Arquivo da categoria: A mudança

4 anos nos EUA e o futuro do blog

IMG_6176

Outono de Michigan 2017 – foto @morarnoseua

 

Hoje, dia 10 de novembro de 2017 faz exatamente 4 anos que deixamos a nossa vida redondinha, casa legal, cidade bacana, emprego, familiares e amigos para começar tudo do zero em outro país. Olho para traz e parece que foi ontem, como passou rápido! Quanta coisa aconteceu, o quanto que aprendemos, desafios, saudades…e no meio disso tudo este blog que me colocou em contato com tanta gente na mesma situação que nós e que fez o meu caminho se cruzar com de pessoas novas (algumas que tive o prazer de conhecer pessoalmente e que se tornaram minhas amigas),  que chegaram aqui em Michigan alguns anos depois da gente mas que encontram aqui, algumas respostas e caminhos para as dúvidas tão frequentes durante este momento de mudança e adaptação.

Quatro anos se passaram desde que escrevi o primeiro post aqui e uma das perguntas que eu mais recebo hoje é: “Você ainda escreve o blog Juliana?” ” O blog acabou?” e a resposta é NÃO, o blog não acabou! O que acontece é que desde que o meu segundo filho nasceu eu não consegui ainda me organizar para reservar um tempo para sentar e compartilhar as nossas experiências aqui no blog e outra, eu acho que não tenho mais tanta novidades para escrever aqui, depois de 4 anos a vida já entrou em uma rotina. A finalidade principal quando iniciei o blog, era compartilhar a nossas experiência durante a fase desta grande mudança de vida que tivemos há quatro anos atrás. Escrevi muito sobre o nosso período de adaptação, as coisas novas que aprendemos, compartilhei dicas praticas  como tirar a carteira de motorista, locação de casa, as escolas nos EUA entre outras coisas. Todos essas informações estão aqui no blog e sei que continuam ajudando muitos recém chegados por aqui.

Ultimamente, o tempo que eu tenho para o blog esta sendo dedicado mais para a página do blog no Instagram. Lá eu consigo juntar duas coisas que eu gosto muito que é a fotografia e o escrever. Então para você que sente falta de posts mais frequentes por aqui ou que quer saber como anda a nossa rotina depois de 4 anos em terras americanas,  comece a nos seguir no Instagram @morarnoseua. Pelo menos 1 vez por semana eu posto alguma foto por lá!

Mas aproveitando que eu estou aqui, vou falar um pouquinho de como foram esses últimos meses. Durante o verão estivemos com a casa cheia! Recebi praticamente toda a minha família: mãe, pai, irmã, sobrinhas, irmão, cunhada e até o meu avô de 91 anos venho para cá!

Minha mãe e meu avô ficaram 2 meses aqui conosco durante o verão o que foi muito bom! Para nós que moramos longe de todos é uma delícia ter a família junto com a gente! Como estávamos com visita praticamente durante todo o verão não fomos viajar por Michigan como de costume. Acampamos apenas uma vez e fomos pela primeira vez no parque aquático Cedar Point que fica no estado vizinho de Ohio.

As aulas do Theo começaram em Setembro e agora ele é um 3th Grade! Ele já está bem adaptado na nova escola (mudamos de casa no ano passado, então ele teve que mudar de escola novamente) e  já tem vários amiguinhos. Brincou muito na rua durante o verão todo já que nesse novo bairro em que moramos tem muitas crianças e todas vão juntas no mesmo ônibus para escola.

Ahh! Teve show do Bon Jovi e U2 também!

Mal começaram as aulas e tivemos que ir para o Brasil renovar (de novo) o nosso visto H1b. Tem post no blog explicando como é a renovação. O Visto H1b pode ser renovado por no máximo 2 vezes pois a validade dele é no máximo de 6 anos. Aproveitamos a viagem  para ver a outra parte da família que não venho para os EUA este ano e finalmente conseguimos fazer uma viagem a dois depois de 4 anos (pois tinha as avós para cuidar das crianças).

Fomos comemorar os nosso 10 anos de casados em Fernando de Noronha! Que lugar lindo! Merece todos os clichês!! E olha que já viajamos para lugares lindíssimos! Sim, é um destino caro, por isso nunca fomos enquanto morávamos no Brasil. Sempre quando colocávamos na ponta do lápis os custos para se viajar para Noronha, optávamos em viajar para fora do Brasil. Valeu a pena? Sim, sim, sim!!! Cada centavo valeu a pena!

Depois de quase um mês no Brasil voltamos para a nossa vidinha a quatro aqui nos EUA. Chegamos junto com o Outono, época de mudança de estação, o frio esta chegando, os dias estão mais curtos. É um momento de curtir o nosso ninho, a nossa casa e uns aos outros.

Vocês leitores do blog, continuem por aqui! O blog não esta abandonado! (Acho que já escrevi isto antes, rs). Continuem enviando dúvidas e perguntas, vejo todas! As vezes demoro um pouco para responder mas um dia a sua resposta chega tá!

Um grande abraço

Juliana

 

Anúncios

Aos Recém-Chegados nos EUA

Back Camera

Mês de outubro é o mês em que muitos brasileiros desembarcam para morar aqui nos EUA. Já escrevi um post aqui no blog sobre as primeiras providências que devem ser tomadas assim que se chega aqui. (Post das primeiras providências aos recém-chegados nos EUA)

Este post de hoje é mais para dar boas vindas e para dizer algumas coisas que eu acho importante e que podem ajudar nesses primeiros meses.

Este primeiro mês vai ser difícil mesmo. Vai ser uma loucura atrás de documentação, casa, escola, tirar a carteira de motorista, comprar carro, abrir conta em banco, se adaptar ao novo emprego, ouvir e falar inglês diariamente. Tudo é novo, a gente não sabe como funcionam as coisas direito e até colocar gasolina no carro é uma novidade.

Você vai esbarrar no famoso “Histórico de Crédito”. Não tem jeito, vai ter que deixar “calção” para comprar celular e na companhia de energia elétrica, afinal ninguém conhece a gente então eles não sabem se somos bons pagadores ou não. Não adianta se revoltar ou se estressar ou discutir com o vendedor da loja, é assim que o sistema funciona aqui e com o passar do tempo você vai formando o seu histórico de crédito nos EUA.

Você não vai conseguir ter um cartão de crédito nos EUA logo que você abrir uma conta no banco daqui, justamente por causa do histórico de credito que falei acima. Não fique bravo por causa disso, não adianta. Tenha paciência e aprenda a viver sem cartão de crédito por algum tempo.

Não se isole, principalmente se você for acompanhante de quem está vindo trabalhar aqui. Faça parte de comunidades de brasileiros da sua região, frequente as festas e eventos da sua cidade, converse com as pessoas mesmo que o seu inglês não seja muito bom. Se escutar alguém falando português em alguma loja ou no supermercado se apresente e puxe conversa também.

Se você tem filhos, se envolva com a escola deles, as escolas públicas daqui são bem abertas aos pais e sempre precisam de pais voluntários para ajudar, desde organizar eventos e festinhas na escola até empacotar a pipoca da sexta-feira.

Faça novos amigos, abra sua cabeça e seu coração para uma nova família que você vai acabar formando aqui! Todos estão na mesma situação que você!

A saudade da família que ficou no Brasil vai bater. Use e abuse do Skype, do facebook. Não perca os seus vínculos, mas não viva aqui pensando diariamente nas pessoas queridas que ficaram lá, aproveite as novas experiências que você vai ter aqui e quando a saudade bater corra para o computador, escreva uma carta e envie pelo correio!!! Vai ser uma surpresa e tanto! Compartilhem fotos e momentos! É aniversário de alguém especial? Programe para entrar ao vivo na festa via Skype!!!!

Se você acabou de chegar nos estados aqui do norte dos EUA como Michigan, se prepare para o frio. É muito frio e não estamos acostumados. Mas não deixe que o frio e a neve te impeça de curtir o seu novo país. Saia de casa, aprenda a dirigir na neve (com cuidado claro!), vá aos parques descer montanha de sled com as crianças, frequente os ringues de patinação no gelo, vá ao cinema,  ao shopping, na casa de novos amigos. Não dá para ficar 3 meses trancado dentro se casa!!!

Acima de tudo: dificuldades sempre vão surgir, o começo em um novo país não é fácil, temos que “nascer” de novo aqui e começar tudo do zero, mas a experiência de vida, de cultura e de aprendizado de morar em um outro país vai compensar todos os percalços dos primeiros meses!

Bem-vindo aos EUA!!!

Abraços

Juliana

Leia também: 10 dicas que irão facilitar o seu dia-a-dia aqui nos EUA

Todos os textos desta página são de direitos autorais da autora Juliana Fontes.
A cópia de tais textos é proibida por lei. Fique à vontade para compartilhar e divulgar o blog mas não copie e cole

Cheguei nos EUA – Primeiras Providências

dúvidas-sobre-contrato-de-experiência

Depois da despedida cheia de lágrimas no aeroporto no Brasil, da expectativa durante o vôo para os Estados Unidos, do frio na barriga na hora de passar pela imigração americana e da alegria de pisar finalmente em solo americano não como turista e sim com futuro morador vem a  pergunta: Por onde eu começo?

Assim que você desembarcar aqui nos EUA você terá que tomar algumas providências burocráticas necessárias. Fiz uma lista abaixo da principais.

MORADIA: Quando chegamos em Michigan foi  necessário um carro para nós e outro para as malas para nos levar do aeroporto até o hotel. O quarto do hotel era muito bom e tinha uma salinha e uma cozinha o que foi ótimo para a gente que estava de mudança com criança e um monte de malas.  Depois de uma semana em hotel (ficamos hospedados no TownePlace Suites de Novi,Mi) fomos para casa de amigos que já moravam aqui. Durante este período fomos a busca de casa para locar. A locação de imóveis aqui é muito rápida. Todas as casas que havíamos visto pela internet no Brasil já estavam locadas. Além das poucas opções de casas que nos agradavam ainda tínhamos o fator da escola do Theo pois queríamos alugar uma casa que ficasse em um bom distrito escolar.

Aqui nos EUA você contrata um agente, que é como um corretor de imóveis do Brasil e ele te leva para ver as casas que te interessaram. Se alguma casa te agradar e não estiver na agência dele, este agente vai contatar a agência na qual esta anunciada a casa e pegar as chaves para te mostrar o imóvel. Aqui você não fica andando com o corretor no seu carro para ir visitar os imóveis, cada um vai com o seu carro e se encontra no endereço da casa.

Sites que nos ajudaram na procura de casas:

REALTOR

ZILLOW

HOMES 

CENTURY 21

Tem um post no blog que esclarece as dúvidas sobre locação de casa nos EUA, é só clicar no link abaixo:

Aluguel de  casa nos EUA

SOCIAL SECURITY NUMBER (SSN): Sem esse número você não é ninguém aqui. Você vai precisar dele para abrir conta em banco, locar a casa, tirar a carteira de motorista entre outras coisas. Meu marido venho com o visto H1B o que dá direito a ter o SSN. Eu e o Theo somos visto H4 (dependente do H1B). Visto H4 não tem direito ao SSN. Neste caso tive que solicitar no escritório do Social Security uma carta que justificasse o motivo pelo qual eu não posso ter o SSN (o motivo é que sou visto H4) e levar esta carta no escritório da Secretary of State para poder tirar a minha Driver License. Com esta carta solicitamos também um número chamado ITIN (para mim e para o  meu filho) para que entrássemos como dependentes do meu marido na declaração do imposto de renda. Cabe lembrar que dependentes com visto H4 por não terem o SSN não podem trabalhar legalmente aqui nos EUA. Depois de um ano morando aqui é possível entrar com um pedido solicitando uma autorização para trabalho.

Mais informações sobre o Social Security Number aqui.

Informações sobre o ITIN aqui

Mais informações sobre o visto H1B aqui.

CONTA NO BANCO:  É super simples. As agências daqui são vazias, é só entrar e falar que você quer abrir uma conta nova. Você vai precisar do número do SSN, comprovante de residência e de trabalho. Se  você não tem o SSN, você pode ter conta conjunta com alguém que tenha. Você não irá conseguir ter um cartão de Crédito com um bom limite logo que chegar aqui pois você não vai ter ainda um histórico de crédito.

ESCOLA: Se você tem filhos em idade escolar procure alugar uma casa em um bom distrito escolar. Na maioria dos sites de locação de casa  tem a nota da escola do bairro em que esta localizado o imóvel. Para fazer a matricula é só se dirigir até a escola do bairro da sua casa com o comprovante de endereço (contrato de aluguel da casa inicialmente, depois eles solicitaram para eu levar uma conta de água ou energia no nosso nome), certidão de nascimento e carteira de vacinação da criança (tem que ter as traduções dos documentos). Não precisa mostrar passaporte com visto e nem o SSN para matricular uma criança na escola.

Abaixo está o link do distrito escolar aqui da minha cidade para vocês terem uma idéia de como funciona as escolas aqui.

Distrito escolar

Caso queira pesquisar o distrito escolar da sua região é só colocar no google: “school district + o nome da cidade”

HABILITAÇÃO: Tem post sobre como tirar a driver license aqui. Você tem que ter comprovante de endereço, número do SSN ou a carta do Social Security para quem é visto H4. Para tirar a Driver Licence você terá que se dirigir ao escritório da Secretary of State da sua cidade. É permitido dirigir durante 3 meses, a partir da sua data de entrada nos EUA,  com a sua carteira de habilitação do Brasil.

Mais informações: Secretary of State

COMPRAR UM CARRO: O preço dos carro aqui é bem mais barato que no Brasil e os impostos sobre os veículos também. Você pode comprar o seu carro à vista ou fazer um Leasing, o que é muito comum por aqui. O problema do Leasing para os recém chegados é que como não temos ainda histórico de crédito o valor mensal acaba saindo mais alto. Todo carro é obrigado a ter seguro aqui, o valor também varia em função do seu histórico de crédito (se você é um bom pagador ou não).

MÉDICO/HOSPITAIS: Procure saber qual é o hospital mais próximo da sua casa e clínicas de emergências ( Urgent Care (UR) e os Emergency Cares (ER)). A saúde aqui é bem cara e você tem que ter um plano de saúde. Aqui não existe saúde de graça fornecida pelo governo (o “Obamacare” ainda está engatinhando). Provavelmente se você esta vindo por uma empresa, o contratado e seus dependentes terão direito a um plano de saúde. É bom saber que mesmo tendo um ótimo plano de saúde você terá que pagar algumas co-participações em consultas e exames. Para quem tem criança é bom ter indicação de pediatra. Eu tive muita sorte pois já conhecia algumas pessoas que moravam aqui e que me indicaram um ótimo pediatra brasileiro que atende aqui na região em que estou morando, o que foi ótimo pois conversar em termos médicos em inglês no início fica meio complicado. Mas se você está indo para um lugar onde não conhece ninguém, o melhor lugar para pedir a indicação de médico pediatra é na própria escola do seu filho.

Espero que este post tenha ajudado. O primeiro mês vai ser uma loucura, esteja preparado para isso é muita coisa para ser resolvida ao mesmo tempo. Nós não tivemos nenhuma acessoria para resolver toda esta parte burocrática, fomos com a cara e a coragem mesmo, perguntando e procurando informações na internet.

Leiam também : Aos recém-chegados  e 10 dicas que irão faciliatr o seu dia-a-dia nos EUA

Tem perguntas? Deixe nos comentários abaixo.

Abraços

Juliana

O que levar para os EUA – Morar Nos EUA

Uma das seis malas

Uma das seis malas

“Como assim?  Levar alguma coisa para os EUA? Compra tudo lá, não compensa!”

Escutei esta frase várias vezes quando estava arrumando as minhas coisas antes de me mudar para cá. Fazer compras  de roupas e utensílios para a casa aqui é bem mais barato que no Brasil óbvio, mas na prática, não tem como você mudar de país e começar uma nova vida aqui sem nada.

Se você está vindo para os EUA como expatriado, isto é, esta sendo transferido para os EUA para trabalhar na mesma empresa na qual trabalha no Brasil (Visto L), possivelmente você terá direito à um container pago pela empresa para fazer a sua mudança para os EUA e depois para retornar ao Brasil.  Neste caso, você pode trazer tudo o que você quiser, já que espaço na bagagem não é o problema. Temos amigos que só não trouxeram eletrodomésticos, mas de resto trouxeram quase tudo como cama, jogo de sala, roupas, brinquedos… No meu caso, viemos com o Visto H1b isto é , o meu marido foi contratado por uma empresa daqui então, não tivemos direito à um conteiner de mudança. Neste caso só poderíamos trazer para os EUA o que coubesse em nossas malas. Cabe lembrar que  cada passageiro tem direito a duas malas de 32 kg cada uma. Crianças que pagam pelo acento no avião (acima de 2 anos) também tem direito a 2 malas, então tivemos o direito a 6 malas para fazermos a nossa mudança. Você pode trazer mais malas, só que daí você tem que pagar por mala extra. Algumas companhias aéreas com programas de fidelidade oferecem direito a mala extra para clientes premium.

Mas vamos ao que interessa, o que nós trouxemos do Brasil para os EUA:

-ROUPAS: Trouxemos pouca roupa, apenas o suficiente para ficar uma semana em Hotel. Como chegamos aqui em novembro, já estava muito frio então não trouxe quase nada de roupa de verão. Para mim eu trouxe apenas 3 bermudas e algumas camisetas, 2 calças jeans, uma jaqueta de couro e 2 casacos. Uma bota de couro (que não cheguei a usar, pois não dá para usar bota de couro na neve), 2 tênis pois estavam novinhos, 2 sapatos sociais, 1 vestido social preto (que usei no Natal), 3 pijamas pois adoro os meus pijamas, meus biquínis (a parte de baixo dos biquínis daqui parecem fraldas) e minha Havaiana. Meu marido trouxe as mesmas coisas  acima (menos os biquinis, claro!) mais algumas camisas sociais e calça social para o trabalho. Trouxemos também as botas e roupas para neve que tínhamos de quando fomos para o Canadá. Para o Theo trouxe as roupas novas que  ele ganhou de aniversário que foi um mês antes da nossa mudança, alguns moletons e camisetas, algumas bermudinhas, 1 tênis e 1 chinelo o resto, principalmente as coisas de verão, eu não trouxe nada pois criança cresce e quando o verão chegasse aqui não iria mais servir nele mesmo. E roupas para criança aqui é muito, mas muito mais barata que no Brasil.

Como aqui já estava bem frio, uma das primeiras coisas que fizemos ao chegar aqui foi sair para comprar roupas de inverno. Não compramos muita coisa, apenas o necessário, a gente foi comprando conforme fomos sentido necessidade. Indico a Marshall’s, a Sears e também dar uma passada nos outlets para essas primeiras compras aqui nos EUA.

– BRINQUEDOS: Trouxe apenas os preferidos do Theo e que coubessem na mala (os grandes ficaram na casa das vovós)

-ROUPA DE CAMA: Trouxe um jogo de lençol de casal e um de solteiro. Trouxe também um edredom (que tínhamos comprado aqui nos EUA  há alguns anos atrás) pois ele era de pena de ganso e bem quentinho e o edredom do “Carros” do Theo. Coloquei eles naquelas embalagens de embalar à vácuo para ocupar menos espaço na mala. Trouxemos 3 toalhas de banho também. Chegando aqui indico a Home Goods e a BedBathbeyond para comprar lençóis, edredons e toalhas.

DSC01868

Nossos edredons e toalhas embalados á vácuo.

– MAQUIAGEM e Acessórios : Não tinha uma coleção de maquiagem no Brasil então trouxe para cá apenas 1 Rímel, 1 lápis de olho, 3 batons, meu perfume preferido, esmalte Renda da Risquê, meu secador de cabelo pois ele é muito bom, alicate de unha (me falaram que aqui não tinha, mas tem sim, não é da Mundial mas funciona) e minhas bijus. Aqui maquiagem é muito mais barata e você acha as marcas mais famosas até em supermercados, então não vale a pena trazer, deixe para comprar tudo aqui. Por favor, nem pense em trazer shampoo e cremes, pesa e ocupa um espaço desnecessário na mala. O meu marido trouxe desodorante do tipo aerosól, pois ele só usa esse tipo de desodorante e aqui a gente não consegue encontrar e sempre que vem alguém nos visitar ele pede para trazer do Brasil. Isso é uma coisa específica dele. Se você também gostar de uma coisa muito específica e não tiver certeza de que vai encontrar por aqui é melhor trazer.

– MEDICAMENTOS: trouxe Novalgina gotas e Novalgina solução pediátrica pois aqui é difícil achar dipirona, tem mais paracetamol de analgésico. Trouxe também Amoxil (antibiótico com receita médica) para o Theo e alguns antiinflamatórios que estávamos acostumados a fazer uso no Brasil. Graças à Deus desde que chegamos aqui o Theo nunca ficou doente então não precisou ser medicado. A variedade de medicamentos aqui é enorme e os preços são bem mais em conta que no Brasil e dependendo do plano de saúde que você for ter aqui e do medicamento (se for com receita médica) ele sai até de graça. Só traga mesmo algum medicamento que você esta acostumado a tomar para os primeiros meses até você encontrar um equivalente por aqui.

– ELETRÔNICOS: Meu marido trouxe o Iphone dele mas depois, quando fizemos o plano de celular daqui ele acabou pegando um modelo novo. Trouxemos vários HD externos e pen-drives com nossas milhares de fotos e arquivos que tínhamos no nosso computador. Trouxe a minha máquina fotográfica pois ela estava ótima, mas depois de tirar muitas fotos na neve ela pifou, então acabei comprando outra aqui.

– COZINHA: trouxemos algumas canecas preferidas, alguns talheres que eu gostava, meu espremedor de alho velhinho, uma leiteira linda de louça que adoro, colher de pau, facas, uma panelinha de foundue e um mixer que eu tinha da Cusinart (outra coisa que voltou para o seu país de origem).  Não trouxe nada de pratos, panelas, travessas e afins pois ocupam espaço e pesam na mala. Você refaz a sua cozinha  com coisas lindas por um preço muito bom em lojas como a Ikea e a HomeGoods, nesta última você compra abridor de latas da KitchenAid por oito dólares!

-COMIDINHAS: Isso é muito pessoal e cada um tem o seu gosto e suas vontades, mas sempre que alguém vem nos visitar a gente pede para trazer batata-palha, mistura para preparo de pão de queijo da Yoki, suco de caju e maracujá Maguary, geléia de goiaba, chá-mate, Nescau, farinha láctea e bombom sonho-de-valsa. Se você estiver vindo para cá e gostar dessas coisas é bom colocar na mala pois aqui é difícil de achar. Aqui em casa nós não temos o hábito de tomar café, mas se você gosta é bom trazer vários pacotes do seu pó de café favorito pois os daqui são horríveis! Acho que o café é a principal coisa que quem mora aqui nos EUA pede para as visitas trazerem do Brasil.

Cabe lembrar que é permitido trazer apenas alimentos industrializados dentro de suas embalagens originais. Alimentos caseiros, frutas, plantas e sementes são proibidos.

Sempre que você for questionado na imigração se esta trazendo algum tipo de comida na sua mala, diga sempre a verdade  isto é, SIM. O mesmo vale para quando você for preencher aquele formulário que entregam dentro do avião em alguns voos. Se você disser que não esta trazendo e na hora da inspeção da sua mala eles encontrarem alimentos (mesmo os permitidos) você pode ser multado por falsa declaracão.

– OUTRAS COISAS: trouxe alguns porta retratos e álbum de fotos pois amo fotografias!  Trouxemos também alguns objetos de decoração que gostávamos e lembranças de algumas viagens. Também venho na bagagem livros infantis em português para o Theo, alguns ímãs de geladeira que eu gostava, a  coleção de canetas do meu marido, meu caderno de receitas,alguns livros e DVDs. A cadeirinha do carro do Theo também venho pois ele é muita boa  (não despachamos como bagagem e sim na porta do avião para não contar como mala).

-DOCUMENTOS: Trouxe todos nossos documentos pessoais e suas respectivas traduções juramentadas. Deixamos no Brasil (com nossos pais, que são nossos procuradores) cópias destes documentos autenticadas inclusive dos passaportes com os vistos. Se você for manter conta bancária aberta no Brasil, não esqueça de trazer o seu “IToken” para poder fazer transações bancárias pela internet.

-SEGURO SAÚDE: Ao chegar aqui, você ainda não vai ter um plano de saúde, pois leva algumas semanas até a documentação ficar pronta (a não ser que a empresa já tenha feito para você antes de deixar o Brasil), então é bom fazer aquele plano de seguro saúde para viagem antes de sair do Brasil. É melhor ser prevenido pois pagar médico e hospital aqui é muito caro.

Um conselho que eu dou é trazer tudo o que for importante como documentos e objetos de valor na sua mala de mão e não na mala que vai ser despachada. Distribua bem os objetos pelas malas por exemplo, não coloque todas as suas roupas em uma única mala pois caso ela for estraviada você não vai ficar sem roupa.

No final, chegamos aqui nos EUA com as seis malas cheias. Enquanto procurávamos casa para locar  ficamos hospedados em um hotel e depois na casa de amigos. Quando locamos a casa, a primeira coisa que fizemos foi comprar uma cama para nós e para o Theo e meia dúzia de pratos, copos, talheres e um jogo de panelas. Aqui nos EUA, quando você aluga uma casa ela já vem, na grande maioria das vezes, com geladeira, fogão, microondas, máquina de lavar louça, máquina de lavar roupa e secar. Depois fomos comprando o resto como sofá, mesa de jantar e deixando a nossa nova casa com a nossa cara.

Mas no final, o que transformou a nossa nova casa no nosso lar foi quando eu abri as malas e comecei a colocar os meus porta retratos com nossas fotos e da nossa família que ficou no Brasil em cima da lareira, as nossas lembranças de viagem e os meus álbuns de fotos no armário da sala, o edredom do Theo dos “Carros” na cama nova dele com os brinquedos preferidos ao lado e os meus antigos ímãs de geladeira na nova geladeira. Neste momento eu pude olhar ao redor e dizer: Agora sim estou em casa !

Juliana

Posts úteis:

Compras nos EUA

Antes de deixar o país

Hello USA !!

Chegamos!! Estamos em solo americano! O voo foi ótimo, a passagem pela imigração foi super tranquila e já estamos acomodados no hotel. Já abastecemos a nossa geladeira, estamos com números de celulares daqui, locamos um carro  e agora vai começar a procura por casas para locar.

O Theo está curtindo tudo, para ele é como se estivesse de férias ( na verdade ele está mesmo!).  As vezes ele reclama, diz que está cansado e que quer brincar…..

Esta meio corrido para eu escrever estes dias, mas assim que der conto mais detalhes deste período de adaptação!

Beijinhos!!

Juliana

By By Brasil….

Aeroprto Brasil

Aeroporto Brasil

Estou escrevendo este post de dentro do avião, já que perdi o sono. Pelo mapa que aparece aqui na tela, neste momento estamos sobrevoando a Florida, então temos mais umas três horas de viagem pela frente. O Theo está no maior sono aqui no meu lado. Com tinha lugares vazios no avião, o Léo pulou para a poltrona da frente, assim eu e Theo ficamos com as três poltronas do meio do avião para ele poder ir dormindo deitado (como é bom ser criança!).

Na despedida no aeroporto foi aquela emoção toda….foram os meus pais, minha irmã, os pais do Léo e o irmão dele. Quando entramos na sala de embarque o Theo ficou todo sentido, disse que já estava com saudades!! Depois que entramos no avião foi aquela farra que criança faz quando entra em um avião, quem tem filhos sabe o que estou dizendo! O melhor foi quando passamos pela classe executiva e o Theo disse: “mamãe eu quero sentar aqui!! “, quando chegamos no nosso assento ele ficou decepcionado, disse que aqueles da frente eram muito mais legais! Isso que a gente está indo nas poltronas da economy confort as quais tem as poltronas mais largas e o espaço para as pernas bem maiores que o da classe econômica propriamente dita. Para quem puder investir mais cem dólares na compra do bilhete vale a pena.

Estamos voando pela Delta que é a única companhia que tem voo direto para Detroit. O avião é novinho, o serviço de bordo até o momento está bom, e até o jantar foi melhor que das outras vezes que voamos pela Delta, além dos tradicionais beef e pasta como opções de jantar, tinha a opção de uma salada verde com fatias de peito de frango, o Léo pediu este  e aprovou, eu e o Theo fomos no tradicional arroz com carne com molho e cenoura.

Depois do jantar assistimos um filme para dar uma matada no tempo. A programação infantil tinha mais de dez opções de filmes para crianças e o Theo optou por Monstros SA na universidade, detalhe que o filme estava em inglês, mesmo sem entender nada ele assistiu o filme inteiro e nem reclamou que não dava para mudar o idioma para o português.

Bom e aqui estamos nós rumo aos EUA. Olho o mapa aqui na minha frente e o aviãozinho parece que não sai do lugar. Estou escrevendo este post offline, então neste momento em que vocês estão lendo nós já devemos estar em terras americanas! Assim que der, escrevo outro post contando como foi a nossa chegada nos Estates!!

Abraços!!

É amanhã ! EUA aí vamos nós

Malas quase prontas !

Malas quase prontas !

Hoje é sábado e já estamos com cinco malas fechadas das seis que podemos levar. Tem um pouco de tudo nas malas: roupas, brinquedos do Theo, objetos pessoais que gostamos, algumas coisas para a casa, edredom (usamos aquelas embalagens para embalar a vácuo, muito útil para economizar espaço nas malas) , sapatos, documentos ….

As pessoas tem falado: “Vocês estão indo morar nos EUA ! Não deveriam levar nada!! ” Mas na realidade não é bem assim, não dá para começar uma vida do zero com uma criança sem nada !! Então lá vamos nós para o aeroporto amanhã com seis malas gigantes, cadeirinha do Theo, malas de mão e mochilas nas costas !!!!

Hoje começaram as despedidas dos nossos familiares queridos… Vamos sentir muitas saudades de todos, com certeza a distância das pessoas que amamos vai ser a parte mais difícil de toda essa aventura. Para suportar o frio tem aquecimento, o idioma diferente a gente se esforça e aprende, mas para a saudade não tem jeito… A internet, o face e o skype ajudam um pouquinho, mas a saudade vai estar sempre em nossos corações.

Família e amigos queridos, estamos indo mas com vocês sempre em nossas lembranças. Não se esqueçam da gente heim! Prometo tentar manter o blog atualizado e com fotos para matar um pouquinho a saudade! Deixem seus comentários e sugestões!

Beijos

Ju