteira de motorista, locação de casa, as escolas nos EUA entre outras coisas. Todos essas informações estão aqui no blog e sei que continuam ajudando muitos recém chegados por aqui.

Ultimamente, o tempo que eu tenho para o blog esta sendo dedicado mais para a página do blog no Instagram. Lá eu consigo juntar duas coisas que eu gosto muito que é a fotografia e o escrever. Então para você que sente falta de posts mais frequentes por aqui ou que quer saber como anda a nossa rotina depois de 4 anos em terras americanas,  comece a nos seguir no Instagram @morarnoseua. Pelo menos 1 vez por semana eu posto alguma foto por lá!

Mas aproveitando que eu estou aqui, vou falar um pouquinho de como foram esses últimos meses. Durante o verão estivemos com a casa cheia! Recebi praticamente toda a minha família: mãe, pai, irmã, sobrinhas, irmão, cunhada e até o meu avô de 91 anos venho para cá!

Minha mãe e meu avô ficaram 2 meses aqui conosco durante o verão o que foi muito bom! Para nós que moramos longe de todos é uma delícia ter a família junto com a gente! Como estávamos com visita praticamente durante todo o verão não fomos viajar por Michigan como de costume. Acampamos apenas uma vez e fomos pela primeira vez no parque aquático Cedar Point que fica no estado vizinho de Ohio.

As aulas do Theo começaram em Setembro e agora ele é um 3th Grade! Ele já está bem adaptado na nova escola (mudamos de casa no ano passado, então ele teve que mudar de escola novamente) e  já tem vários amiguinhos. Brincou muito na rua durante o verão todo já que nesse novo bairro em que moramos tem muitas crianças e todas vão juntas no mesmo ônibus para escola.

Ahh! Teve show do Bon Jovi e U2 também!

Mal começaram as aulas e tivemos que ir para o Brasil renovar (de novo) o nosso visto H1b. Tem post no blog explicando como é a renovação. O Visto H1b pode ser renovado por no máximo 2 vezes pois a validade dele é no máximo de 6 anos. Aproveitamos a viagem  para ver a outra parte da família que não venho para os EUA este ano e finalmente conseguimos fazer uma viagem a dois depois de 4 anos (pois tinha as avós para cuidar das crianças).

Fomos comemorar os nosso 10 anos de casados em Fernando de Noronha! Que lugar lindo! Merece todos os clichês!! E olha que já viajamos para lugares lindíssimos! Sim, é um destino caro, por isso nunca fomos enquanto morávamos no Brasil. Sempre quando colocávamos na ponta do lápis os custos para se viajar para Noronha, optávamos em viajar para fora do Brasil. Valeu a pena? Sim, sim, sim!!! Cada centavo valeu a pena!

Depois de quase um mês no Brasil voltamos para a nossa vidinha a quatro aqui nos EUA. Chegamos junto com o Outono, época de mudança de estação, o frio esta chegando, os dias estão mais curtos. É um momento de curtir o nosso ninho, a nossa casa e uns aos outros.

Vocês leitores do blog, continuem por aqui! O blog não esta abandonado! (Acho que já escrevi isto antes, rs). Continuem enviando dúvidas e perguntas, vejo todas! As vezes demoro um pouco para responder mas um dia a sua resposta chega tá!

Um grande abraço

Juliana

 

Anúncios

Conhecendo o Texas

 

Dallas- Texas

Aproveitamos o feriado da Páscoa para conhecer o estado do Texas. Escolhemos esse destino pois era um lugar que nós ainda não conhecíamos, é quente e queríamos aproveitar a viagem para reencontrar duas famílias de amigos que não víamos há muito tempo e que moram por lá.

 Quero deixar aqui registrado que a minha idéia de um Texas com uma paisagem mais árida  tipo os filmes de cowboys que agente vê na TV ou de um lugar mais rústico foi por água abaixo quando desembarcamos em Dallas. Paisagem muito verde, cidade com avenidas largas, limpa, muita construção nova! Estradas para todos os lados e muito viadutos ligando todos os lugares. Na verdade, nós  que moramos em Michigan é que estamos no interior rsrs.

Uptown Dallas

Tiramos um dia para passear por Dallas e conhecer um pouco a região.   Estacionamos o nosso carro no subsolo do Museu de Artes de Dallas e pagamos $10 para deixar o carro lá o dia inteiro. Bem frente ao Museu de Arte tem um parque muito legal chamado Klyde Warren Park para ir com as crianças pois tem um splash playground onde as crianças podem brincar e se molhar. O dia estava quente por volta de uns  24°C o que para nós de Michigan é calor, então os meninos se divertiram bastante no parque. Na hora em que chegamos estava tendo aula de ioga no gramado do parque e tinham bastante gente participando e também estavam chegando vários foods trucks. Neste parque mesmo pegamos o bondinho/trolley (de graça) para ir até a região da uptown que é onde se concentra vários restaurantes.  Estes bondes  antigos que foram restaurados, fazem um trajeto bem legal pela uptown de Dallas e você pode descer e subir em qualquer ponto de parada que estão sinalizados nas ruas por onde ele passa e além do mais você não precisa pegar o carro e pagar outro estacionamento.

IMG_0338

Klyde Warren Park

Paramos para almoçar em um restaurante chamado Bread Winners Café&Backery, o restaurante é bem bacana as tem várias opções de comidas, lanches e cafés. O que eu gostei nesse restaurante foi o pátio interno com bastante plantas e com luz natural que foi onde ficamos para almoçar, outra coisa que eu achei  interessante foi o kids menu na contra capa de um livro infantil e a única falha do restaurante foi ausência de trocador infantil nos banheiros. Como precisava trocar a fralda do Thomas perguntei para o garçom se tinha algum lugar que eu poderia trocar-lo e ele me encaminhou para uma sala que não estava sendo usada no momento no restaurante onde havia vários sofás onde pude trocar.

Bread Winners Cafe

Trolley de Dallas

Não consigo entender qual a dificuldade dos estabelecimentos em colocar trocador nos banheiros, é uma coisa tão simples! É só fixar na parede o trocador inclusive, no banheiro masculino, deveria ser obrigado por Lei a ter.

Depois de almoço caminhamos um pouco a pé pela região da Uptown de Dallas e  encontramos uma cafeteria de chocolate chamada Sablon Chocolate Lounge e como não resistimos a um chocolate entramos lá para uma sobremesa.

No dia seguinte fomos conhecer o Distrito histórico Fort Worth Stockyard. É um quarteirão da cidade que reproduz o Texas antigo com a estação ferroviária, área de rodeio, desfiles de boi restaurantes especializados em carnes e as lojas que vendem artigos de couro como  botas e os chapéus de caubóis. Almocamos no H3 Ranch, um restaurante com estilo bem texano e comemos uma costela muito boa! Foi um passeio bem legal e o mais próximo que cheguei daquele Texas que aparece em Filmes.

Fort Worth Stockyards

Em Dallas ficamos hospedados na casa de amigos, então não tenho indicação de hotel por lá. Seguimos viagem de Dallas sentido Houston com um pequeno desvio no caminho na cidade de Waco pois o Leo descobriu um lugar para fazer wakeboard de cabo (Cable Park) e como em Michigan não tem e só faz calor três meses por ano ele quiser aproveitar a viagem pra matar a saudade de fazer wakeboard. O lugar é bem legal tem uma boa estrutura e os meninos se divertiram. Almoçamos em Waco mesmo em um restaurante de rede chamado Texas Roadhouse, surpreendentemente a carne e os acompanhamento que pedimos estavam muito bons! (Depois de mais de três anos morando nos EUA não  esperamos muita coisa de restaurantes de rede).

Cable park em Waco

Chegamos em Houston  já a noite em baixo de chuva! Como estávamos bem cansados da viagem fomos direto para o hotel. Ficamos hospedados no Sheraton Houston Brookhollow pois como deixamos para fazer a reserva em cima da hora era o com valor mais em conta, ficava um pouco afastado do centro mas para nos não tinha problema. O  hotel era bom mas já está pedindo uma renovação principalmente dos banheiros. Também não tinha frigobar no quarto o que para quem viaja com crianças faz falta (enchemos o balde de gelo que tinha no quarto com gelo para conservar o iogurte que tínhamos com a gente).

 Na manhã seguinte, tomamos café da manha no hotel e fomos direto para o Space Center da NASA . Passamos o dia todo lá e é um passeio bem legal para se fazer com crianças, principalmente meninos que tem essa afinidade com astronautas, foguetes e o espaço. Nossa ideia era fazer um almoço mais tarde em alguma churrascaria brasileira em Houston, mas saímos muito tarde da NASA e tínhamos combinado de jantar na casa de uma amiga brasileira que mora em Houston, então seguimos direto para a casa dela. Foi ótimo reencontra-la e para tornar a visita melhor ainda os pais dela estavam lá de visita e eles são uma família muito querida por nós, mesmo sem nos ver há muitos anos! Para quem mora longe da família e doa amigos esses reencontros aquecem o coração!

Nasa Space Center

Nasa Space Center

 

Por dentro do Space Center

Saturno V

No dia seguinte os nossos planos de passear na parte da manhã pelo centro de Houston furaram pois estava chovendo e tínhamos que voltar dirigindo até Dallas (4 horas) para pegar o nosso voo de volta para Michigan. Antes de sairmos de Houstom paramos em uma padaria Mexicana chamada El Bolillo Bakery que vende todos os tipos de pães gostosos que você pode imaginar, inclusive pão francês! O único problema é que não tinha mesinhas lá dentro para comer, mas enchemos a nossa bandeja de gordices e fizemos pic-nic de café da manha no carro mesmo.

Nossa bandeija de pãezinhos do El bolillo

A viagem foi corrida mais super legal! Com certeza Houston pede mais dias de visita porém deu pra conhecer um lugar novo e reencontramos amigos queridos!! Gostamos muito do Texas e recomendamos viajar para lá sim! Dizem que Austin e Santo Antonio são muito legais também!

Blogs com dicas ótimas sobre o Texas:

Aprendiz de Viajante

Alo Houston!

Abraços

Juliana

Todos os textos e fotos desta página são de direitos autorais da autora Juliana Fontes.
A cópia de tais textos é proibida por lei. Fique à vontade para compartilhar e divulgar o blog mas não copie e cole.

O cansativo voo de volta …

Saindo de GRU, mal sabia o que me esperava kkkkk!

Depois de três anos morando aqui em Michigan esta foi a primeira vez em que pegamos um voo com escala. Quando compramos os bilhetes para as nossa viagem para o Brasil não conseguimos comprar um voo direto de São Paulo para Michigan então, tivemos que fazer uma conexão em Atlanta.

Aproveito para lembrar que, para quem está viajando com crianças, para sair do Brasil se o passaporte não tem o nome dos pais você é obrigado a apresentar um documento que pode ser o RG da criança ou a certidão de nascimento com o nome de ambos os pais. Apresentei o RG do Theo junto com o passaporte dele e no caso do Thomas, como ele tem passaporte americano, não precisei apresentar outro documento, porém tive que entregar aquela guia branca que recebi no voo quando vim para o Brasil e que foi carimbada com a data de entrada dele no país (pois ele entrou como estrangeiro com visto de turista) e na hora de vir embora o passaporte dele foi carimbado de novo com a data de saída do país.

img_8749

Se estiver viajando com passaporte americano não se  esqueça de preencher o cartão de entrada/saída

Na hora de passar no raio X no Brasil foi bem mais tranquilo que nos Estados Unidos, não precisamos tirar os sapatos e quando eu avisei que tinha mamadeira com água dentro da mochila  a funcionária não fez questão de olhar e nem analisar a água da mamadeira como foi feito no aeroporto nos Estados Unidos.

O nosso voo teve um pequeno atraso para sair de São Paulo, ficamos em média uns 30 minutos parados no gate aguardando autorização para decolar.Diferente do voo de ida para o Brasil neste voo de volta o avião estava lotado então não conseguimos fazer um upgrade para classe economic confort da Delta. Para ajudar, os nossos assentos eram na fileira do meio quase no final do avião, por um lado foi bom pois se fosse um pouco mais para frente seriam 4 no meio então provavelmente teria uma pessoa sentada junto conosco (os últimos acentos do avião a invés de quatro são três assentos) então viemos nós três com o Thomas no colo. E claro desta vez não conseguimos bercinho. Nada contra viajar com um desconhecido ao nosso lado, mas com  criança junto coitada da pessoa, pois é pé para um lado, cabeça para o outro, senta-levanta, senta-levanta, na hora de comer então…não vou nem relatar aqui o caos que é, quem tem filhos pequenos vai me entender rsrsrsr.

O voo de São Paulo para Atlanta foi tranquilo, o Thomas conseguiu dar uma boa dormida no colo e o travesseiro que levamos ajudou muito pois coloquei o travesseiro no meu colo como apoio para ele dormir. O Theo, como de costume, assistiu aos filmes dele e depois do jantar também dormiu, foi um pouco mais apertado desta vez porque não tinha um assento vago entre nós. Bom eu…não dormi nada, assisti a uns quatro filmes durante o voo.

A canseira na verdade começou quando chegamos em Atlanta. O carrinho do Thomas que eu tinha despachado na porta do avião em Guarulhos não foi entregue na porta do avião quando desembarcamos e sim enviado direto para as esteiras junto com as malas então tivemos que andar com Thomas no colo desde o gate de desembarque até chegar na fila da imigração. Quando chegamos para fazer a imigração a fila estava bem grande e faltava apenas aproximadamente uma hora para o nosso voo de Atlanta para Detroit sair (parece muito tempo mas não é). Conversamos com uma funcionária se era possível fazer a nossa imigração mais rápida pois iríamos perder a conexão e estávamos com uma criança de colo e ela falou que como nosso voo era para Detroit não teria problema se o perdêssemos pois toda hora tinha voo para Detroit. Resumindo, ficamos aproximadamente 50 minutos em pé na fila da imigração com uma criança de 10 quilos no colo.

Depois que saímos da imigração corremos que nem loucos para pegar as bagagens na esteira para não perder o voo. Quando fomos checar no painel de qual gate nosso voo iria sair vimos que era praticamente do outro lado do aeroporto! Corremos com as malas até o setor de conecções, colocamos elas novamente nas esteiras  antes de passar novamente pelo RX. (como elas já estava etiquetadas para irem para Detroit não tivemos que fazer outro check-in). Passar novamente pelo raio X significa  tirar os sapatos, ter as mamadeiras analisadas, tirar a criança do carrinho para passar o carrinho  no raio X também, colocar a criança novamente no carrinho e sair correndo pelo aeroporto. Estávamos tão longe do gate que tivemos que pegar até um trem para chegar no local de destino e quando chegamos as portas já estavam fechadas e o nosso avião estava taxiando. Perdemos o voo para Detroit.

Perdemos o voo…paciência …aproveitamos para ir ao banheiro trocar o Thomas e dar a mamadeira dele enquanto isso o Léo foi até um guichê da Delta para ver quando seria o próximo voo para Detroit.

Quando finalmente embarcamos para Detroit (duas horas depois) o Thomas que já estava bem cansado e resolveu começar a chorar. Dentro do avião não queria ficar sentado no meu colo, não queria ficar em pé, não queria nada, foi um voo bem cansativo e ele só conseguiu dormir um pouquinho quando já estávamos chegando em Detroit.

Pois é, este relato é para mostrar que nem tudo é perfeito e sai como o planejado como o nosso voo de ida para o Brasil que eu relatei aqui no blog.

Abraços

Juliana

Viagem de avião com um bebe

Todos os textos desta página são de direitos autorais da autora Juliana Fontes.
A cópia de tais textos é proibida por lei. Fique à vontade para compartilhar e divulgar o blog mas não copie e cole.

3 anos morando nos EUA

dsc01881

Aeroporto de Guarulhos – 10 de novembro de 2013

E hoje dia 11 de novembro de 2016 faz exatamente 3 anos que desembarcamos em terras americanas! Nossa como o tempo passa rápido!

Obrigada a todos vocês que acompanham o blog! Sempre leio TODOS os comentários que vocês deixam aqui e se eu não te respondi peço mil desculpas. Continuem participando ativamente do blog, deixem comentários, curtam a nossa página no Facebook e no Instagram. Compartilhem com os amigos!! Isso ajuda o blog a crescer!

Este post de hoje é para agradecer a essa oportunidade que tivemos há 3 anos atrás e fazer uma retrospectiva de algumas coisas que vivenciamos por aqui. Vou deixar abaixo o link para alguns posts que escrevi no blog ao longo desses 3 anos e  que tem tudo a ver com o dia de hoje!

Um grande abraço!!

Juliana

O dia em que chegamos aqui nos EUA 

O post que escrevi de dentro do avião

O primeiro post do blog

Aos recém-chegados nos EUA

O que levar para os EUA

Primeiras providencias ao chegar nos EUA

1 ano morando nos EUA

O que perdemos quando deixamos o Brasil

Bom, estes três anos foram bem vividos, muitas experiências novas e viagens!! O que amamos!!

img_0314

Inverno de 2014 – descobrimos como é morar em um lugar que neva! No nosso primeiro inverno fomos presenteados com  recordes de temperaturas baixas e quantidade de neve acumulada!

img_0846

Fevereiro de 2014 -Andamos sobre um lago congelado pela primeira vez!

img_0618

Aprendemos a fazer um boneco de neve (não é fácil como parece)

,

img_0127

Theo descobriu que brincar em um playground cheio de neve é bem divertido!

dscn9484

Passamos a relacionar o mês de outubro com abóboras!!

dsc00224

Descobrimos que Detroit é muito mais do que edifícios abandonados

img_5956

Descobrimos uma estação chamada Outono de Michigan e passamos a ama-la!!

img_3400

Assistimos a Nascar

img_1663

Aprendemos a curtir os fins de tarde de verão nos parques e aproveitar o calor ao máximo pois aqui ele dura pouco.

dscn2351

Nos divertimos nas noites de Halloween!

img_5024

Segurei em uma arma pela primeira vez na vida! Nao gostei mas foi uma experiência nova dar uns tiros.

img_4165

Aprendemos a ter paciência para cultivar tulipas!, Plantar os bulbos em novembro antes da neve para ve-las florecer apenas em maio na primavera.

img_2287

Tentamos Esquiar

img_0348

Tentamos patinar

img_6597

Descobrimos uma nova gordice: Elephant ears

img_2289

Fomos para a Disney!

img_5803

Conhecemos New York

dscn0939

Redescobrimos Chicago!

img_6400

O Canadá esta logo ali!

dscn0011

Conhecemos Montreal no Canada e reencontramos amigos queridos por lá!

DCIM102GOPRO

Foi muito bom visitar Toronto de novo!

img_1414

Fomos para Indianapoles

img_9467

Descobrimos que acampar em Michigan é muito legal!

img_0486

Fui no show da Shania Twain

E podemos dizer que conhecemos o 5 grandes lagos (The Great Lakes)!

DCIM101GOPRO

Lake Superior em Munising na Upper Península de Michigan

dsc00371

Lake Erie em Cleavelend-Ohio

dscn0583

Lake Michigan em Sleeping Bear sand Dunes em Michigan

dscn9814

Lake Ontário no Canadá

dsc01002

Lake Huron

dscn1339

Fiquei grávida!

img_4218

A familiar aumentou!!

Muita coisa aconteceu, aprendemos muitas coisas novas nessa vida fora do Brasil, muita saudade, muitas conquistas, fizemos amigos, algumas perdas, mas no final posso dizer que esses 3 anos foram muito bem vividos!!!

Mais abraços!

Juliana

Todos os textos desta página são de direitos autorais da autora Juliana Fontes.
A cópia de tais textos é proibida por lei. Fique à vontade para compartilhar e divulgar o blog mas não copie e cole.

Alugar casa nos EUA- Esclarecendo as dúvidas.

for_rent_sign_4001

Devido ao grande número de perguntas que recebo aqui no blog sobre o processo de locação de casa aqui nos EUA, convidei a Beatriz Siminovich, que é brasileira e trabalha como corretora de imóveis aqui em Michigan para responder as perguntas mais frequentes dos leitores do Blog!

 Meu nome é Beatriz Siminovich mas todos me conhecem como Bia. Nos mudamos para Michigan há 11 anos. Viemos para um experiência de 2 anos que foi ampliada para 5 anos, mas depois de 2 filhos resolvemos fazer nossa vida por aqui! Sou formada em Propaganda e tenho meu MBA em marketing. Há algum tempo trabalho com corretagem e adoro conhecer e trabalhar com todos que chegam! Em pouco tempo bati todos os recordes da empresa na qual trabalho e já ganhei prêmios na área. Nada como fazer aquilo que gostamos! Espero poder ajudar!

Não vou ter acessoria da empresa para locar uma casa nos EUA. Como faço para encontrar e escolher um corretor de imóveis?

Existem 2 maneiras de achar um corretor:

1. Cada listing tem um corretor. É possível ligar diretamente e pedir para eles mostrarem a casa… Ele vai conhecer bem o imóvel e terá o maior prazer em mostrá-lo!

2. Eu sempre sugiro perguntar para amigos ou colegas de trabalho se eles conhecem algum corretor que possa ajudar na busca! Eu também poderei ajudar sempre! Na locação, venda ou compra de imóvel! Meus clientes acham que pelo fato de falarmos português ajuda muito na hora da escolha de um corretor.

Quais são os documentos que devo apresentar para locar uma casa nos EUA? Tenho que levar algum comprovante de renda do Brasil?

Normalmente para o aluguel são necessários possuir uma história de crédito aqui nos EUA e também possuir uma boa nota no crédito!
Infelizmente quem está recém-chegado no país não tem nenhum desses dois requisitos, mas uma carta da empresa garantindo a oferta de trabalho ao locatário já são suficientes para o aluguel de um imóvel!
Os americanos adoram saber que somos estrangeiros e viemos transferidos. E de nosso interesse em pagar as contas em dia para criar um bom histórico e no futuro poder comprar um imóvel!

Existem imobiliárias como no Brasil? Qual é a diferença?

São muitas imobiliárias aqui nos EUA. A grande diferença é que aqui todos os imóveis estão em banco online. Temos acesso a tudo que está disponível! Mas cada corretor é responsável e vai ganhar a comissão de determinado imóvel representando o vendedor (landlord).

Me interessei por várias casas em sites como o Realtor.com e o Zilow.com. Eles são confiáveis?

O Realtor.com é muito confiável porque tem o mesmo banco de imóveis que o corretor tem! Funciona da mesma forma e com a mesma rapidez. Já o Zillow, na minha opinião é o mais fácil e gostoso de fazer a busca mas NÃO é confiável já que as informações dos imóveis não são atualizadas com a mesma rapidez do Realtor.

Como é feito o contrato com o corretor de imóveis nos EUA? Posso mudar de corretor?

Não! Depois do contrato assinado, a não ser que cancelado, o comprador/locatário usará o mesmo corretor. Caso não esteja satisfeito é necessário o envio de algum tipo de documento escrito para informar o cancelamento de contrato! Um e-mail já é o suficiente!

Qual é o tempo mínimo do contrato de aluguel?

Normalmente os contratos de aluguel tem um tempo de 1 ano como mínimo. Existem exceções de 6 meses. Apartamentos, diferentemente de condos ou casas podem ser alugados por menos de 12 meses.

Tenho que deixar pago alugueis em adiantado por ainda não ter histórico de credito nos EUA?

Normalmente com a carta da empresa não será necessário pagar por meses em adiantado. A pratica aqui é deixar um cheque calção de 1 aluguel e meio e mais o primeiro aluguel na hora de fazer o contrato.
Em caso de donos do próprio negócio, sem garantia da empresa, será necessário pagamento adiantado de 6 meses.

Qual o valor da comissão do corretor? Quem paga a comissão, o locatário ou o dono
do imóvel?

Aqui nos EUA a comissão do corretor será paga pelo vendedor (landlord) do imóvel. No aluguel, o primeiro mês é pago ao corretor e no caso da venda, a comissão e de 6% do valor do imóvel. Nos dois casos o corretor dividirá a comissão (50% para o corretor que representa o vendedor/landlord e 50% para o corretor que representa o comprador/locatário)

Se eu tiver que deixar o imóvel antes do termino do contrato tem multa? Consigo transferir o contrato de aluguel para um amigo caso precise retornar para o Brasil?

Sim, as multas variam de caso a caso e serão determinadas na hora que assinar o contrato. Não se pode fazer um sublease (transferência de aluguel) sem a autorização do dono do imóvel.

Os chamados “condos” nos EUA são similares aos condomínios fechados do Brasil? O inquilino tem que pagar o condomínio?

Os condos não são condomínios fechados, normalmente são apartamentos ou casas geminadas. Em 99% dos casos os condomínios já estão inclusos no valor final do aluguel!

Para recém-chegados nos EUA é melhor alugar um apartamento ao invés de uma casa?

Vai depender de cada família optar por casa ou apartamento/condomínio. O medo do brasileiro é ter de lidar com a grama ou com a neve mas por $100 por mês é possível contratar empresas que oferecem esses serviços.As casas oferecem mais espaço e mais privacidade as famílias enquanto os condomínios oferecem alguns serviços.

O inquilino é o responsável pela manutenção do jardim e remoção da neve do imóvel?

Normalmente o inquilino é responsável pelo jardim/neve mas pode ser negociável no valor do aluguel.

Se eu locar uma casa nos EUA serei o responsável pelo pagamento das taxas e impostos do imóvel?

Não! Quem aluga paga apenas o aluguel! Não é responsável por taxas ou impostos.

Qual o valor médio de aluguel de uma casa em Michigan?

Vai depender da cidade mas uma casa com 3 quartos e 2 banheiros numa região com escolas boas começa a partir dos $1800. Já condos a partir dos $1300 e apartamentos $1000.

Tenho que ter um fiador ou fazer um seguro aluguel para locar uma casa nos EUA?

Com a carta da empresa não será necessário possuir fiador para alugar um imóvel aqui.

É possível locar uma casa já toda mobiliada nos EUA?

É possível alugar casas mobiliadas mas são muito custosas. Varia de $2500 a $4000
casas ou apartamentos mobiliados. São chamados de executivo apartments. Muitas empresas oferecem esses apartamentos nos primeiros 2 meses da mudança.

Tenho pressa de locar uma casa pois preciso do comprovante de endereço matricular o meu filho na escola. Quanto tempo leva em media para o contrato ser feito e eu receber as chaves do imóvel?

É muito rápido fazer o contrato de aluguel e contratos podem ser assinados em menos de 1 semana.

Espero poder ajudar muito  vocês na compra, venda ou locação do seu próximo imóvel!
Bem vindos a Michigan e tomara que vocês gostem daqui assim como nós gostamos!

 

corretora-bia-foto

b

Todos os textos desta página são de direitos autorais da autora Juliana Fontes.
A cópia de tais textos é proibida por lei. Fique à vontade para compartilhar e divulgar o blog mas não copie e cole.

O que perdemos quando deixamos o Brasil.

dsc01889

10 de novembro de 2013 – nossa despedida do Brasil

Em novembro deste ano irá completar 3 anos em que estamos morando aqui nos EUA.  Como o tempo passa rápido! Sei que ando meio sumida do blog, devendo posts novos e devendo respostas as perguntas de vocês, seguidores do blog, mas é que a vida de dona de casa aqui nos EUA com dois filhos, sendo que um deles é um bebe, sem uma diarista para ajudar na casa pelo menos uma vez por semana e sem as vovós por perto para dar um help com as crianças não é moleza não! Quem pensa que morar nos EUA é só glamour está completamente enganado.

Bom, mas vamos ao que interessa que é um post novo no blog!!

Depois de 3 anos, acho que já  é possível fazer um balanço realístico de como esta sendo esta experiência de morar fora do Brasil. O terceiro ano é um bom momento para avaliar, como é morar fora do seu país e longe da sua família, já que o deslumbramento dos primeiros anos já passou.

No primeiro ano tudo é novidade! A educação das pessoas, o preço  das coisas, o layout das cidades que faz você se sentir dentro de um filme americano da sessão da tarde, a segurança, as lojas, os restaurantes, a beleza do outono, a neve fofa e branquinha do inverno, até ver o termômetro marcar menos vinte graus célsius no inverno é empolgante! Novos amigos,  fazer aulas de inglês, se encantar com as escolas públicas e com a estrutura das bibliotecas, conhecer lugares novos. Claro que também tem os perrengues deste primeiro ano, mas faz parte do processo de adaptação. Sentimos muita falta da família, mas no primeiro ano tem muita coisa acontecendo, a gente conversa com a família do Brasil pelo Skype quase todo dia, então a saudade não dói muito ainda.

Depois de dois anos morando fora a vida já entrou na rotina. Escola, trabalho, coisas de casa para fazer. Suas visitas aos outlets se resumem a duas vezes ao ano, quando vem família ou amigos te visitar. Você já enjoou de restaurantes do tipo Olive Garden e não acha mais graça em ir no Shopping da sua cidade. Mas você agora conhece restaurantes mais legais, já descobriu aquele mercadinho árabe onde da para comprar algo parecido com requeijão, seu nível de inglês já melhorou e você se sente bem mais confortável para conversar com os americanos. Se locomove de carro para cima e para baixo sem precisar mais do GPS. Você descobre que não vai ser amigo de todo brasileiro que você conhecer. A conversa com a família pelo Skype já não é mais tão frequente, umas duas vezes por semana talvez, afinal todo mundo tem coisa para fazer e a vida das pessoas no Brasil seguiu em frente sem a sua presença. A saudade começa a apertar principalmente aos fins de semana .

Morar fora tem inúmeros pontos positivos como já relatei aqui no blog. Você sai da sua zona de conforto, vive novas experiências, aprende uma nova língua, uma nova cultura, conhece pessoas  novas, sua mente abre para o mundo e você muda como pessoa. Mas  no terceiro ano de vida no exterior, um novo item entrou com força na minha coluna dos pontos negativos: as Perdas.

Morar no exterior é se acostumar, se é que é possível, com as perdas constantes em sua vida. Perdemos o nascimento e os aniversários do sobrinhos. Perdemos os churrascos em família aos domingos. Perdemos o aniversário de 90 anos do meu avo.  Perdemos os Natais em família. Perdemos o encontro de turma do pessoal da faculdade. Perdemos o casamento de amigos queridos e de primos. Perdemos os amigos que fizemos aqui nos EUA pois chegou o momento deles retornarem para o Brasil. Perdemos a nossa presença naquela foto oficial da família. Meus filhos perdem diariamente o convívio com os avós e com os primos. Perdemos nossas avós maternas. Perdemos o último adeus.

Deixamos de fazer parte da vida das pessoas que ficaram no Brasil (mãe, pai e vovós não entram nessa lista). A vida seguiu para todo mundo, para os que partiram e para os que ficaram. E não venha com o argumento de que hoje em dia dá para participar desses momentos via Skype pois não funciona. Nas primeiras festas de aniversários você até tenta entrar ao vivo na festa, direto dos “states” via skype, mas depois você percebe que não funciona. A diferença de horário entre os países não ajuda, as crianças não tem paciência para ficar conversando através de uma telinha e nada substitui a presença física nesses momentos.

Tudo bem, tudo bem, eu sei que a situação do Brasil esta complicada, não tem emprego, não tem segurança, um monte de gente gostaria de trocar de lugar comigo mas para quem tem uma família muito querida é difícil ficar tanto tempo longe.  É difícil não estar presente para compartilhar os sorrisos dos  momentos de alegrias e  nem presente para dar consolo nos momentos de tristeza.

Não me arrependo em ter me mudado para os EUA, está sendo uma experiência única de vida e estamos felizes aqui. Ganhamos segurança, ganhamos liberdade, ganhamos cultura, ganhamos conhecimentos, ganhamos novos amigos mas as perdas estão ali do lado para não nos deixar esquecer que tudo tem os dois lados.

Todos os textos desta página são de direitos autorais da autora Juliana Fontes.
A cópia de tais textos é proibida por lei. Fique à vontade para compartilhar e divulgar o blog mas não copie e cole.

Posts que podem te interessar!

10 dicas que irão facilitar o seu dia-a-dia nos EUA

-Coisas dos EUA

-By By Brasil!

Você sabe os nomes dos filmes em inglês?

 

awesome-80s-movie-posters-53

Para mim sempre será “Curtindo a vida adoidado”!

Adoro ir  ao cinema desde que morávamos no Brasil. Adoro assistir filmes em casa e conversar sobre filmes é uma coisa do cotidiano das pessoas. Vira e mexe quando você esta em uma roda de amigos pode surgir algum comentário sobre algum filme ou alguém comenta sobre uma determinada cena engraçada ou outras coisas.

Porém quando você passa a morar aqui nos EUA você vai perceber que conversar sobre algum filme novo com os seus amigos que estão no Brasil ou sobre algum filme da sua época pré-EUA com amigos americanos vai esbarrar em uma barreira: O nome do filme.

A grande maioria dos filmes americanos tem o seu nome modificado quando eles fazem a tradução  para passar nos cinemas brasileiros com a finalidade do título fazer mais sentido em português, pois as vezes, se a tradução for feita ao pé da letra o título ficaria meio esquisito para os Brasileiros (o titulo original em inglês aparece entre parênteses bem pequenininho embaixo do titulo em portugues, eu nunca lia).

Hangoverposter09 (1)

Se beber não case

Por esse motivo muitos filmes novos que eu assisti aqui nos EUA eu não sei como ficou o nome em português e muitos filmes que eu assisti no Brasil eu simplesmente não sei o nome em inglês o que gera situações engraçadas como conversar sobre algum filme ou alguma cena com a minha amiga americana (que também adora filmes).

Estes dias estava na casa dela quando alguma coisa aconteceu com as crianças e eu me lembrei na hora de uma cena do filme “Curtindo a vida adoidado” (recordista em aparições na sessão da tarde do Brasil) e eu quis comentar a cena na hora com ela e ai …eu não sabia o nome do filme em inglês. Tentei traduzir do português para o inglês (“Enjoying the life a lot!” kkkk), mas é claro que ela não sabia de que filme eu estava falando então tive que descrever o filme, tentar lembrar do nome do ator principal (nao lembrei), enfim…até ela descobrir qual era o filme a situação toda já tinha perdido a graça . Pelo menos eu pratiquei o meu inglês descrevendo o filme! E cabe lembrar que a situação contrária, dela tentar me falar sobre algum filme e eu não ter a menor ideia de que filme ela esta falando, tambem acontece! kkkkk

onesheet

As panteras

As vezes pego filmes na biblioteca da cidade para assistir em casa (se não tem no NETFLIX claro!), e lá vem outra dificuldade: os filmes ficam organizados por ordem alfabética. Lá vou eu na internet pesquisar o nome do filme em inglês para eu conseguir encontrar o dito cujo no meio daquela centena de filmes! (o mesmo acontece com os livros).

Este post é mais para mostrar que morar em outro país é um aprendizado diário, você sempre esta aprendendo coisas novas e se deparando com situações que te tiram da sua zona de conforto a todo momento, inclusive em coisas banais!

Abaixo segue uma listinha de filmes cujos títulos são completamente diferentes !

Curtindo a vida adoidado – Ferris Bueller’s Day Off (Dia de folga do Ferris)

Se beber não case – Hangover (Ressaca)

Onze homens e um segredo – Ocean’s 11 (Os 11 do Ocean)

Esqueceram de mim – Home Alone (sozinho em casa)

Senhor das Armas – Lord of war (Senhor da guerra)

As panteras – Charlie’s Angels ( Os anjos de Charlie)

O Chamado – The Ring (O Anel)

A ressaca – Hot Tube Time Machine ( Jacauzzi, a maquina do tempo)

Jogos Mortais – Saw (Serra)

Meu Malvado favorito – Despicable Me (Desprezível eu)

Todo mundo em panico- Scary Movie ( Filme assustador)

O Poderoso Chefão- The Godfather ( O padrinho)

Truque de Mestre – Now you see me ( Agora você me ve)

As patricinhas de Beverly Hills – Clueless (Sem noção)

E se fosse verdade- Just like Heaven ( Como o paraiso)

Um sonho possível- The Blind side (O lado invisível)

Maluca paixão – All about Steve (tudo sobre Steve)

Mesmo se nada der Certo- Began Again ( Comece de novo)

Esposa de Mentirinha-  Just go with it ( Apenas vamos com isto)

Sintonia de Amor- Sleepless in Seatle (Sem dormir em Seatle)

A espera de um Milagre – The Green Mile (A milha verde)

Se lembrarem de mais filmes deixem nos comentários!

Abracos

Juliana

Todos os textos desta página são de direitos autorais da autora Juliana Fontes.
A cópia de tais textos é proibida por lei. Fique à vontade para compartilhar e divulgar o blog mas não copie e cole